Início » Mobile » Zenfone 4: quatro anos de refinamento

Zenfone 4: quatro anos de refinamento

Quarta geração do Zenfone mostra que a Asus melhorou muito, mas ainda há arestas a serem aparadas

Por
03/10/2017 às 19h00
8.6

Prós

  • Bateria de longa duração
  • Desempenho convincente
  • Tela de altíssimo brilho
  • ZenUI não é mais uma interface terrível

Contras

  • Ainda falta cuidado no software
  • Nada de resistência contra água?
  • Traseira de vidro é quase um sabão em superfícies planas

A quarta geração de smartphones da Asus chegou ao mercado brasileiro. O principal representante da família é o Zenfone 4, que trouxe uma câmera dupla, ganhou uma atenção especial na interface e está sendo lançado com uma versão mais poderosa, para bater de frente com os verdadeiros topos de linha.

Será que a Asus finalmente acertou no software? A câmera com lente grande angular entrega boas fotos? E esse processador Snapdragon 660, é tudo isso que estão falando? Eu utilizei o Zenfone 4 como meu smartphone principal na última semana e conto tudo nos próximos parágrafos.

Em vídeo

Design

O Zenfone 4 é um Zenfone 3 evoluído. Ele tem design com bordas de metal e traseira de vidro, mas refina alguns pontos importantes: não existe mais nenhum calombo na região da câmera traseira; o leitor de impressões digitais agora tem um posicionamento melhor, na parte frontal; os botões capacitivos finalmente são retroiluminados (!); e as bordas laterais estão menores, tornando o aparelho mais compacto.

Ainda é um trambolhinho: é mais agradável de segurar que o Zenfone 3, mas é mais largo que um Galaxy Note 8, mesmo tendo uma tela bem menor. Aliás, é uma pena que a Asus ainda não tenha lançado um design com aproveitamento de espaço melhor; as bordas superior e inferior são grandes, e o design vai envelhecer muito rápido. O Zenfone 5, se é que ele terá esse nome, provavelmente virá uma cara bem diferente.

A traseira de vidro tem seus pontos positivos e negativos. Os círculos concêntricos, que geram um reflexo de luz muito bonito, são praticamente uma marca registrada da Asus e continuam presentes. E a aderência é ótima na mão, mas o Zenfone 4 se mostra bem escorregadio em superfícies, como o antecessor: se a mesa estiver um pouquinho desnivelada, é bem provável que o aparelho ande de fininho antes de beijar o chão.

De qualquer forma, um ponto muito bacana do Zenfone 4 é que a Asus envia uma capinha de proteção na caixa do aparelho (ou seja, nada de esperar o camelô trazer o acessório compatível). É uma capa bem simples, transparente, mas que veste bem o smartphone e é um belo mimo para os desastrados de plantão.

Por fim, para terminar a questão do design, eu não sei por qual motivo a Asus ainda não colocou proteção contra água. Talvez esse não seja um fator decisivo de compra, mas pode fazer a diferença quando um copo de suco virar em cima do seu Zenfone 4: seus batimentos cardíacos não vão subir tanto assim, e o risco de infarto será menor.

Tela

A tela de 5,5 polegadas tem painel IPS LCD de 1920×1080 pixels. O brilho certamente é o destaque: bem forte, não deve nada para o que costumo encontrar em topos de linha, e é possível enxergar o display em qualquer condição de iluminação, mesmo com o sol incidindo diretamente no visor.

As cores são equilibradas e o ângulo de visão, embora não seja impecável, é amplo e suficientemente bom para qualquer usuário. Já o contraste é satisfatório: o branco é muito bom, mas o preto poderia ser mais preto, mesmo considerando que estamos falando de uma tela LCD, não AMOLED.

Software

Se alguém me perguntasse qual é a maior mudança do Zenfone 3 para o Zenfone 4, eu não responderia hardware, nem design, nem câmera. A grande evolução está no software.

Para mim, o software sempre foi o grande calcanhar de Aquiles dos smartphones da Asus. Na época do Zenfone 5 e Zenfone 6, que foram os primeiros a chegarem ao Brasil, o software não era exatamente a oitava maravilha do mundo quando olhamos em retrospecto, ainda que trouxesse funções úteis. Mas praticamente ninguém tinha software realmente bom, então dava para relevar.

Com o tempo, a Samsung evoluiu, a LG evoluiu, a Motorola evoluiu; outras fabricantes menores também melhoraram seus softwares. Enquanto isso, a Asus ficou parada no tempo, com uma interface muito carregada, cheia de cores que não faziam sentido, e muitos aplicativos de utilidade duvidosa pré-instalados. O Zenfone 2 e o Zenfone Zoom foram o ápice da tragédia.

No Zenfone 4, eu vejo uma interface bem resolvida. Os recursos úteis da ZenUI, como bloqueio de aplicativos por senha, gravação de chamadas ou atalhos personalizáveis, além do excelente gerenciador de arquivos nativo, continuam aqui. No entanto, os aplicativos desnecessários, notavelmente o ZenCircle, foram em sua maioria removidos, e não há mais bloatwares pré-instalados.

MAPS_AND_NAVIGATION

Mas ele ainda tem os resquícios do que eu chamo de “padrão Asus de qualidade”. Por algum motivo, a qualidade da tradução para o português do Brasil é muito ruim. Vários erros que eu apontei no Zenfone Zoom, no Zenfone 3 e no Zenfone 3 Zoom foram corrigidos, mas ainda há muita coisa sobrando, o que é meio assustador. Existem erros primários que vão fazer aniversário de 2 anos.

E não é muito difícil encontrar os descuidos: basta acessar uma tela ou recurso que a Asus desenvolveu ou modificou. Nas configurações de ponto de acesso Wi-Fi, temos as opções “Após 5 minutos”, “Após 10 minutos”, que do nada viram “Depois de 20 minutos”. Na tela, o brilho pode ter as opções “Escuro” ou “Luz” (?); a tradução correta, obviamente, seria “Claro”.

Além disso, a seleção de fonte tem um bug estranho, que mostra a “Fonte padrão” e depois alguns caracteres em mandarim (!); o “diáriamente” (com acento) e o “diarimamente” continuam no gerenciador de notificações; e o novíssimo Assistente de Áudio mostra um tal de “Adiconar [sic] fones de ouvido”.

É claro que, pelo fato de trabalhar como editor e ter revisado muitos textos nos últimos anos, meu olho é mais treinado. Mas são erros tão absurdos que, de certa forma, eu vejo isso como um desrespeito — não só com a língua portuguesa, mas com todo mundo que compra os produtos e gera receita para a empresa no Brasil. O software melhorou? Muito. Mas ainda é Asus.

Câmera

O ponto que a Asus mais destaca no Zenfone 4 é a câmera; não é por acaso que a campanha se concentra na frase “We Love Photo”.

Na frente, o sensor de 8 megapixels tira boas fotos, com nível de detalhes realmente bom, e traz um recurso bacana, que é o Modo Retrato. Assim como em outros aparelhos, como Galaxy Note 8 e iPhone 8, é um efeito que desfoca o fundo da imagem, resultando em algo mais profissional. Ele é aplicado via software (não há um sensor auxiliar para medir a profundidade), mas os resultados são convincentes.

Eu notei uma falha no pós-processamento da imagem: nas selfies, meu braço simplesmente fica azul (meu médico certamente ficaria bem preocupado). Mas é algo que pode ser corrigido futuramente com uma atualização de software.

Na traseira são duas câmeras: uma principal, de 12 megapixels, com lente de abertura f/1,8; e uma secundária, de 8 megapixels, que acompanha uma grande angular de abertura f/2,2.

Eu gosto da combinação de “normal” com “grande angular” porque as fotos dessa segunda não são reprodutíveis por software. Um zoom de 2x, por mais que haja perda de qualidade, pode ser simulado em um editor de imagem qualquer, bastando esticar e cortar a foto. Um campo de visão de uma grande angular, não.

A lente principal tira ótimas fotos em qualquer condição de iluminação. As cores são equilibradas, o alcance dinâmico é bom e o nível de ruído é baixo. Mesmo em ambientes noturnos, a saturação continua excelente e a nitidez é muito boa.

A fraqueza fica na grande angular, que é significativamente inferior. Como ela tem uma abertura menor, eu não esperava que tirasse fotos noturnas tão boas quanto a câmera principal, mas com certeza eu não esperava algo tão ruim: a definição vai embora, e o ruído aparece com vontade.

Mesmo em condições perfeitas de iluminação, é possível notar um ruído bastante desagradável e uma mistura de falta de nitidez com filtro de sharpening, o que acaba gerando um efeito aquarela, típico de uma câmera de qualidade inferior. Quem tiver um olho mais treinado para fotografia pode notar uma leve aberração cromática lateral que se intensifica nas bordas, mas nada muito grave.

Em resumo, o Zenfone 4 tem uma câmera frontal acima da média (apesar do problema de software), uma câmera traseira principal também acima da média e uma câmera traseira grande angular que não é tão boa, embora abra novas possibilidades de composição de cenas.

Hardware e bateria

O Zenfone 4 foi lançado com duas versões, uma com processador Snapdragon 630 e outra com Snapdragon 660. Apesar do número do modelo do processador ser parecido, eles são chips bem diferentes.

O Snapdragon 630 é um processador que equiparia um intermediário premium: entrega um ótimo desempenho no dia a dia, é suficiente para quase todo mundo e só decepciona um pouco em games mais pesados. Já o Snapdragon 660 é quase um topo de linha: ele pega o bom desempenho da série 800, junta com a eficiência energética da série 600, e o resultado é um processador bom, mas que não gasta tanta energia.

Eu testei a versão com Snapdragon 660 e 6 GB de RAM e, de fato, o desempenho foi muito bom. O Zenfone 4 ficou bastante fluido, todos os aplicativos abrem com bastante rapidez, e vários jogos que não rodariam muito bem no Snapdragon 625, 626 ou 630 passam a funcionar satisfatoriamente com o Snapdragon 660.

Na prática, o desempenho de CPU do Snapdragon 660 é quase o mesmo do Snapdragon 820, que foi o topo de linha da Qualcomm na geração passada. A GPU Adreno 512, por sua vez, foi significativamente pior nos meus testes, sendo cerca de 30% a 40% inferior à Adreno 530 (do Snapdragon 820), mas ainda vai dar conta de qualquer jogo atual.

Combinado com o ótimo desempenho no dia a dia, temos uma bateria que rende até o final do dia, sem sofrimentos. A capacidade acima da média, de 3.300 mAh, acaba se traduzindo em uma boa autonomia no uso cotidiano.

Nos meus dias de teste, tirando o aparelho da tomada às 9h, navegando na web por 2 horas (entre páginas da web, e-mails e redes sociais), ouvindo música por streaming por 2 horas, ambos no 4G, sempre com brilho no automático, eu sempre cheguei em casa por volta das 22h com algo entre 40% e 50% de bateria. É uma marca muito boa, que vai atender quase todos os usuários.

Conclusão

O Zenfone 4 mostra a evolução da Asus como fabricante de smartphones. Nesses quatro anos, a empresa melhorou bastante a qualidade dos aparelhos. Nos anteriores, sempre havia algum ponto negativo muito claro. Nas duas primeiras gerações, com Intel, a bateria frequentemente não dava conta do recado. No Zenfone 3, o hardware passou a ficar muito bom, mas o software ainda pecava em relação à concorrência.

Agora, a Asus trouxe um smartphone bastante refinado. O design é elegante, o hardware é equilibrado, a tela é boa. O software ainda precisa melhorar, especialmente na questão dos erros primários de alfabetização, mas a ZenUI não embute mais bloatwares e não é a mesma interface terrível de outrora.

A questão do Zenfone 4 é que ele fica em uma faixa de preço ingrata:

  • Snapdragon 660 e 6 GB de RAM por R$ 2.799 (ou R$ 2.499 à vista)
  • Snapdragon 630 e 6 GB de RAM por R$ 2.599 (ou R$ 2.299 à vista)
  • Snapdragon 630 e 4 GB de RAM por R$ 2.099 (ou R$ 1.899 à vista)

Os smartphones da Asus não costumam desvalorizar tanto com o tempo, como acontece na Samsung e LG; eles já chegam com um preço mais agressivo no lançamento. E o Zenfone 4 bate de frente com os topos de linha da geração passada e até com os desse ano, considerando que o Galaxy S8, por exemplo, já tem aparecido por R$ 2,6 mil em promoções do varejo.

Quando o Zenfone 4 é comparado com esses topos de linha, dá para notar que a bateria da Asus é melhor; o desempenho no dia a dia não fica devendo em nada (embora a performance em jogos seja menor); a tela é levemente inferior; e a câmera é boa, mas não tão rápida e consistente. Além disso, para quem se importa com o design, é fato que o Zenfone 4 fica atrás do Galaxy S8 ou LG G6, por exemplo.

Vale a pena? Eu acho que sim, se você souber das forças e fraquezas dele. A Asus entregou um conjunto muito bom, com uma tela boa, uma câmera que abre possibilidades de enquadramento, uma bateria que dura e, até que enfim, um software minimamente decente. Fica claro que a Asus aprendeu bastante nesses quatro anos, e o Zenfone 4 é o resultado desse refinamento.

Como comprar com desconto?

testador-cupons-checando

Você pode utilizar a nova extensão do Tecnoblog para economizar alguns caraminguás na hora de trocar de aparelho. Ela tem um módulo Testador de Cupons que busca e aplica o maior desconto disponível na internet no seu carrinho de compras. É tudo automático, então qualquer um consegue utilizar, e é completamente grátis!

ta-caro

Outro recurso muito legal é histórico de preços. Quando você acessar a página de um smartphone, por ex, a gente já consegue te dizer se ele está com um preço legal. Esse recurso te ajuda a não cair em nenhuma "promoção", dessas que oferecem tudo pela "metade do dobro". Tenho certeza que vai ser muito útil em datas especiais, como na Black Friday.

Curtiu? Então clique aqui para instalar. ;)

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.300 mAh;
  • Câmera: 12 megapixels (traseira, principal), 8 megapixels (traseira, grande angular) e 8 megapixels (frontal);
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, GLONASS, BDS, Bluetooth 5.0, USB-C, NFC;
  • Dimensões: 155,4 x 75,2 x 7,5 mm;
  • GPU: Adreno 512;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 2 TB;
  • Memória interna: 64 GB;
  • Memória RAM: 6 GB;
  • Peso: 165 gramas;
  • Plataforma: Android 7.1.1 Nougat;
  • Processador: octa-core Snapdragon 660 de 2,2 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio, bússola, impressões digitais;
  • Tela: IPS LCD de 5,5 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels.

Notas Individuais

Design
8
Tela
8
Software
7
Câmera
8
Desempenho
10
Bateria
9
Conectividade
10
  • Jonas S. Marques

    Fico bem triste com essas questões de software da Asus. Como pessoa cega e usuária de Talkback eu não posso simplesmente me dar ao luxo de comprar um Asus porque, não bastando os erros de ortografia da interface, tenho que lidar ainda com os erros do que eles colocam nos campos de Label dos botões. E aí é que a coisa fica realmente feia.
    Uma pena.

    • Anderson Mansera

      Boa noite amigo, para você qual smartphone funciona melhor no quesito acessibilidade?

      • felipelsp

        os iPhones!

        • Jonas S. Marques

          Foi-se o tempo viu amigo, foi-se o tempo.

          • Lucas

            o que piorou? fico curioso porque as coisas que você comentou da Samsung, como 3 cliques no home para ativar a leitura de tela ou dizer se a câmera está apontada para um rosto estão presentes (começaram?) no iphone

          • Jonas S. Marques

            Sim…
            Antigamente a Apple mantinha proximidade com a NFB associação de cegos dos Estados Unidos e as atualizações do IOS não vinham com tantos bugs.
            Agora, bem, desde o IOS 9 as pessoas estão perdendo em acessibilidade.

            Isso aqui é um exemplo
            https://www.applevis.com/blog/apple-braille-ios-news/accessibility-bugs-ios-11-blind-and-low-vision-users-serious-minor

      • Jonas S. Marques

        Hoje em dia todos os vendidos por aqui são funcionais. A Samsung tem uma proximidade maior com acessibilidade com algumas coisas bobas mas úteis como identificação de rosto nas câmeras, permitir ativar ou desativar o talkback ou alguma outra configuração de acessibilidade com triplo toque no botão home, etc.
        A LG já foi ruim mas hoje em dia é bem aceitável. A Motorola se aproxima do Android puro, ou seja, também é bem acessível, exceto nos apps que ela própria desenvolve que são terríveis, péssimos.

        Já fabricantes chinesas eu não sei dizer, a maioria usa interfaces customizadas, e por isso entenda-se no mínimo suspeitas para com a acessibilidade.

        Ah sim, a Sony também é bem ok.

    • Asclépio Fritzer

      Erro de ortografia em um smartphone é puro desleixo. São esses detalhes que mostram o quanto uma fabricante realmente se importa em refinar bem ou não um sistema e chega a ser constrangedor no caso da Asus.

    • Eduardo Alvim

      Olha, eu sou bem chato com erro de grafia. De início fiquei reticente em comprar um ZenFone 3 por conta dos erros na interface. Após análise criteriosa adquiri, e hoje eu e minha esposa estamos de ZenFones, ela de Max. Desde o início do ano me deparei apenas uma vez com um erro que se destacou na minha frente. Sério. É chato ver isso, mas não me incomodou de modo algum. Está lá, existe, mas em local de acesso muito esporádico. Eu acho que não seja um argumento detrator mais. A ZenUI recebeu vários updates interessantes ao longo do ano e assim que sair a 4.0 atualizo sorrindo.

  • antônio

    Eu, por mim, já deixava de comprar só pelos erros de tradução… é desesperador. O software da Asus simplesmente exala amadorismo. Não dá para levar a sério.

    • Cássio Amaral

      Eu também acho uma falha muito grave.

    • Francisco

      Também acho. Não só desleixo, mas amador como você cita. O pior é ver que isso já vem há tempos, então não há interesse em fazer certo, pois bastaria uma revisão nas palavras / frases. É triste ver isso em pleno 2017.

  • David Diniz

    Trocar o meu S8 nessa tranqueira? jamais! Ainda mais por ter erros de tradução de software e um Hardware que mehhh. A única versão que despertou um pouco o meu interesse foi a pro mas como não vem para cá então só vou dar uma olhada depois em alguma loja e nada além, fico com a dupla S8+ e Mi6.

    • Maicon Bruisma

      Mas ele não compete com o S8, então nem tem o que comparar.

      • joaoserpa

        Se compararmos o preço de mercado hoje (lançamento do Asus e Samsung com alguns meses de idade), eles são sim concorrentes.

    • felipelsp

      so o Z4 Pro (que nao vira para o Brasil) para comparar com o S8!

      • David Diniz

        E foi EXATAMENTE esse que me interessou.

  • Renan Maia Fernandes

    A câmera traseira tem o efeito bokeh?

    • Maicon Bruisma

      Não.

    • Cesar Osvaldo Müller

      Até onde sei tem via software…

    • Tem sim e via hardware usando as duas câmeras.

    • Matheus

      Cada resposta falou uma coisa huahuahua

  • Maicon Bruisma

    Teria tranquilamente. Porém fiquei triste do modelo Pro não ter vindo ao Brasil, o Marcel disse que foi pq seria caro de produzir e seria mais caro no preço final, mas a verdade é que iria deixar de vender pq seria mais caro que o Moto Z2 Force, que está 2800 na própria Motorola. Agora tem que ver o preço desse Zenfone 4 com snapdragon 660, temos S8, Moto Z2 Force e LG G6 por 2600 na internet, o Zenfone não tendo nada de especial que justifique pagar mais

  • Jonas S. Marques

    Agora que vi os preços, não vai vender nada. Asus melhorou muito mas no quesito Custo Benefício só foi piorando. Não importa se o Intermediário Snapdragon 660 equivale ao 820, afinal, é esperado que o carro chefe do ano passado seja superado e barateado. Que triste.

    • felipelsp

      chega antes do natal e esses preços despenca nas lojas online!

  • Anderson Mansera

    Ué Higa, achei que seu braço fosse azul mesmo, para explicar esses reviews tão bons e tão rápidos.

    • felipelsp

      pois eh.. deve ta tomando muito Redbull para fazer as resenhas! 😀

    • pedroca

      a asus ja tinha liberado os aparelhos muito antes para a imprensa, só nao liberaram a publicação antes do lançamento.

  • Felipe Chagas

    Estou desistindo de esperar algum aparelho bom pra se comprar no país ultimamente. Esperei pelos reviews deste aparelho, mas o preço não me convenceu.

    Talvez eu deva ficar com um S7 Edge ou arriscar algum chinês.

    • pedroca

      oneplus 5, só vai!

  • evefavretto

    “nas selfies, meu braço simplesmente fica azul” – PAULO HIGA É UM ALIEN REPASSEM.

    Also, esses erros de tradução da Asus são realmente crassos. Se os Samsungs e até os Motorolas(que são quase AOSP) já tem algumas inconsistências nas traduções e eu acho ruim, ser pior é imperdoável.

    Also, não vi um benchmark do 660, mas imagino que o desempenho de CPU seja realmente próximo do 820, agora que finalmente estão usando esse design em 14nm, os cores A72 tem potencial. O 652 era meio limitado pelo processo dele em 28nm.

  • Gustavo75

    Ainda não foi desta vez que a Asus me convenceu. Sobre as câmeras, considero que o zenfone 4 possui 1 e não 2 câmeras traseiras, pois a secundária é bem inferior, quase inútil. No geral, ele ficou abaixo do que eu esperava. Estou querendo trocar o meu moto z, e não será pelo zenfone 4, pois o considero superior. Acho que não troco o z nem pelo S8. Os únicos aparelhos que me faria trocar o z seria o google pixel, o htc u11, ou talvez, após análise ,o lg v30; mas infelizmente nenhum deles é vendido no Brasil. Será que a LG vai trazer o V30?

    • Hades Morfeus

      Moto Z não tem led de notificações e a câmera é um trambolho, S8muito superior em tudo. Simplesmente tudo!

    • Luis

      Concordo com vc, tenho um zplay que é irmão do z e de longe melhor aparelho que tive

  • Marcus Araújo

    É, né… O preço não ajuda e a tradução também não. Vamos aguardar o Zenfone 5(?) no ano que vem.

  • Roberto

    Tive um Zenfone 6 e um Zenfone 2 Laser
    Gostava da marca, mas fui abandono duas vezes…
    O 6 ficou preso no Android 5, achei que o problema era a Intel… Fui pro Laser e deu na mesma… Preso no Android 6.
    Poderia até pensar em pegar um Zenfone 4 Max, que é bacana no papel… Mas, se for atualizado, só vai ver o Android 8 em dezembro do ano que vem.
    Para piorar, a câmera é lenta demais, vive travando e é desapontador perder uma gracinha da filha por causa de uma câmera que não funciona.
    Asus nunca mais.

    • Felipe Silva

      Minha mãe usa um zenfone 2 laser, depois de um reset de fabrica e troca por um cartão de memoria por um melhor, a câmera parou de incomodar.

      • Roberto

        Tentei reset, usava um sd classe 10… O g4 da patroa dava de 10×0
        Agora tô com o g5s plus… Nem se compara

  • Mickey Sigrist

    Mesmo com todos os veículos de comunicação especializados falando sobre os eros de Português na ZenUI desde a primeira versão dela, a Asus consegue manter o software com estas falhas bizarras. Será que ninguém na empresa lembrou de citar isso nas reuniões de desenvolvimento de produto? Não é possível que não haja revisão alguma do SO antes de ser liberado para os usuários. É um desleixo muito grande com o público brasileiro em algo absolutamente básico.

  • Rodrigo Moralles

    Cara, “ZenUI não é mais uma interface terrível” kkkkkkk… Esse texto deveria estar no contras como “ZenUI é um interface mediana pra ruim”.

    • Diogo

      Mas a interface da ZenUI tá boa, de verdade, agora. O problema são os erros de tradução, que é uma coisa à parte.

  • Hades Morfeus

    Tendo NFC, Led de Notificações RGB e Botões Capacitivos Retroiluminados é o que interessa. Pra mim o resto é o de menos.

    • Lembrando que só a versão com Snapdragon 660 tem NFC.

      • Mickey Sigrist

        Economia sem sentido por parte da empresa. Pelos preços dos aparelhos todas as versões (Snap 630 e 660) deveriam ter o recurso.

      • Edson Nunes

        Poxa, sacanagem, eles podiam divulgar melhor essa informação.
        Nenhum veículo divulgou isso de maneira clara…
        Comprei o 630 imaginando que teria acesso ao NFC e me dei mal.
        =/

  • Mr. Pug

    Achei bem caro. No mais, sendo um dono satisfeitíssimo de um Zenfone 3 Max 5.5” 3gb (versão de topo dele), eu compraria de olhos fechados o Zenfone 4 se fosse mais barato e eu estivesse precisando trocar de celular. Por enquanto fico com o 3 Max mesmo, que dá conta de tudo que eu preciso e tem uma boa autonomia de bateria.

    Desde março, quando adquiri o meu, tenho percebido o esforço da Asus em não abandonar os usuários mesmo de seus intermediários (olá Samsung e LG). Atualizações menores são frequentes e achei que não teria o Nougat tão cedo mas uns três meses atrás veio o 7.1.1, sem falar que a Asus garantiu que toda linha Zenfone 3 receberá o Oreo. A ZenUi também ficou mais polida nesse meio tempo e não sei se sou desligado mas não noto nada de tão grave nela que desabone o aparelho (e eu venho de dois smartphones seguidos da Motorola com o tão aclamado Android “puro”, Moto G 2014 e depois Moto X 2014). Dito tudo isso, sao grandes as chances de meu próximo smart ser, novamente, um Asus, mas isso é coisa para um Zenfone 5 se tudo continuar nos conformes com o 3 Max (sem defeitos ou perda/roubo).

    • Rafael Rocha

      Samsung não está mais tanto assim, não. Minha mãe tem um Galaxy J5 de 2015 e recebeu hoje mesmo uma atualização de segurança e outros aspectos menores. Pra um smart bem mid-end de dois anos atrás, mostra que eles melhoraram muito nesse sentido.

      • Mas não vi um gran-update no J5 não. Pelo visto upgrade de major vai ficar pra outro aparelho ou pro XDA.

  • Rod

    Podiam ter colocado aí mais umas 10 variantes de cada modelo.

  • Pedro Cavalieri

    Higa, por favor, como ficou o modo retrato na câmera traseira? O processamento também é por software, ou ele se utiliza de ambas as lentes? Tem alguma foto de exemplo? Você ficou satisfeito com o resultado?

  • luis augusto

    Lembro do gerente de marketing da ASUS no brasil que dizia ‘chupa haters’ no lançamento do ASUS 3.kkk. esse smart não vingou ainda no brasil. prefiro a linha moto ou xiaomi.

  • luis augusto

    Tem mais. quem compra Smartphone no Brasil, sinceramente, não sabe que pode comprar smart com configuração muito mais poderosa pela metade do preço importando da china. basta fazer uma triangulação entre china-brasil, passando por armazens nos EUA. Soma tudo e o preço vai ser a metade paga aqui no brasil. com 1400 reais você compra um Xiaomi com configuração de um smartphone de R$ 3.000 aqui no brasil.
    Por que triangular através dos EUA ? : Os vendedores chineses sabem que para entrar no mercado americano tem que ter produtos de alta qualidade. O produto que você importa direto brasil-china NÃO TEM A MESMA QUALIDADE se você fizesse o caminho ‘china-EUA-brasil’.

    • Henrique Seraph

      Discordo. Isso não se aplica sempre, por isso recomendo sempre olhar o vendedor, analisar bem ele. Meu Ulefone veio não apenas om qualidade excelente como o esperado, como o vendedor se deu ao trabalho de mandar 2 peliculas de vidro pra mim de brinde. Mas sim, triangular ajuda bastante. Sobre a taxa, a taxa e imposto serão sempre altos, mas ainda assim compensa

      • luis augusto

        Respeito a opinião contrária, mas usando uma VPV free, já usei IP dos EUA e verifiquei que em alguns produtos vendidos na Aliexpress por exemplo, até os preços eram diferentes para um mesmo produto. Mais caros para o mercado brasileiro e mais baratos para os EUA (onde há um mercado mais competitivo).
        Então, cada caso é um caso. Isso acontece com outros produtos (não apenas Smartfones) preços de camisetas por exemplo.

        • Henrique Seraph

          Ha sim, mas as vendas com demanda tem valores diferentes mesmo, nisso concordo. só ressaltei que nem sempre é assim

    • David Diniz

      Não é todo mundo que sabe como se importa da China um celular ou mesmo precisa de um celular urgentemente. Lembre se disso e cada um faz o que bem entender com o dinheiro que ganha.

    • Emanuel Schott

      Não tem muito dessa não. Você pode comprar porcaria estando no Brasil ou nos EUA. São os mesmos produtos, cabe a você saber o que está comprando.

  • wslemos

    Caro bagarai daqui a 2 meses não vai valer nem 900 cada!

  • Marcus Mendes

    Com esses preços é melhor comprar um IPhone.

  • Marcus Mendes

    A Asus já lançou o 5.É pior ou melhor?

    • Luis

      O 5 é antigo, antes do 2

  • Lucas Henrique

    ZenUI lixo

  • Carol

    Eu tô desistindo do Iphone por conta da bateria que é um lixo e o preço que é um absurdo, tô muito em dúvida entre o S7 Edge e o Zenfone 3 Zoom, minhas prioridades: a qualidade da câmera (incluindo a frontal), bateria e jogo muito pokemon go, é o único jogo que uso, então que tenha um desempenho que pelo menos não trave durante o processo, qual vocês acham melhor?

  • Alice Matos

    Alguém sabe me dizer se no dual chip eu consigo usar o 4g nos 2 chips ou apenas no chip 1, como é o zenfone 2?
    Obrigada desde já

  • Leonardo N. Felix

    Interface porca demais, desanima total de comprar!

  • Joao Aldo

    Boa Noite
    Visitei o site da asus afim de verificar o zenfone 4 com Processador Snapdragon 660 e não encontrei, encontrei apenas o 630 e ele fica em media R$: 2.299,00 foi o melhor que encontrei. Ja tenho o 3 mais agora quero comprar o 4 onde posso encontrar com esse processador mais potente?
    Obrigado e boa noite.

  • Turavin

    Bloatwares heaven

  • André Júnior

    O design da traseira é bem família ao Xiaomi Mi6… kkkk

  • JapoOliver Oliver

    Giro de notícias.

    Laucher da Microsoft transforma seu Android em extensão do PC com Windows 10
    Google Assistente vem deixando a Apple e a Siri para trás

    Fonte: androidpitmais.blogspot….com.br

  • Luis

    Quando fui c comprar meu novo celular, tinha o zf3 e o motoz play, o zf por 1200 (4gb) e o zplay por 1500, a questão interface me fez pegar o zplay, a interface da asus é feio e porca!

  • Hugo Heiki Higa

    A Asus distribuiu o Zenfone 4 com snapdragon 660 para tds os sites fazerem review, entretanto só está disponível para venda os modelos equipados como snapdragon 630. Cadê o aparelho divulgado nos reviews? Se não está disponível, poderiam então fazer um review comparativo entre o Zenfone 4 versão snapdragon 630 vs Zenfone 3 !