Início » Telecomunicações » TIM encerra 2018 com lucro de R$ 1,5 bilhão e aposta no crescimento do pós-pago

TIM encerra 2018 com lucro de R$ 1,5 bilhão e aposta no crescimento do pós-pago

TIM apresentou lucro 26,6% maior em 2018 com migração de clientes para pós-pago e expansão do TIM Live

Lucas Braga Por
39 semanas atrás

O grupo TIM divulgou seus resultados financeiros de 2018 nesta quarta-feira (19) e fechou o ano longe do vermelho: a operadora atingiu lucro líquido de R$ 1,566 bilhão, alta de 26,6% se comparado ao ano anterior. Ela desligou linhas pré-pagas e adicionou clientes do pós-pago, aumentando o gasto médio por usuário; e expandiu a internet por fibra óptica do TIM Live.

A receita líquida da TIM totalizou R$ 4,4 bilhões no quarto trimestre, com crescimento em todos os segmentos: móvel, fixo e produtos. A receita líquida de serviços (linhas fixas e móveis) aumentou 4,7% em um ano.

A operadora destaca o crescimento da receita de produtos de 40% no quarto trimestre, comparado ao ano anterior: mesmo com a redução do volume de aparelhos comercializados (-4,2%), um melhor mix das vendas contribuiu para a elevação do preço médio, alavancado principalmente durante o período da Black Friday.

O custo de operação normalizado foi de R$ 10,4 bilhões, valor que é 2% maior do que o ano de 2017. O Capex (investimento) somou R$ 4 bilhões em 2018, ligeiramente abaixo do investido em 2017 (R$ 4,1 bilhões); esses valores não incluem aquisições de licenças.

O EBITDA normalizado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 1,8% e atingiu a marca de R$ 6,5 bilhões durante o ano, com margem EBITDA de 38,5%. Os números foram normalizados pela atualização monetária sobre o crédito fiscal e contingências fiscais e trabalhistas.

TIM lidera cobertura 4G e quer migração para pós-pago

O ARPU (gasto médio mensal por usuário) geral de serviços móveis foi de R$ 22,40, registrando crescimento de 11% comparado com o ano anterior. No quarto trimestre, o ARPU do pré-pago foi de R$ 12, enquanto do pós-pago foi de R$ 39,80.

Com a reformulação dos planos pré-pagos, a operadora manteve estável o ARPU dos clientes pré-pagos, mas foca na migração para planos controle e pós-pago puro, com ofertas fidelizadas para aumentar a permanência.

A TIM fechou o ano com 55,9 milhões de clientes móveis, sendo 35,6 milhões na base pré-paga e 20,2 milhões no pós-pago. Ela desligou 12,6% das linhas pré-pagas entre 2017 e 2018, mas adicionou 13,7% na base pós-paga.

A operadora segue líder de cobertura 4G, com 3.272 mil cidades cobertas. (A Vivo está no segundo lugar com presença em 3.100 municípios.) 76% do tráfego de dados da TIM é gerado através da rede 4G, enquanto 92% do tráfego total já ocorre em dispositivos compatíveis com a tecnologia.

A TIM cobre 1.426 municípios com 4G na frequência de 700 MHz, além de fazer refarming em 2.221 cidades na frequência de 1.800 MHz e em 244 municípios no 2.100 MHz. O serviço VoLTE, que permite chamadas na rede 4G, está presente em 2.522 municípios, atingindo 76% da população urbana.

TIM expande fibra óptica do TIM Live

Enquanto isso, o ARPU da TIM Live de 2018 foi de R$ 76, registrando alta de 13% em relação ao ano passado. No último trimestre, o gasto médio mensal por usuário foi de R$ 82,10, desempenho que é explicado pela penetração de ofertas de maior valor com velocidades maiores após ampliação de cobertura do serviço via FTTH (fibra óptica).

São 467 mil clientes TIM Live, crescimento de 19% em relação ao ano anterior. Durante 2018, a operadora iniciou o serviço em 7 novas cidades, tendo o serviço presente em 4,3 milhões de residências home passed.

No entanto, a expansão parece ser discreta: apenas 40% dos novos clientes possuem planos com velocidades maior ou igual a 100 Mb/s, que é a menor velocidade oferecida onde há cobertura apenas em FTTH.