Início » Legislação » Facebook é questionado na União Europeia por plano de unir WhatsApp, Instagram e Messenger

Facebook é questionado na União Europeia por plano de unir WhatsApp, Instagram e Messenger

A Comissão Irlandesa de Proteção de Dados quer saber como as plataformas serão integradas

Victor Hugo Silva Por
45 semanas atrás

O Facebook deseja integrar as mensagens de WhatsApp, Instagram e Messenger, mas antes precisará combinar com autoridades da União Europeia. A Comissão Irlandesa de Proteção de Dados, que regula a empresa no continente, já pediu esclarecimentos sobre o plano.

Em nota publicada na segunda-feira (28), a comissão afirma ter solicitado ao Facebook "um resumo urgente sobre o que está sendo proposto". O órgão deseja saber como as plataformas serão ligadas, apesar de entender que a ideia está em uma etapa "muito inicial de desenvolvimento".

Mark Zuckerberg, CEO e fundador do Facebook

"A Comissão Irlandesa de Proteção de Dados examinará de perto os planos do Facebook conforme eles se desenvolverem, particularmente na medida em que envolverem o compartilhamento e a fusão de dados pessoais entre diferentes empresas do Facebook", diz o comunicado.

A autoridade aponta que buscará garantias de que a companhia levará em conta todas as preocupações sobre proteção de dados. E lembra: "a integração proposta só poderá ocorrer na União Europeia se for capaz de atender todos os requisitos do GDPR [Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados]".

O debate a respeito da integração de serviços do Facebook não é novo e ocorre, ao menos, desde a compra do WhatsApp. Em entrevista concedida em 2018 à Forbes, o cofundador do WhatsApp, Brian Acton diz que não soube dos planos de Mark Zuckerberg de mesclar dados entre as duas plaformas até a aquisição ser aprovada.

"Fui instruído a explicar que seria realmente difícil mesclar dados entre os dois sistemas", disse Acton, ao lembrar de uma conferência com representantes da Comissão Europeia de Concorrência. Um ano e meio depois do acordo, o WhatsApp atualizou seus termos e abriu a brecha para o Facebook integrar dados dos usuários.

O plano do Facebook também foi criticado por autoridades americanas. Para o deputado Ro Khanna, da Califórnia, as compras do WhatsApp e do Instagram deveriam ter sido mais analisadas para evitar situações como essa.

"Imagine como o mundo seria diferente se o Facebook tivesse de competir com Instagram e WhatsApp", afirmou. "Isso teria encorajado uma competição real que teria promovido a privacidade e beneficiado os consumidores".

O modelo de integração ainda não foi definido pelo Facebook, mas, aparentemente, a empresa deseja colocar as mensagens de WhatsApp, Instagram e Messenger sob o mesmo guarda-chuva. A companhia garante que, apesar das informações passarem para o mesmo local, as três plataformas continuarão sendo indepententes e funcionando de maneira separada.

Com informações: MashableThe Verge.