Início » Mobile » Facebook lança aplicativo Messenger Kids para crianças menores de 13 anos

Facebook lança aplicativo Messenger Kids para crianças menores de 13 anos

Por
1 ano atrás

Serviços online como o Facebook pedem que seus usuários tenham pelo menos 13 anos. Isso acontece porque, nos EUA, uma lei exige proteções adicionais para menores de idade na internet.

Por isso, o Facebook preparou um app voltado para crianças de 6 a 12 anos, chamado Messenger Kids. Ele foi lançado hoje nos EUA, inicialmente para iOS, e chegará ao Android nas próximas semanas.

A criança não precisa (nem pode) criar uma conta no Facebook. O pai ou a mãe baixa o Messenger Kids, faz login com seu usuário e senha, cria uma conta para o filho — basta colocar o nome no perfil — e adiciona contatos para a criança conversar.

E como adicionar os amigos do seu filho? Bem, eles precisam usar o Messenger Kids, e você precisa ter os pais deles no Facebook. Nesse caso, você toca para adicionar o contato, e aguarda a autorização dos pais.

Então, o usuário poderá bate-papo em texto e vídeo, enviar GIFs, e usar máscaras e filtros semelhantes aos do Snapchat. Todo o conteúdo é “especialmente apropriado para crianças”, diz o Facebook.

O app não tem anúncios, e o Facebook promete que as informações da criança não são usadas para propagandas. Além disso, o Messenger Kids é projetado para respeitar a COPPA, lei americana de proteção de menores na internet.

Como nota o The Verge, esse app não rende nada de imediato ao Facebook: nem anúncios, nem monitoramento de perfil, nem transações pagas. A ideia seria acostumar as crianças para que elas continuem usando a rede social até a idade em que poderão ver propagandas.

O Google também oferece uma forma de criar contas para usuários abaixo de 13 anos. O Family Link permite aos pais gerenciar o que seus filhos estão fazendo no smartphone, colocar limites de uso, e até bloquear o aparelho na hora de dormir.

Essas iniciativas voltadas para crianças exigem bastante cuidado. O YouTube Kids prometia oferecer apenas vídeos adequados para usuários mais jovens, porém deixou passar bastante conteúdo questionável — como a Peppa Pig bebendo água sanitária, ou o Mickey atropelado por um carro. O Google removeu 150 mil vídeos do tipo após perder grandes anunciantes.

Com informações: Facebook, The Verge.