Início » Telecom » TIM lança pós-pago com franquia extra para Netflix

TIM lança pós-pago com franquia extra para Netflix

Operadora também comenta pré-pago com franquias e preços melhores que no pós-pago, bem como interesse na Cemig Telecom

Por
40 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A partir de 13 de novembro, novos planos substituem o portfólio do pós-pago da TIM. A empresa continua com a oferta de minutos ilimitados para qualquer operadora do Brasil, mas oferecerá mais internet em algumas categorias e uma franquia exclusiva para Netflix e outros serviços de streaming.

Veja os planos:

  • 4 GB: R$ 109,90 (não houve mudança na franquia)
  • 7 GB: R$ 99,99 (anteriormente 5 GB com bônus de 2 GB)
  • 10 GB: R$ 139,99 (anteriormente 7 GB com bônus de 2 GB)
  • 15 GB: R$ 179,99 (anteriormente 10 GB com bônus de 2 GB)
  • 50 GB: R$ 249,99 (anteriormente 20 GB com bônus de 2 GB)
  • Da Vinci 100 GB: R$ 799,00 (anteriormente 50 GB)
  • TIM Pós Família 15 GB: R$ 149,90 por linha (não houve mudança na franquia)

Clientes atuais do pós-pago da operadora serão migrados automaticamente para os novos planos a partir desta sexta-feira (10). A mudança não trará custo adicional. Os planos possuem fidelidade de 12 meses.

Os planos da TIM ainda incluem SMS ilimitado (que eu duvido que você vá usar), assim como WhatsApp sem descontar da franquia, 30 GB no TIM Protect Backup, TIMmusic by Deezer sem descontar da franquia e acesso ao TIM Banca Virtual. No TIM Black a partir de 10 GB, o cliente leva a assinatura do Cartoon Network Já! o Esporte Interativo Plus, enquanto no plano de 15 GB e 50 GB também há uma assinatura do Looke.

Mas o grande trunfo da TIM é a franquia separada com o mesmo tamanho da franquia principal para alguns serviços de streaming. No momento, o cliente pode utilizar Netflix, Esporte Interativo Plus, Looke e Cartoon Network Já!. Ou seja: o cliente do plano de 7 GB tem mais 7 GB para navegar em um desses serviços sem se preocupar em estourar a franquia principal.

Essa estratégia não é nova no Brasil: faz pouco tempo que a Vivo lançou novos planos familiares com o Double Play. A diferença é que o serviço da concorrente contempla YouTube e Spotify. E não é estranho que o Netflix se mantenha como um dos serviços beneficiados pela TIM, visto que a operadora passou a comercializar pacotes da banda larga fixa TIM Live com degustação de três meses do serviço.

Com os novos planos, a TIM ficou ainda mais agressiva no pós-pago em relação à Claro, que é sua principal concorrente. No plano de entrada, a operadora italiana entrega 1 GB a mais de internet pelo mesmo preço, além da franquia extra para utilização em streaming. Nos planos com maior franquia de dados, a TIM continua sendo mais vantajosa: enquanto a Claro oferece 20 GB por R$ 299,99, a concorrente entrega 50 GB cobrando 50 reais a menos.

Mas o pré-pago é melhor…

Recentemente, a TIM anunciou uma oferta que dá bônus ao cliente do pré-pago que utiliza o plano semanal de forma recorrente. Sendo assim, é possível ter 8 GB por R$ 40 ou 10 GB por R$ 60, considerando que o mês tem quatro semanas.

Durante o anúncio dos resultados financeiros, o CEO da TIM Brasil, Stefano de Angelis, frisou que um dos planos de crescimento da empresa é a migração do cliente pré-pago para o controle, e do controle para o pós-pago. Mas como, se o pré-pago oferece mais internet cobrando menos?

Angelis diz ao Tecnoblog que, “infelizmente”, os clientes do pré-pago no Brasil não costumam utilizar as ofertas semanais de forma recorrente, e que isso não geraria um grande impacto na aquisição de novos clientes para o pós-pago. Ele ainda revelou que a operadora foi bem sucedida na migração de clientes do pré-pago para um controle de R$ 55, que traz como benefício ligações ilimitadas.

Durante o anúncio, a operadora comemorou ser a líder em cobertura 4G no Brasil, e pretende fechar o ano de 2017 com 2.600 municípios cobertos — em setembro, a operadora registrou 2.401 cidades.

Compra da Cemig Telecom

Ainda no anúncio dos resultados financeiros, a operadora evitou comentários sobre uma possível compra da Cemig Telecom, que detém rede de fibra ótica em mais de 100 cidades em sete estados. No entanto, Stefano de Angelis não escondeu o interesse na operadora, e respondeu ao Tecnoblog que a empresa seria um ativo excelente para expandir a TIM Live via FTTH e também a rede de transporte de suas antenas de celular.

Atualizado às 16:34

Mais sobre: