Início » Celular » Os novos iPad Mini e iPad Air (2019) utilizam cola até nos cabos

Os novos iPad Mini e iPad Air (2019) utilizam cola até nos cabos

Ambos os tablets utilizam cola nos cabos, placas e na bateria, dificultando o trabalho de reparo ou troca de componentes

André Fogaça Por
33 semanas atrás

O iFixit publicou nesta semana o desmonte dos dois novos iPads que foram lançados no mês passado: o novo iPad Air e o iPad Mini (2019). Os dois tablets continuam oferecendo grande dificuldade para o reparo e o único ponto positivo listado pelo site foi que é possível utilizar uma única chave Phillips para soltar todos os parafusos.

Novo iPad Air tem placa lógica no meio das baterias

Os novos iPads Air e Mini ainda não foram lançados no Brasil, mas lá fora eles já estão nas prateleiras. Os dois trazem o processador A12 Bionic (o mesmo que está nos iPhones XS, XS Max e XR), opções de até 256 GB de memória e suporte para a primeira geração do Apple Pencil - aquele que fica plugado na porta Lightning para recarga da bateria interna.

Além disso, ambos são complicados para um reparo simples e que pode ser feito dentro de casa. O iFixit abriu e desmontou os dois modelos, notando que apenas uma chave Phillips é o necessário para soltar todos os parafusos que estão no produto, mas você vai precisar de paciência e mais trabalho para remover a cola que está nas baterias e até mesmo na placa lógica.

No iPad Mini a placa está no lado esquerdo do gadget, enquanto que no iPad Air ela fica no meio, o que ajuda na hora de esquentar em uma área que está longe do toque dos dedos. Por outro lado, o botão home de ambos os modelos precisa ser trocado se o usuário substituir a tela - isso se você quiser continuar utilizando o Touch ID depois da troca.

O curioso é que a bateria do iPad Mini (2019) tem exatamente a mesma capacidade de energia da geração anterior, marcando em 19,32 Wh. Já a nova geração do iPad Air recebeu mais energia e coloca 30,8 Wh, contra 27,6 Wh do Air 2 - faz sentido, já que ele tem tela maior, o que automaticamente gasta mais energia em todos os momentos de uso.

Por fim, os dois modelos utilizam memória RAM LPDDR4X, sendo que no iPad Mini (2019) a fabricante encontrada foi a Samsung, enquanto que no Air 3 é a menos conhecida SK Hynix.

A nota final que o site deu para ambos é dois de 10. Os comentários ficaram para a dificuldade de reparo pela quantidade de cola que está presente nas placas, cabos e na bateria. A troca da bateria é mais difícil do que poderia ser e o conector do cabo Lightning é soldado na placa, o que dificulta na hora do manuseio. O único ponto positivo fica na chave Phillips que dá conta de todos os parafusos.

iPad Mini (2019) tem a mesma capacidade de bateria da geração anterior

Com informações: iFixit e iFixit.