Início » Brasil » Xiaomi tenta barrar registro de marca MiStore por outra empresa no Brasil

Xiaomi tenta barrar registro de marca MiStore por outra empresa no Brasil

Empresa brasileira JCell tentou registrar marca MiStore e Xiaomi apresentou oposição ao pedido, segundo INPI

Felipe Ventura Por

Vários fãs de tecnologia vêm aguardando o retorno da Xiaomi ao Brasil: por enquanto, temos oficialmente apenas uma parceria com a DL que trouxe o Pocophone F1 e o Redmi Note 6 Pro. Rumores dizem que a fabricante estaria registrando a marca “MiStore” no Brasil, mas não é verdade: ela está tentando barrar outra empresa de fazer isso.

O Tudo Celular publicou uma notícia nesta terça-feira (2) com o título: “Xiaomi abre processo de registro para marca MiStore no Brasil”. O site diz que o pedido foi feito pela JCell Celulares, antiga dona da Mi Store Brasil, e pela própria Xiaomi Inc.

Mas não é isso que consta no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). A Xiaomi nunca solicitou o registro da marca “MiStore”: na verdade, quem fez isso foi apenas a JCell. Além disso, a Xiaomi apresentou uma oposição ao pedido — ou seja, a chinesa não quer que ele seja aprovado.

A base de dados do INPI mostra que a JCell Celulares fez o pedido da marca no dia 5 de novembro de 2018. Enquanto isso, a oposição da Xiaomi foi registrada em 11 de fevereiro deste ano.

Em sua página do Facebook, a Mi Store Brasil confirma a informação: “a verdade está na matéria [do Tecnoblog], solicitamos o registro de uma marca e a Xiaomi se opôs”.

O INPI não divulga o motivo pelo qual a Xiaomi se opôs ao registro da marca “MiStore” pela JCell. Cabe notar, no entanto, que ela possui três registros em vigor da marca “Mi” no Brasil, válidos até pelo menos 2025, englobando produtos como celulares, notebooks, alto-falantes e câmeras.

JCell dizia ter criado “revendedor autorizado Xiaomi”

No ano passado, a JCell aparecia como criadora da loja Mi Store Brasil, que dizia ser um “revendedor autorizado Xiaomi”. Após questionamentos do Tudo Celular, ela mudou a descrição para “loja especializada em Xiaomi”.

Então, algum tempo depois, a Mi Store Brasil passou a dizer: “somos um domínio criado por JCELL CELULARES LTDA CNPJ: 24.160.696/0001-81 e gerido por ACTION SALES COMPANHIA DIGITAL LTDA CNPJ: 29.497.760/0001-38”.

Hoje, a Mi Store Brasil se descreve assim: “somos um domínio gerido por ACTION SALES COMPANHIA DIGITAL LTDA CNPJ: 29.497.760/0001-38”, sem fazer mais referências à JCell. No entanto, seu perfil na Amazon Brasil ainda lista o nome comercial como “JCELL CELULARES LTDA”.

Xiaomi tem marcas registradas em vigor no Brasil

O procedimento para registrar uma marca funciona assim: a empresa deposita o pedido no INPI e o órgão faz um exame formal, apenas para constar que todos os dados necessários estão presentes. Então, o pedido é divulgado publicamente para que outras empresas possam analisá-lo e apresentar oposição, caso a marca em questão viole seus direitos de propriedade intelectual.

Feito isso, o pedido passa por uma nova análise do INPI, chamada de exame substantivo. A marca pode ser deferida, com validade inicial de 10 anos (o prazo é prorrogável); ou ela pode ser indeferida (e cabe recurso).

No caso da Xiaomi, a empresa tem diversas marcas registradas no Brasil, desde a época em que atuava por aqui. Eis alguns exemplos que estão em vigor atualmente:

  • Mi (solicitada em 2013)
  • Xiaomi (solicitada em 2013)
  • Redmi (solicitada em 2014)
  • Mi WiFi (solicitada em 2014)
  • Mi Box (solicitada em 2014)
  • Mi Pad (solicitada em 2014)
  • Mi TV (solicitada em 2014)
  • MIUI (solicitada em 2017)

Além disso, em 2018, ela solicitou as marcas MiPay (indeferida, cabe recurso) e Poco (aguardando exame de mérito). Nada disso significa que esses produtos tenham lançamento garantido no Brasil: a Xiaomi está apenas protegendo suas marcas ao redor do mundo.

A Xiaomi nunca solicitou o registro da marca “MiStore” no Brasil.

Algumas das marcas registradas pela Xiaomi no Brasil:

Descrição da Mi Store Brasil diz: “Não temos nenhum vinculo oficial com a Xiaomi”

Perfil da Mi Store Brasil na Amazon ainda lista seu nome comercial como “JCELL CELULARES LTDA”:

Página da Mi Store Brasil no Facebook também menciona a JCell:

Atualizado às 20h

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Sarney

Os caras fingem ser uma loja oficial da Xiaomi a todo o custo kkkkkk

Anderson Felix Garcia

Essa Mi Store Brasil sempre foi uma fraude. Diziam ser revendedor AUTORIZADO!!! Que grande coisa. Tudo golpista atrás de dinheiro, enganando o povo. Que vergonha!!!

Cicero Pavei

Se isso acontecer um telefone Xiaomi no Brasil vai custar 10 mil reais porque aqui só tem aproveitadores da boa fé dos consumidores

Eduardo Braga

Sério isso? kkkkk

Paulo Freire

Lógico eles não checam primeiro igual a notícia do moto g8 no dia 1 de abril

Paulo Freire

Mais uma barriga não checam as coisas antes e saem divulgando, nesse caso deveria ter checado quem pediu o registro da marca mi atire que no caso foi feito por uma empresa que revende produtos da Xiaomi no Brasil a intenção da empresa e Clara de enganar o consumidor com o nome mi store

Baidu feat MC Brinquedo

Só uso o comparador de celular deles e olhe lá.

Tecmundo, tudocelular e Androidpit (br) só sobrevivem de clickbait.

Só me lasco

Sim, mas a questão é que o Brasil tem um mercado muito difícil de se trabalhar, por enquanto é Interessante para empresa vender nos arredores, o verejo importa esses produtos e vendem a um preço aceitável, o imposto depois da oficialização iria impactar ou no lucro ou na quantia de vendas, e os brasileiros não tem costume de usar os apps da empresa, ou seja, aqui no país não geramos receita com a maior fonte de renda da empresa que é anúncios em softwares e vendas de aplicativos, eles teriam que criar uma estratégia nova de distribuição apenas para nosso país

Artur Domingues

A Xiaomi tem muito usuario no Brasil, provavelmente muito mais que qualquer pais da América latina, justamente pela população e mercado serem enormes.

Tulio Reis Assis

Fábio caso cria um login no INPI e possível acesso ao documento de oposição.

Highlander

E eu desconfiei e fiz um comentário lá achando que era outra Fake News. Dito e feito!!!
hahahahahahaha https://uploads.disquscdn.c...

💀GHOC💀

Deixa registrarem, só vai desovar os refugos mesmo

Só me lasco

Proteger a marca e evitar oficialização secundária pode significar interesse no território, talvez eles estão usando a DL como um experimento, se resultar em uma boa quantidade de usuários da MIUI no Brasil eles possam oficializar algo diretamente deles, mas por aqui a marca não tem uma popularidade tão grande quanto no resto do ocidente, mas em um Gap de até 5 anos as vendas podem atrair uma expansão da marca para o território, e ter o nome Mi Store a disposição para registro iria facilitar o processo de expansão caso aconteça, mas isso é bem mais uma segurança da marca pensando no que pode acontecer no futuro do que uma dica que ela está chegando no Brasil

Kevin Silva

Excelente matéria! Por essas e outras é o melhor site tech do BR

Rookie naz

Haha, bem lembrado

Exibir mais comentários