Início » Celular » Xiaomi Redmi Note 7, Redmi Go e Redmi 7 passam por homologação da Anatel

Xiaomi Redmi Note 7, Redmi Go e Redmi 7 passam por homologação da Anatel

Redmi Note 7 tem câmera dupla de 48 megapixels; Redmi 7 traz bateria de 4.000 mAh e Android 9 Pie

Felipe Ventura Por

Mais celulares da Xiaomi parecem estar a caminho do Brasil: o Redmi Note 7, Redmi Go e Redmi 7 estão passando por homologação da Anatel. Eles ainda não foram aprovados pela agência, mas isso parece ser questão de tempo. O Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro já são vendidos no país através da DL.

Redmi Note 7

Cesar Cardoso, do Pinguins Móveis, encontrou os três aparelhos Redmi em sua ronda periódica do sistema SCH da Anatel. Como eles ainda não foram aprovados, seus documentos técnicos não foram liberados ao público — ou seja, não há como ver quem solicitou a homologação.

O Tecnoblog entrou em contato com a DL para saber se foi ela. A empresa diz que “por enquanto” está responsável apenas pela distribuição do Pocophone F1 e Redmi Note 6 Pro.

O Redmi Note 7 foi o primeiro celular da Redmi como marca independente e fez sucesso graças ao custo-benefício, ultrapassando 1 milhão em vendas na China. Ele tem câmera dupla com sensor principal de 48 megapixels, bateria de 4.000 mAh e Android 9 Pie com MIUI custando a partir de US$ 150.

Acredito que esta seja a versão sendo homologada pela Anatel, mas vale lembrar que há um modelo do Redmi Note 7 vendido na Índia que é mais simples, com câmera dupla de 12 MP + 2 MP; as outras especificações são iguais. Lá, é possível comprar o Redmi Note 7 Pro — este sim com sensor de 48 megapixels.

Redmi 7 e Redmi Go custam menos que Redmi Note 7

Redmi 7

Por sua vez, o Redmi 7 e Redmi Go apareceram no sistema da Anatel em meados de março. O Redmi 7 foi projetado para atingir níveis de preços mais baixos: ele possui tela de 6,26 polegadas com resolução HD+ (em vez de Full-HD+ como no Redmi Note 7); bateria de 4.000 mAh recarregada pela porta microUSB (em vez de USB-C); e câmera traseira dupla com sensores de 12 megapixels e 2 MP. Este aparelho custa a partir de US$ 100.

Por fim, o Redmi Go é ainda mais modesto por rodar Android Go. Temos aqui uma tela HD de 5 polegadas, 1 GB de RAM, câmera traseira de 8 megapixels e bateria de 3.000 mAh. Ele custa cerca de US$ 75.

O sistema da Anatel também menciona outros celulares da Xiaomi: o Redmi Note 6 Pro, à venda no Brasil em lojas físicas da Ricardo Eletro; o Redmi 2, que foi lançado no país em 2015; e o Redmi Note 4x, que foi homologado inclusive com manual em português, mas que nunca chegou oficialmente por aqui.

Xiaomi Redmi Note 7 – ficha técnica:

  • Tela: 6,3 polegadas, Full-HD+ (2340 × 1080), proporção 19,5:9, painel LCD, brilho de até 450 nits, contraste de até 1.500:1, vidro Corning Gorilla Glass 5 2.5D
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 660
  • RAM e armazenamento: 3 GB + 32 GB, 4 GB + 64 GB ou 6 GB + 64 GB, expansível por microSD
  • Câmera traseira dupla: sensor principal de 48 megapixels f/1,8 (Samsung ISOCELL GM1 Ultra Clear) + sensor de profundidade de 5 megapixels
  • Câmera frontal: 13 megapixels
  • Sistema operacional: Android 9 Pie com MIUI 10
  • Bateria: 4.000 mAh com suporte a Quick Charge 4.0
  • Mais: USB Type-C, entrada 3,5 mm para fone de ouvido, leitor de digitais na traseira, blaster infravermelho, resistência a umidade

Xiaomi Redmi 7 – ficha técnica:

  • Tela: 6,26 polegadas, HD+ (1520 x 720), 269 ppi, painel LCD IPS, vidro curvo 2.5D Gorilla Glass 5
  • Processador: Snapdragon 632 octa-core
  • RAM e armazenamento: 2 GB/16 GB, 3 GB/32 GB e 4 GB/64 GB, expansível por microSD de até 512 GB
  • Câmera traseira dupla: 12 megapixels, abertura f/2,2, 1,12 um + 2 megapixels (profundidade)
  • Câmera frontal: 8 megapixels
  • Sistema operacional: Android 9 Pie com MIUI 10
  • Bateria: 4.000 mAh com carregamento rápido de 10 W
  • Mais: microUSB, entrada 3,5 mm para fone de ouvido, leitor de digitais na traseira, IR blaster, nanorrevestimento interno P2i contra umidade

Xiaomi Redmi Go — ficha técnica:

  • Tela: 5 polegadas, resolução de 1280 x 720 pixels, proporção 16:9, painel IPS LCD, contraste de até 1.000:1
  • Processador: Snapdragon 425 quad-core com GPU Adreno 308
  • Memória RAM: 1 GB
  • Armazenamento: 8 GB expansíveis com microSD de até 128 GB
  • Câmera traseira: 8 megapixels com abertura f/2,0 e pixels de 1,12 µm
  • Câmera frontal: 5 megapixels com abertura f/2,2
  • Sistema operacional: Android 8.1 Oreo (Go Edition)
  • Bateria: 3.000 mAh
  • Mais: microUSB, entrada 3,5 mm para fone de ouvido, Bluetooth 4.1, Wi-Fi 802.11 b/g/n de 2,4 GHz, suporte a dual SIM

Atualizado às 13h39

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Celso

O Android Go no Brasil basicamente só está servindo para que smartphones com 512 MB, 768 MB ou 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento ainda sejam produzidos, e ainda tenham o respaldo da Google.
Tenha certeza que as empresas BR adoraram a iniciativa.
Em compensação, para entrar no programa Android One...

johndoe1981

Sem NFC não rola.

Bruno Caracciolo Novais

1º de Abril mandou abraços. rsrs

Maicon Bruisma

Fariam se valesse a pena.

Chablau Balau

A Mi Story Brasil em seu Instagram confirmou parceria oficial com a Xiaomi para trazer seus aparelhos e ainda abrir lojas físicas no país. Agora em abril ja estará trazendo diversos aparelhos que serão vendidos de forma Oficial e tudo nos conformes. De acordo com a Mi Story Brasil eles irão trabalhar desde celulares mais simples até os lançamentos, assim receberemos aparelhos fresquinhos fornecidos pela própria Xiaomi.

Agora basta saber a respeito dos precos, se permanecer os mesmo preços dos aparelhos de seu site, será a melhor maravilha do mundo (pois alguns aparelhos saem no mesmo preço que importar, pagando frete e taxa). AcabouMotorola e Samsung no Brasil se assim continuar.
Por favor Mi Story Brasil, continue assim e não faça como a DL com seus preços multiplicados.

Hemerson Silva

Considerando 60% de imposto de importação, nem sempre importar é a melhor saída. Lembrando que empresa, PJ, não tem gambiarra de "taxa padrão".

Hemerson Silva

Mano, Redmi 5 Plus é passado, ninguém irá homologar um aparelho defasado demais para vender por aqui hehe

Maicon Bruisma

Mil pila um A2 abusivo onde?

Jairo ☠️

Os preços da MI store são abusivos

Vinícius

No meu caso não acho preço de ML absurdo não. Moro em MG. 25% de ICMS fora 60% de importação. Mesmo que seja taxado na "taxa padrão" de 200 conto, ainda fica bem perto de comprar aqui, chegando em 2 dias e ainda parcelando sem juros.

Mickão

Se lançarem por R$3.000,00 vai vender pra caralho!

Pedro Ribeiro

A mi store BR vai representar a Xiaomi oficialmente no Brasil.
Postaram hoje no instagram deles.

Roque Lourenço de Oliveira

O mi 8 lite foi homologado pela Anatel, alguém pode me informar

JOSÉ AUGUSTO

a pessoa que vai pagar no Ricardo eletro liga mais para o valor da parcela do que o preço final do produto.

Ed. Blake

É para o pessoal do Mercado Livre que já pede preços absurdos não ter que baixarem seus preços.

Exibir mais comentários