Início » Brasil » Governo lança Documento Nacional de Identidade, que reúne CPF e título de eleitor

Governo lança Documento Nacional de Identidade, que reúne CPF e título de eleitor

Por
19 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Demorou, mas o governo deu mais um passo rumo ao documento único de identificação: o Documento Nacional de Identidade (DNI) foi lançado nesta segunda-feira (5) como um projeto piloto, que será testado inicialmente por 2 mil servidores públicos do Ministério do Planejamento e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em formato digital, ele reúne os números do CPF e do título de eleitor.

Na prática, o DNI é um aplicativo que pode ser instalado em um smartphone com Android ou iOS. Quando for necessário se identificar, o cidadão pode apresentar o documento na tela do celular, ficando dispensado de mostrar outros papéis, como certidão de nascimento, CPF ou título de eleitor. O documento é válido em todo o território nacional e o custo para a sociedade será de R$ 0,10 por habitante.

Há marcas de segurança no DNI, como um QR Code que “aumenta a verificabilidade do documento, dificultando que uma pessoa possa se passar por outra no momento de se identificar”. O QR Code muda cada vez que o aplicativo for aberto. Além disso, uma marca d’água ao lado e embaixo da fotografia, com a data e hora da abertura do documento, evita que alguém se identifique com uma screenshot, por exemplo.

Inicialmente, o DNI será restrito a 2 mil servidores públicos no projeto piloto. O governo espera que o documento possa ser emitido para toda a população a partir de julho. Para obter o DNI, será necessário ter foto e biometria cadastrados na Justiça Eleitoral, realizar um pré-cadastro no aplicativo e comparecer ao ponto de atendimento mais próximo. Os dados serão validados, e o documento aparecerá no smartphone.

E quem não tiver um celular compatível? Nesse caso, o governo estuda a possibilidade de incluir o número do DNI na carteira de identidade, como já acontece com o CPF (o cartão azul de plástico com tarja magnética não é emitido desde 2010). Já para quem não cadastrou os dados biométricos, ainda será possível obter o DNI nos estados que firmaram convênio com a Justiça Eleitoral, caso de PR, RS, MT, MS, SC, BA e RJ.

No futuro, o Documento Nacional de Identidade pode incluir outros números, caso da Carteira Nacional de Habilitação (CNH); e já existem discussões sobre a utilização do documento para fazer check-in em aeroportos.

Com informações: G1, Valor, TSE.

Mais sobre: ,