Início » Celular » Galaxy J5 Metal: mediano por dentro, reforçado por fora

Galaxy J5 Metal: mediano por dentro, reforçado por fora

Reforçado, mas só um pouco: aparelho é um intermediário de 5,2 polegadas com moldura de alumínio

Por
3 anos atrás
Nota Final 8.1

É fácil a gente falar da Samsung e lembrar do Galaxy S7 e outros aparelhos avançados da marca (inclusive aquele que anda meio temperamental). Mas, para muita gente, são os smartphones mais em conta que realmente interessam. É por isso que eu topei testar um dos modelos intermediários que a Samsung oferece atualmente: o Galaxy J5 Metal (2016).

Esse aparelho chegou ao Brasil oferecendo tela HD de 5,2 polegadas, processador quad-core de 1,2 GHz e 2 GB de RAM pelo preço de R$ 1.299, mas já pode ser encontrado por valores abaixo disso. Mesmo com os descontos, será que o Galaxy J5 Metal vale a pena? Me acompanhe nas próximas linhas para descobrir.

Design

O que falar desse design que eu mal conheço, mas já considero pacas? Na verdade, eu conheço bem. Você também. O Galaxy J5 Metal tem o mesmo padrão de desenho que a Samsung adota há anos em seu smartphones. O botão físico frontal continua na lá, por exemplo, e a distribuição dos demais não mudou: controles de volume na lateral esquerda, liga / desliga na direita.

Os botões do sistema não tem retroiluminação LED, devo dizer

Os botões de sistema não têm retroiluminação LED, devo dizer

Mas é bom deixar claro que, apesar do design repetitivo, o Galaxy J5 Metal não é feio. Pelo menos a versão que eu testei, dourada, é bastante apresentável. O modelo também está disponível nas cores tradicionais, isto é, preto e branco.

Galaxy J5 Metal

Por que esse “Metal” no nome? Trata-se de uma referência à moldura do dispositivo, toda de alumínio. É como se a Samsung estivesse tentando dar um ar mais sofisticado ao aparelho. Funciona. E há um achatamento na superfície das laterais que contribui bastante para a pegada.

O Galaxy J5 Metaaaalllll só não é muito fino: a espessura é de 8,1 mm

O Galaxy J5 Metaaaalllll só não é muito fino: a espessura é de 8,1 mm

Pelos menos na versão dourada, a traseira tem um brilho que confere a ela um aspecto metálico. Mas a tampa é toda de plástico — e tem superfície que repele marcas de dedo, felizmente. Ela é removível. Ao tirá-la, você verá os dois slots para SIM card (do tipo micro-SIM), o espaço para o microSD (de até 128 GB), além da bateria de 3.100 mAh.

Galaxy J5 Metal

Tela

Me diga aí se você concorda (ou discorda), mas eu acho que, para os padrões atuais, smartphones que chegam com preço na faixa dos 1,3 mil reais deveriam ter tela full HD. O display do Galaxy J5 Metal, com tamanho de 5,2 polegadas, possui resolução de 1280×720 pixels, ou seja, é só HD. Se você se esforçar, vai conseguir distinguir pixels ali.

Mas isso não deve atrapalhar nos jogos ou vídeos. Sem contar que, a despeito da resolução, o J5 Metal tem um painel Super AMOLED bem bom: preto profundo, boa definição, cores fortes sem saturação excessiva e visualização satisfatória em ângulos variados caracterizam a tela. Se você achar os tons muito frios ou fortes, pode escolher outro padrão de exibição no Modo de Tela, nas configurações do visor.

Galaxy J5 Metal

Apesar do aspecto robusto do aparelho, a tela não tem nenhuma proteção adicional, como Gorilla Glass

Os níveis de brilho são altos o suficiente para você enxergar bem o conteúdo da tela mesmo em um dia ensolarado, embora você tenha que ir nas configurações do aparelho e ativar o Modo Externo para isso (sério, faz muita diferença).

Pena que não há sensor de iluminação. Você tem que ajustar o brilho manualmente. É um detalhe pequeno, mas admito que me incomodou. Para mim, esse é um recurso trivial, daquele tipo que você usufrui tanto que só percebe que existe quando sente falta, sabe?

Software

O Galaxy J5 Metal sai da fábrica com o Android 6.0.1 Marshmallow. A interface é a TouchWiz que a gente já conhece, com ícones arredondados nos cantos, área de notificação customizável e menu de configurações com fundo branco.

Há aplicativos de terceiros pré-instalados, mas sem exageros: basicamente, apps do Microsoft Office, o Opera Max, além das habituais ferramentas do Google. Há ainda algumas funcionalidades bem-vindas, como a função de bloqueio de números indesejados e o Modo Fácil, que simplifica a interface, uma mão na roda para pessoas com pouca familiaridade com dispositivos móveis.

Galaxy J5 Metal

É verdade que também há algumas mancadas. Eu não sei, por exemplo, a razão de a Samsung insistir em ignorar a função do Android que permite transformar facilmente o microSD em uma extensão da memória interna que, no Galay J5 Metal, tem 16 GB de capacidade (com quase 11 GB livres). Mas, de modo geral, os recursos oferecidos são equilibrados, a interface é fácil de usar e não há instabilidades.

Câmeras

Temos aqui uma câmera traseira que evidencia bem a categoria mediana do Galaxy J5 Metal. O componente tem sensor de 13 megapixels e lente com abertura f/1,9 que, como tal, poderia gerar fotos noturnas mais interessantes. Na prática, porém, os ruídos vêm com força quando há baixa iluminação e a definição acaba não sendo das melhores.

Galaxy J5 Metal

Por outro lado, a situação melhora nas fotos diurnas, ainda que os resultados não impressionem. Há fidelidade de cores, baixa taxa de ruído e, ainda que alguma perda de definição seja perceptível, o problema não chega a estragar as fotos.

Foto feita com o Galaxy J5 Metal

Foto feita com o Galaxy J5 Metal

Foto feita com o Galaxy J5 Metal

Foto feita com o Galaxy J5 Metal

Foto feita com o Galaxy J5 Metal

Quando a iluminação é baixa…

Um modo HDR seria uma forma de tentar aperfeiçoar as coisas, mas esse recurso não está presente. A saída então é aplicar um ajuste manual. Se você abrir o app de câmera e der um toque rápido na tela, por exemplo, poderá alterar a luminosidade (a exposição, sendo mais claro) arrastando um controle.

Foto feita com o Galaxy J5 Metal

Foto mais clara com ajuste manual

Foto clareada com ajuste manual

Na frente, a câmera oferece um sensor de 5 megapixels com flash LED, olha só. Eu não estava esperando algo além do básico ali, mas até que a câmera faz umas selfies bacanas, com cores fortes e nível aceitável de ruído. Porém, de novo, não dá para esperar milagres se não houver condições de iluminação favoráveis. Nessas circunstâncias, às vezes nem o flash consegue ajudar.

Selfie feita com o Galaxy J5 Metal

Ah, eu testei o Galaxy J5 Metal com o Manual Camera Compatibility, app que verifica a compatibilidade com a API Camera2 do Android. O aparelho não passou nos testes. Isso significa que não é possível ter total controle da câmera a partir de apps de terceiros que oferecem mais recursos que a ferramenta nativa de câmera.

Galaxy J5 Metal

Hardware e bateria

O Galaxy J5 Metal tem 2 GB de RAM. Finalmente a Samsung está abandonando a ideia de lançar intermediários com 1,5 GB de memória. Mas o processador é um Snapdragon 410 quad-core de 1,2 GHz acompanhado de uma GPU Adreno 306 de 400 MHz. Significa? Sim, significa que você vai conseguir usar bem o smartphone para apps de redes sociais, navegação web e jogos mais simples, mas poderá ter dificuldades com aplicações pesadas.

Eu testei o aparelho com títulos como Unkilled e Need for Speed: No Limits e só consegui manter a fluidez usando configurações gráficas intermediárias. Com ajustes máximos, congelamentos e queda de frames se tornam perceptíveis com relativa facilidade.

Consegui jogar Pokémon Go numa boa (mas sem modo AR). Ou quase: de vez em quando o jogo dava umas travadas. Mas vídeos, músicas, navegadores, mensagens instantâneas e redes sociais rodaram sem gargalos, ainda que alguns apps tenham demorado mais que o razoável para abrir.

Pontuação no AnTuTu 6.2.1, Geekbench 4 e 3DMark

Pontuação no AnTuTu 6.2.1, Geekbench 4 e 3DMark

Falando em áudio, a saída de som externa, ao lado da câmera traseira, não tem volume dos mais altos. Mas o som não distorce e é claro, pelo menos na maior parte do tempo. Porém, como sempre, você só vai conseguir aproveitar bem o áudio do Galaxy J5 Metal se usar fones de ouvido (daqueles bons, de preferência).

Uma dica: ao usar fones, vá às configurações de áudio e ative a opção SoundAlive+. Esse recurso dá uma melhorada no áudio, especialmente na execução de músicas.

E a bateria? Olha, são 3.100 mAh de capacidade em um smartphone que não tem hardware tão exigente assim. Logo, o desempenho não poderia ter sido ruim. E não foi. A não ser que você fique o tempo todo jogando, dá para passar um dia inteiro com o aparelho longe da tomada.

Galaxy J5 Metal

No dia de testes, executei o seguinte: filme O Poderoso Chefão (2h57min) via Netflix e brilho máximo na tela (mas sem ativar o Modo Externo), uma hora de streaming de áudio, meia hora de navegação web e redes sociais via 3G, 20 minutos de Unkilled e uma ligação de 5 minutos. Depois de tudo isso, o nível da bateria caiu de 99% para 33%. O tempo de recarga total, com o aparelho em stand-by e carga em 15%, foi de 2h38min.

Conclusão

Assim como tantos outros modelos da família Galaxy, o J5 Metal faz o estilo do smartphone que, para a categoria, cumpre o que promete, mas sem se destacar. A tela é boa, mas não excelente. A câmera é boa, mas não excelente. O desempenho geral é bom, mas não excelente. E por aí vai.

Um detalhe que devo frisar é que a estratégia da Samsung realmente funciona: apesar do visual repetitivo, o acabamento externo do Galaxy J5 Metal transmite uma imagem de robustez, de smartphone que dá conta do recado. E dá mesmo, desde que você não tenha um perfil de uso exigente, é claro.

Galaxy J5 Metal

Se é o seu caso, o Galaxy J5 Metal consegue ser uma escolha interessante, mas você precisa ficar esperto com o preço: o modelo não vale os R$ 1.299 sugeridos pela Samsung no lançamento (em julho). Felizmente, já é possível encontrá-lo por valores na casa dos mil reais.

Mesmo assim, eu esperaria por um desconto maior. Se o preço não baixar mais, é mais negócio procurar uma opção que se sai melhor no custo-benefício. O Moto G4, por exemplo, é um concorrente na mesma faixa de preço atualmente (em algumas lojas, ele é só um pouco mais caro), mas que leva vantagem na tela (full HD) e no processador.

Galaxy J5 Metal

PRÓS

  • Bateria com boa autonomia
  • Acabamento externo robusto

CONTRAS

  • Hardware que sofre em aplicações exigentes
  • Economizar em funções básicas, como brilho automático, não é legal
Nota Final 8.1
Design
8
Tela
8
Câmera
7
Desempenho
7
Software
8
Bateria
10
Conectividade
9

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.100 mAh;
  • Câmera: 13 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, GPS, Bluetooth 4.1, USB 2.0, rádio FM, NFC;
  • Dimensões: 145,8 x 72,3 x 8,1 mm;
  • GPU: Adreno 306;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 128 GB;
  • Memória interna: 16 GB (10,9 GB livres);
  • Memória RAM: 2 GB;
  • Peso: 158 gramas;
  • Plataforma: Android 6.0.1 Marshmallow;
  • Processador: quad-core Snapdragon 410 de 1,2 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade;
  • Tela: Super AMOLED de 5,2 polegadas com resolução de 1280×720 pixels (282 ppi).
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.