Início » Aplicativos e Software » Google encerra acesso à interface do Fuchsia, substituto do Android

Google encerra acesso à interface do Fuchsia, substituto do Android

Google remove arquivos da interface Armadillo para seu futuro sistema operacional Fuchsia, que continua open-source

Por
33 semanas atrás

O Google interrompeu o acesso à interface Armadillo de seu futuro sistema operacional Fuchsia. A empresa removeu 173 arquivos de seu repositório para código aberto. O sistema continua open-source, mas seu visual está sendo desenvolvido em segredo. Ele deve substituir o Android no futuro.

O 9to5Google notou que os arquivos responsáveis pela interface Armadillo foram permanentemente removidos do repositório Topaz, do Fuchsia. Isso ocorreu após uma mudança de código intitulada “O Armadillo desmaiou!”. (Esta é a palavra em inglês para “tatu”.)

Vimos a interface Armadillo pela primeira vez em 2017. Ela estava bastante crua na época, mas já indicava que o Fuchsia teria suporte a diferentes tamanhos de tela — o sistema é pensado para celulares e notebooks.

Alguns meses depois, ele já tinha evoluído bastante. A interface com Material Design é baseada em cards e possui integração com a busca do Google (claro). Havia apps pré-instalados como um navegador web, um player de vídeo e um reprodutor de música.

Com o tempo, o Fuchsia ganhou suporte a login com Google e se tornou mais rápido, fazendo boot em apenas 4,7 segundos no Pixelbook. Um botão circular na parte inferior permite voltar à tela inicial quando você abre um app; mas, ao deslizá-lo para cima, aparece a barra de busca e uma lista de sugestões inteligentes de conteúdo.

Google desenvolve interface do Fuchsia em segredo

Desde maio, o Armadillo não era mais a interface padrão do Fuchsia. Ele foi substituído pelo Ermine, pensado para desenvolvedores testarem aplicativos no novo sistema. Então, agora em dezembro, o Armadillo foi totalmente removido.

O 9to5Google acredita que a interface do Fuchsia provavelmente está sendo desenvolvida no repositório de código fechado “vendor/google”. Comentários públicos sugerem que o Google está preparando pelo menos três novos “shells” (ou interfaces): Dugonglass, Dragonglass e Flamingo.

O Google estaria planejando substituir o Android pelo Fuchsia em smartphones ao longo de cinco anos; o primeiro dispositivo deve ser lançado em 2021. O sistema não usa o Linux como base, e sim um kernel chamado Zircon (baseado no LK). Ele está sendo testado pela Huawei no Honor Play.

Imagens por 9to5Google

Mais sobre: , ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.