Demorou, mas o governo deu mais um passo rumo ao documento único de identificação: o Documento Nacional de Identidade (DNI) foi lançado nesta segunda-feira (5) como um projeto piloto, que será testado inicialmente por 2 mil servidores públicos do Ministério do Planejamento e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em formato digital, ele reúne os números do CPF e do título de eleitor.

Na prática, o DNI é um aplicativo que pode ser instalado em um smartphone com Android ou iOS. Quando for necessário se identificar, o cidadão pode apresentar o documento na tela do celular, ficando dispensado de mostrar outros papéis, como certidão de nascimento, CPF ou título de eleitor. O documento é válido em todo o território nacional e o custo para a sociedade será de R$ 0,10 por habitante.

Há marcas de segurança no DNI, como um QR Code que “aumenta a verificabilidade do documento, dificultando que uma pessoa possa se passar por outra no momento de se identificar”. O QR Code muda cada vez que o aplicativo for aberto. Além disso, uma marca d’água ao lado e embaixo da fotografia, com a data e hora da abertura do documento, evita que alguém se identifique com uma screenshot, por exemplo.

Inicialmente, o DNI será restrito a 2 mil servidores públicos no projeto piloto. O governo espera que o documento possa ser emitido para toda a população a partir de julho. Para obter o DNI, será necessário ter foto e biometria cadastrados na Justiça Eleitoral, realizar um pré-cadastro no aplicativo e comparecer ao ponto de atendimento mais próximo. Os dados serão validados, e o documento aparecerá no smartphone.

E quem não tiver um celular compatível? Nesse caso, o governo estuda a possibilidade de incluir o número do DNI na carteira de identidade, como já acontece com o CPF (o cartão azul de plástico com tarja magnética não é emitido desde 2010). Já para quem não cadastrou os dados biométricos, ainda será possível obter o DNI nos estados que firmaram convênio com a Justiça Eleitoral, caso de PR, RS, MT, MS, SC, BA e RJ.

No futuro, o Documento Nacional de Identidade pode incluir outros números, caso da Carteira Nacional de Habilitação (CNH); e já existem discussões sobre a utilização do documento para fazer check-in em aeroportos.

Com informações: G1, Valor, TSE.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

CAPELOKO

Você que entendeu errado o aplicativo vem com realidade aumentada e renderizou o dedo na tela...kkkkk

Flavio St

Em que pé que está o DNI. Não se fala mais nada a respeito.

John Smith

Pois é. Não sabia desse detalhe. Penso que não deveria ser assim.

John Smith

Mudar de residência, mesmo que pra outro estado, não altera quem você é, nem onde, quando, ou de quem você nasceu. Penso que RG deveria ser um só independentemente do estado de origem.
Mas como já disseram por aí, cada estado tem sua base de dados e a burocracia (impregnada em vários pontos do governo) não permite que o documento seja único, daí inventam essa necessidade de criar mais e mais documentos "únicos".

Artur Domingues
Alguém que se muda?
EWERTON MARCUZZO
Atualmente tu podes fazer uma identidade para cada ente da federação.
Jean Blum
é muita idiotice! deveriam acabar com todos os outros números. Aos 16 anos a carteira virtual deveria habilitar automaticamente o voto. A partir dos 18 anos os órgãos responsáveis pela carteira de motorista habilitariam o número para permitir que as pessoas possam dirigir... Além disso, ao nascer o cidadão já receberia o seu número e em seguida sua carteira, substituindo também a certidão de nascimento. Não acabam com CPF, título de eleitor e o escambau só pra encher o saco do povo mesmo!
Wilde(r)

apple é magica mesmo

Wilde(r)

0,10 por habitante?! tem muito vagabundo por aí! tamo fu

Wilde
0,10 por habitante?! tem muito vagabundo por aí! tamo fu
Wilde
apple é magica mesmo
Don Ramón
O aplicativo terá um custo de R$0,10 por habitante. 208.000.000 x 0,10 = R$ 20.800.000,00 Carinho, hein?! Acho que alguém vai se dar bem... Só acho!
Marcos Guilherme
kkkk, boa observação, rindo muito aqui.
senna_4ever
isso fica mais engraçado quando soube de uma "lei" nos EUA que policiais podem fazer sexo com detidos
Glaucio
Não será necessário tirar cópia mais, tudo será digital.
Exibir mais comentários