Início » Brasil » Suas compras internacionais no cartão de crédito vão ficar mais previsíveis

Suas compras internacionais no cartão de crédito vão ficar mais previsíveis

Decisão do Banco Central permite que emissores cobrem cotação da moeda estrangeira do dia da compra

Paulo Higa Por

Comprar em moeda estrangeira no cartão de crédito é uma questão de sorte. Se o dólar ficar mais barato até a data de fechamento da fatura, você se deu bem. Mas se algo ruim acontecer, sua compra pode ficar bem mais cara que o planejado. Felizmente, o Banco Central aprovou na quarta-feira (23) uma medida que permite aos bancos fazerem a conversão da moeda estrangeira pela cotação no dia da compra.

Em outras palavras, seus gastos em dólar no cartão de crédito vão ficar mais previsíveis caso o seu banco ofereça a nova opção. Se você comprar um produto de US$ 100 no momento em que escrevo este parágrafo, vai pagar exatamente R$ 344,10, mais impostos (IOF de 6,38%) e o ágio cambial do emissor do cartão de crédito, não importando o que aconteça com a cotação do dólar nos próximos dias.

cartao-credito-internacional-compra-estrangeira-exterior

A circular 3.813/2016 do Banco Central altera o artigo 128 da circular 3.691/2013. O inciso I do parágrafo único exigia ao emissor do cartão de crédito que informasse “no caso de gastos em moeda estrangeira, a moeda em que foi realizado cada gasto, devendo a fatura ser paga pelo valor equivalente em reais do dia do pagamento”.

Agora, ficou assim: “no caso de gastos em moeda estrangeira, a identificação da moeda, a discriminação de cada gasto na moeda em que foi realizado e o seu valor equivalente em reais, devendo obrigatoriamente ser ofertada ao cliente a sistemática de a fatura ser paga pelo valor equivalente em reais do dia do pagamento da fatura, sendo também permitido o oferecimento de sistemática alternativa ao cliente de a fatura poder ser paga pelo valor equivalente em reais da data de cada gasto, observado que a adoção dessa última sistemática está condicionada a manifestação de interesse pelo cliente”.

A adoção da nova sistemática não é obrigatória: os bancos podem optar se permitirão ou não que o cliente escolha entre a cotação da data da compra ou do fechamento da fatura. No entanto, todos serão obrigados a continuar oferecendo a mecânica atual.

O texto da circular também permite que os consumidores adquiram bens e serviços por meio de serviços de pagamento internacional, como o PayPal, com cartão de crédito nacional ou transferência bancária — o que deve abrir para mais pessoas a possibilidade de fazer compras no exterior. Até então, a única forma de pagamento permitida era o cartão de crédito internacional.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Celestino
Não!
PPKX XD ?????????
As empresas que oferecem boleto colocam um spread enorme em cima da taxa de conversão, dá na mesma.
Marcos Drawer
Exato. O que esperar de um país saturado de cargos públicos e que a todo momento trocam as cadeiras (ou pastas) de ministérios? O cara da Agricultura vai pra fazenda, o da defesa vai pra Ciência e Tecnologia, etc... Por acaso eles são mestres em áreas tão diferentes?? São gênios com QI de 500?? Como um cara de um ministério A passa a entender do Z de um dia pro outro? Óbvio que não entende! Esses políticos ficam brincando de casinha preocupados apenas em pegar o dinheiro, o que explica a total ineficiência e burrocracia do Estado!! Não há técnicos, só politicagem e muita corrupção desviando a arrecadação e invalidando investimentos. É por isso que o futuro do Brasil nunca chega. É uma miragem que quando se chega perto, vai sumindo...
la_gomes
é isso aí, vendemos toneladas de soja (ou outra commodities) para o exterior para poder comprar 1 processador (exagerei de propósito)
Eduardo Alvim
A Amazon já está aceitando boleto?
Johnny Walker Junior
E nunca vai ter amigo, pois se o governo não investir igual a China, jamais terá. São trocentos bilhões de dólares para se criar uma indústria deste tipo e nem temos pessoal especializados e toda hora o pessoal corta o intercâmbio que é onde nossos melhores estudantes ganham experiência nas instituições de fora. Lamentável, precisamos aumentar nosso know how, mas se o governo não fizer sua parte como os chineses estão fazendo, então fica difícil e sempre seremos o país do futuro, um futuro que nunca chega, pois não tem vontade política para investir no que é preciso. E mesmo se começarmos hoje, demorará uns 20 anos para colher os primeiros frutos, pois mão de obra e know how não nasce em árvores.
Johnny Walker Junior
Não seria presidanta? Mas concordo plenamente com você, somos taxados duas vezes quando compramos por cartão internacional, acho um roubo. Somos taxados com o IOF, mais a parte da receita federal e mais a do estado, literalmente roubados.
Roberto Furutani
Isso independe de quando você paga a fatura, o cálculo é sobre a data do vencimento efetivo da sua fatura.
Roberto Furutani
Vai ficar melhor assim, esse mês a maldita eleição do Trump adicionou R$300 contos de 'ajuste variação cambial' :( Só falta diminuir a porcaria do IOF que foi aumentada por uma ex-presidenta.
Rock set
Muito melhor usar o boleto, a conversão é sempre a do dia do documento e paga menos imposto(0,38%) e sem pegadinhas.
la_gomes
o alto imposto é para "desenvolver a tecnologia e indústria nacional", mas como fazer tal coisa se o Brasil nem tem fábricas de semicondutores e nem essa tecnologia? Estou apenas no campo dos eletrônicos embarcados, pois sei que tudo é tributado seguindo a mesma lógica
David Diniz
É um começo.
Arthur V.*
"That's the point".
Luiz Claudio Eudes Corrêa
Como sempre pago antes do vencimento, isso explica o "crédito variação cambial" que aparece nas minhas faturas do nubank
Danilio Costa Silva
Isso ai é com a Receita. Esperemos sentados.
Exibir mais comentários