Início » Celular » O que há por dentro do Galaxy S9+

O que há por dentro do Galaxy S9+

Emerson Alecrim Por

O pessoal do iFixit não poderia deixar de conferir as entranhas dos novos flagships da Samsung, certo? Certo. A ser lançado no dia 16 em alguns mercados, o Galaxy S9+ foi cuidadosamente desmontado, processo que revelou algo que, a essa altura, já não surpreende: reparar o aparelho não é nem um pouco fácil.

Galaxy S9+ - iFixit

Um ponto positivo destacado pelo iFixit é o fato de o Galaxy S9+ ter muitos componentes modulares que, como tal, podem ser trocados de modo independente, aspecto que, ao menos teoricamente, deixa os custos de reparo mais baixos.

Mas as facilidades terminam aí. O iFixit até destaca que a bateria, de 3.500 mAh, pode ser trocada. O problema é que chegar até ela é um teste de paciência. Há uma placa protetora por cima cuja remoção exige bastante cuidado. Além disso, o componente é fixado com uma cola que só não deu mais trabalho porque foi tratada com um removedor de adesivos.

O iFixit destacou que a bateria é praticamente a mesma que equipa o Galaxy S8+

O iFixit destacou que a bateria é praticamente a mesma que equipa o Galaxy S8+

Por motivos óbvios, a tela é um dos componentes que mais são trocados nos smartphones. No Galaxy S9+, a remoção do display também exige bastante paciência. É necessário aplicar calor cuidadosamente para a cola se soltar e, ao mesmo tempo, desmontar o smartphone quase que inteiramente para o painel ser liberado.

Galaxy S9+ - iFixit

A Samsung sempre prioriza as câmeras em seus modelos high-end, razão pela qual o iFixit olhou com bastante atenção para esses componentes. No caso do S9+, a câmera traseira é dupla, mas forma uma peça só, ou seja, não há um módulo para cada sensor.

Outro detalhe interessante é que, ao contrário das câmeras comuns, a lente com abertura variável não possui cinco ou mais lâminas para nivelar a entrada de luz; esse controle é feito por dois “anéis” giratórios. Como as câmeras estão em um módulo, é perfeitamente possível trocá-las, mas, de novo, chegar até elas não é fácil.

Galaxy S9+ - iFixit

Na parte da frente, o Galaxy S9+ traz entre os seus atrativos avatares 3D (AR Emojis) e desbloqueio via reconhecimento facial ou leitura de íris, mas, tecnicamente, não há grandes diferenças em relação à geração anterior: os módulos de infravermelho, sensor de proximidade, scanner de íris e câmera frontal são quase os mesmos que equipam o Galaxy S8+.

No índice de reparabilidade, o Galaxy S9+ ganhou 4 pontos de 10 (quanto mais alto, melhor), mesma pontuação obtida pelo Galaxy S8 e o Note 8. os detalhes estão no site do iFixit.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Abraão Caldas

Vou te perdoar porque você não conhece o processo de fazer um smartphone, eu conheço um pedacinho e é um processo complexo.

Baidu feat MC Brinquedo

Sim, tô ligado!

Mas vamos pegar como exemplo o iPhone 6:

Desde o iPhone 6 até o iPhone 8, a Apple tem mexido pouco no design e adicionado poucas funções. Em linhas gerais, a carcaça é praticamente a mesma, mudando apenas processador e a adição de mais memória. Claro que por trás temos vários novos truques de softwares, mas em relação ao objeto em si, temos pouca ou nenhuma inovação, então o custo de P&D diluído nessa etapa é muito baixo (até porque ela produz na casa de milhões e milhões). Mas mesmo assim o valor do aparelho aumenta ano após ano.

jacob

Eu ainda prefiro o bom e velho plástico, não é esteticamente a melhor opção, mas é o que temos de mais resistente.

Ticano

Paguei R$ 2.300, 00 no meu S8+, oito meses depois do lançamento, na cissa magazine. Foi no boleto e a vista. Um valor menos terrível para um aparelho que deve durar uns 4 anos ou mais, um baita celular...

Abraão Caldas

P&D é algo constante.

Jhon

Cara, tinha uma época que os lançamentos chegavam por menos de 2000 reais (iPhone 4S por exemplo), mas naquela época o dólar tava metade do que está hoje. O problema maior não é o preço, mas sim o poder de compra desprezível do brasileiro.

Jhon

Ainda prefiro celulares sem a traseira de vidro, abriria mão do carregamento sem fio facilmente.

Jhon

Oferta e procura, meu amigo, se não tivessem vendendo por esse preço com certeza iriam baixá-lo, ou a marca não investiria tanto e estaríamos vendo um Galaxy S5 chegando como novidade esse ano.

S Y N T H W A V E + L O V E R

O que vejo são peças superfaturadas, com custos de produção e montagem bem abaixos do valor que pedem... Mas vamos pagar 4, 5, 10 mil num pedaço de tela, que se desvaloriza em meses, mostrar poder, que sou cool e tenho algo do momento...

Gustavo Hofer

comprei a tampa superior de um mouse da razer, demorou 10 dias pra chegar em curitiba, lá ficou 1 mês pra ser liberado pra sp e

Adsa

Pior! Pode acontecer que nem comigo: Pedi o produto, veio com defeito de fábrica(mandei vídeos e tudo comprovando), e eles só trocavam se eu enviasse de volta, lá na China! A outra opção que me deram era "20$ de desconto na próxima compra"

Adsa

Eu diria que os dois são trouxa igual.

Gustavo Hofer

acho meio estúpido chamar alguém de trouxa por pagar 4000mil num aparelho
não é só o custo benefício que importa aí mais a maneira como a pessoa vai utilizar o aparelho. assim como seria estúpido eu chamar alguém de trouxa por comprar um aparelho chinês pela metade do preço (isso se você não for taxado) e ter que espera 40 dias pra receber, não ter garantia, sem possibilidade de garantia estendida, assistência técnica e seguro.

Gustavo Hofer

aí vc compra uma aparelho pela metade do preço da china espera 40 dias pra receber com a possibilidade de ser taxado. o aparelho vem sem garantia, sem possibilidade de garantia estendida, assistência técnica e seguro.

Qohen Leth

O quê há por dentro de um S9?

Uma bomba!

Exibir mais comentários