Início » Computador » Carinha de Core i7, corpinho de Core m

Carinha de Core i7, corpinho de Core m

Kaby Lake: fique atento à sopa de letrinhas dos Intel Core de sétima geração

Paulo Higa Por

Quando a gente pensa em Core i7, logo vem à cabeça um processador poderoso, mas isso nem sempre é verdade nos notebooks. A Intel vai fazer outra sopa de letrinhas na sétima geração, Kaby Lake, então preste atenção para não se confundir na hora da compra: como num passe de mágica, dois processadores Core m5 e m7 ganharam as nomenclaturas Core i5 e i7.

A linha Core m é composta por processadores de baixíssimo consumo energético, o que faz a bateria durar mais, mas também resulta em menor desempenho. Por isso, quem analisa as especificações de hardware quando compra um notebook já sabe o que esperar com um Core m5 ou m7 — e opta por um Core i se precisar executar tarefas mais pesadas.

Marcom_3_033015_RGB

No entanto, na sétima geração, Core i5–7Y54 e Core i7–7Y75 nada mais são do que processadores Core m renomeados para Core i. Eles apresentam baixo TDP, de apenas 4,5 watts. A linha de chips econômicos da Intel ficou assim, por enquanto:

  • Core m3–7Y30: dual-core de 1,0 GHz (turbo para 2,6 GHz em single-core);
  • Core i5–7Y54: dual-core de 1,2 GHz (turbo para 3,2 GHz em single-core);
  • Core i7–7Y75: dual-core de 1,3 GHz (turbo para 3,6 GHz em single-core).

Os três processadores têm Hyper-Threading (são dois núcleos e quatro threads), suportam memórias LPDDR3 de até 1.866 MHz e trazem as mesmas tecnologias, com exceção de duas: o Intel Active Management Technology 11.0 (permite o diagnóstico e reparo remoto de dispositivos corporativos) e o Intel TSX-NI (torna mais fácil a paralelização de tarefas), não disponíveis no Core m3–7Y30.

Repare que os três chips são semelhantes, mas a poderosa nomenclatura Core i5 e i7 pode confundir os desavisados e gerar frustrações quanto ao desempenho. Além disso, fabricantes de notebooks com equipes de marketing criativas demais podem tentar vender máquinas com coração de Core m como tendo "alta performance", o que não é bem verdade. É bom ficar atento.

Até agora, os processadores Kaby Lake com performance mais alta são o Core i5–7200U (dual-core de 2,5 GHz) e i7–7500U (dual-core de 2,7 GHz), com suporte a memórias DDR4 de 2.133 MHz e TDP de 15 watts. Outros modelos Core de sétima geração devem chegar até 2017. Já detalhamos as novidades dos chips recém-anunciados da Intel, que focam em 4K e eficiência energética.

Aliás, vale aproveitar a ocasião para explicar o significado das três principais letras da Intel nos processadores para portáteis:

  • Y: os chips mais econômicos (e com menor desempenho), voltados para tablets e ultrabooks (exemplo: Core i7–7Y75);
  • U: normalmente utilizados em ultrabooks e notebooks voltados para o público em geral (exemplo: Core i7–7500U);
  • H: equipam notebooks mais potentes, capazes de rodar games e aplicações mais pesadas (exemplo: Core i7–6970HQ — ainda não existe nenhum Kaby Lake-H).

Ainda estamos aguardando números de benchmarks para os Kaby Lake, mas uma boa fonte para se ter uma ideia da diferença é o ranking da PassMark, que lista uma infinidade de processadores e seus desempenhos relativos. Tomando os Skylake como exemplo, um Core m7-6Y75 faz 3.589 pontos, um Core i7-6650U chega a 4.849 pontos e um Core i7-6920HQ tem 9.569 pontos.

Nem todo Core i7 é Core i7.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Joaoernani Cdefigueiredo
A QUEM INTERESSAR E SAIBA : TENHO UM MICRO COM INTEL(R) CORE (™ ) i7-2600 [email protected] GOSTO DE EDITAR FOTOS E DESENHAR VETORIAL..ADQUIRIR O ALL IN ONE DA DELL "Inspiron 24 3000 All in one" COM O CHIP 7ª geração do Processador Intel® Core™ i5-7200U (2 núcleos, 2.5 GHz expansível até 3.10 GHz, Cache de 3 MB)VALERIA O CUSTO( CERCA DE 5000,00)
Joaoernani Cdefigueiredo
CAPITALISTAS SÃO SEMPRE BANDIDOS !!! NUM ADIANTA CHAMAR DE MÍDIA ESPERTA É BANDITISMO MESMO ...E FALTA REAÇÃO DA GENTE E AÇÃO DOS ORGÃOS REGULADORES,NUM EH MESMO ? !!!
@Sckillfer

Acho que alguém não sacou a ironia.

F. S.
Acho que alguém não sacou a ironia.
Vitor Mikaelson
http://arstechnica.com/information-technology/2016/03/intel-retires-tick-tock-development-model-extending-the-life-of-each-process/
Giulia Germano
Aqui no Brasil, só notebook gamer, barebone da Clevo (Avell, Power Note) e os modelos mais tops de Macbook Pro pra terem um processador decente (i7-xxxxHQ ou i7-xxxxHK). O resto é tudo i7-xxxxU, e parece i3 de desktop. O i7-6820HK, que é desbloqueado pra overclock e atinge até 4.1GHz em várias máquinas, é o único grande avanço da Intel nessa frente há anos. E ele é de nicho.
@Sckillfer

E pra eles pode ser bom no curto prazo (vendas graças ao bait), mas a imagem que fica é que os Core i ficam mais lentos a cada geração (primeiro com a popularização dos i-U, agora com esse twist).

F. S.
E pra eles pode ser bom no curto prazo (vendas graças ao bait), mas a imagem que fica é que os Core i ficam mais lentos a cada geração (primeiro com a popularização dos i-U, agora com esse twist).
doorspaulo
Desde a quarta geração não vejo com bons olhos os notes que andam saindo. Simplesmente não existem mais i7 de verdade em notes! Lembro de um Qosmio que tive, com i7 QM. O bicho era o veneno, melhor que qualquer i5 de desk em questão de processamento. Vendi ele e montei um desktop com i5 4590 e, em multi thread, sinto saudades do velho i7 Sandy Bridge do Qosmio.. Hoje, tanto faz pegar um i3, i5 ou i7 (U), todos serão um dual core com HT...
Giulia Germano
Já é falsa desde que chama os "U" de i5 e i7, rs.
Giulia Germano
Pois é… e pro consumidor comum, ele nem sabe se é ou não é "U", só ouve aquela dica geral de que i3 é pra tarefas básicas, i5 é pra jogos e i7 é praquilo… aí na hora do vamos ver o i7 que ele compra parece um i3 dessa descrição. A Intel deveria ter dado outro nome (que tal "u3", "u5", e "u7"? Hahahaha).
Giulia Germano
Sim. Completa desonestidade. É o típico "engana trouxa". A própria linha U de i5s e i7s não deixa de ser isso também. Parecem mais um i3 de desktop do que um i5 ou um i7 "de verdade".
Giulia Germano
Acho que o motivo real é: consumidor comum vê o nome i5/i7 e acha que tá levando pra casa um supercomputador. Não é culpa deles, é claro, ninguém é obrigado a ser expert em tudo o que consome, mas a Intel é muito desonesta na forma que se aproveita disso. Não só agora que passou a chamar m5 e m7 de i5 e i7, mas desde que inventou a linha U. O negócio tem desempenho igual/ pior que um i3 de desktop e o cara acha que vai conseguir jogar/ rodar programas pesados lá. Vai sim amigo, vai sim.
Giulia Germano
É verdade. Acho que só os modelos mais tops do MacBook Pro que começam a ter chips HQ. Sem ser Mac, acho que só notebook gamer/ workstation praticamente pra fugir da linha U. Pra mim é uma puta desonestidade dar esse nome pros i5-xxxxU e i7-xxxxU. Pega um monte de consumidor iludido achando que comprou um PC super potente e, vai ver, é igual ou pior que um i3 de desktop. Esses processadores tão mais próximos dos m5 e m7 da vida do que dos i5/ i7 "de verdade".
Giulia Germano
Exato! Fazia muito mais sentido chamar os i7-xxxxU de m7 do que chamar os m7 de i7. É um bait de comprador ridículo isso, e o pior é que não falta gente pra cair.
Exibir mais comentários