Início » Celular » Huawei P30 Pro: a câmera é tudo isso mesmo

Huawei P30 Pro: a câmera é tudo isso mesmo

Huawei volta ao Brasil com câmera que enxerga longe, desempenho impecável e design sofisticado, mas cobra por isso

Paulo Higa Por
Nota Final 9.3

Depois de três anos se aventurando em outros países, a Huawei voltou ao mercado de smartphones no Brasil. O destaque do retorno da fabricante chinesa é o P30 Pro, um celular topo de linha que promete muito desempenho, bateria de longa duração e design sofisticado, mas cujo principal diferencial é a fotografia.

O P30 Pro tem quatro sensores na câmera traseira, que faz questão de ressaltar a tradicional marca da Leica. Com uma combinação de hardware e software, a Huawei garante que você consegue tirar fotos da escuridão total, de cenários com muita variação de luz e de objetos bem distantes — até da lua.

Mas será que ele é tudo isso mesmo? Vale a pena pagar R$ 5.499 pelo celular da reestreia da Huawei no Brasil? Eu estou usando o P30 Pro como meu smartphone principal há mais de um mês e conto tudo nos próximos minutos.

Análise do Huawei P30 Pro em vídeo

Design

Huawei P30 Pro

Eu não consigo contar nos dedos quantas pessoas se impressionaram com o design do P30 Pro quando viram o aparelho pessoalmente. As imagens de divulgação da Huawei não fazem jus à beleza do produto porque elas não conseguem mostrar com fidelidade a traseira do celular, que muda de acordo com a luz. A minha unidade de testes, a Breathing Crystal, parece ser branca, mas também fica azul ou lilás, dependendo do ângulo.

Além de ser bonito, o P30 Pro tem boa ergonomia. O formato dele lembra os celulares mais caros da Samsung, como o Galaxy S10, com laterais curvadas tanto na traseira quanto na tela. Antes de colocar a capinha transparente de silicone, a construção do celular passa uma boa impressão, com botões precisos, bordas prateadas e componentes muito bem encaixados.

Huawei P30 Pro

Existem alguns detalhes peculiares na carcaça do P30 Pro. O primeiro é um componente que eu não encontrava há muito tempo em celulares vendidos no Brasil: um sensor infravermelho, na borda superior, para controlar dispositivos como TVs, decodificadores e ares-condicionados. O aplicativo de controle remoto vem pré-instalado e funciona com uma infinidade de marcas.

O outro detalhe é que a bandeja para os dois chips de operadora fica embaixo, perto da entrada USB-C. E aqui temos um inconveniente: a Huawei decidiu que seria uma boa ideia inventar um novo formato de cartão de memória. Então, em vez de suportar microSD, como quase todo celular, o P30 Pro tem uma entrada para um tal de NM Card, que é do mesmo tamanho de um Nano-SIM. Talvez você não precise expandir a memória interna, mas, se precisar, boa sorte tentando comprar um NM Card por aí.

Huawei P30 Pro

E, falando em decisões controversas, o P30 Pro também deixa de lado a entrada para fones de ouvido de 3,5 mm, um item cada vez mais raro nos celulares. Mas não só isso: a Huawei envia um fone de ouvido USB-C bem simples na caixa (que lembra muito os Apple EarPods) e… não manda um adaptador. Então, você precisa comprar o acessório por fora se quiser usar seu próprio fone de ouvido ou partir para um modelo Bluetooth mesmo.

Tela (e o leitor de impressões digitais)

Huawei P30 Pro

A tela do P30 Pro é uma OLED de 6,47 polegadas com resolução de 2340x1080 pixels. Sim, ela tem menos definição que um Galaxy S10 ou iPhone XS, mas isso não chega a incomodar (e eu duvido que alguém perceba alguma diferença na nitidez do painel, mesmo comparando lado a lado). É um display de boa qualidade, com ótimo ângulo de visão e brilho forte o suficiente para permitir a visualização sob a luz do sol.

Os cantos do display são arredondados e as laterais são curvadas — mas, diferente da Samsung, a Huawei não desenvolveu nenhum recurso de software específico para aproveitar esse detalhe; é só uma questão de design mesmo. Existe um notch em formato de gota para abrigar a câmera frontal de 32 megapixels e, como de costume, ele pode ser ocultado via software.

Huawei P30 Pro

O leitor de impressões digitais fica sob a tela. Apesar de ser óptico, não ultrassônico, ele funciona bem no dia a dia. O sensor não consegue ler minha digital quando meu dedo está suado ou levemente molhado, mas, em condições normais de temperatura e pressão, é bastante rápido e preciso. A implementação de software da Huawei foi boa, de modo que eu sempre sei exatamente onde colocar o dedo ali.

E tem mais coisa escondida embaixo do display. A Huawei não colocou um alto-falante frontal para ouvir ligações telefônicas (ou mensagens de voz no WhatsApp, se você for do século XXI). Em vez disso, ele tem um speaker interno que vibra a tela para emitir som. É tão natural e funciona tão bem que eu só pensei nele duas vezes — quando acompanhei o evento de lançamento em Paris e quando estava fazendo este review.

Software

Huawei P30 Pro - Software

O P30 Pro vem com Android 9.0 Pie, mas isso não importa tanto, porque o visual não lembra em quase nada o Android do Google. A interface da Huawei é a EMUI, que pega emprestado vários detalhes do iOS, assim como fazem outras fabricantes chinesas.

Por padrão, todos os ícones de aplicativos são quadrados com cantos arredondados e ficam espalhados pelas telas iniciais; se você quiser um menu de aplicativos, precisa fuçar nas configurações. O visual é todo branco e, por algum motivo, a Huawei decidiu esconder o modo noturno nativo do Android: pesquisando um pouco, você vai encontrar uma opção chamada “Esmaecer cores da interface” no menu de bateria. Porque sim.

Huawei P30 Pro - Software

Quem quiser deixar o P30 Pro mais parecido com um iPhone pode ativar a navegação por gestos, que elimina a barra tradicional com os botões de voltar, início e multitarefa: é só deslizar para cima para abrir a tela inicial; dar uma paradinha antes para ver os aplicativos abertos; e deslizar a partir da lateral para voltar. Esse último gesto não funciona bem porque entra em conflito com aplicativos que possuem menus laterais — se a Huawei mantivesse os gestos nativos do Android, a incompatibilidade não existiria.

Huawei P30 Pro

Na versão ocidental, além do pacote padrão do Google, a Huawei manda uma série de aplicativos pré-instalados. A maioria é bem útil, com destaque para o Controle Remoto, o gerenciador de arquivos e o navegador da Huawei, que suporta modo noturno nas páginas para não ofuscar sua visão. Mas você também vai encontrar o AppGallery, uma espécie de loja de aplicativos da Huawei que mostra uma propaganda de tela cheia no começo e tem uns aplicativos de utilidade duvidosa para você instalar.

Huawei P30 Pro

Não é o melhor software do mundo e, claramente, falta refinamento em vários pontos. Mas, no geral, eu gostei da interface da Huawei: ela é bem cuidada, tem uma boa tradução para o português e é extremamente personalizável. Se você tiver tempo livre para explorar as entranhas do sistema, vai conseguir deixar tudo ao seu gosto.

Câmera

Huawei P30 Pro

Toda a propaganda do P30 Pro é focada em fotografia. E a Huawei tem um bom motivo para isso: a câmera desse celular é uma das melhores que eu já testei na vida. E com certeza é a mais interessante até agora: o conjunto óptico é bem impressionante em números, e o software faz questão de ressaltar as qualidades do hardware.

A câmera traseira ostenta a grife da Leica e tem quatro sensores. O principal é de 40 megapixels, tem lente com abertura f/1,6 e traz um arranjo de cores diferente: em vez do tradicional RGB (vermelho, verde e azul), o sensor é do tipo RYB (vermelho, amarelo e azul) que, segundo a Huawei, consegue capturar mais luz. Além disso, o P30 Pro tem uma câmera ultrawide, uma teleobjetiva com zoom óptico de 5x e um sensor de profundidade.

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

No modo automático, a Huawei não tem muito compromisso com a realidade: as fotos tiradas com o P30 Pro são aquelas visualmente sensacionais, prontas para compartilhar no Instagram sem fazer nenhuma edição prévia. O céu sempre é mais azul, as luzes sempre são mais impactantes e os pratos de comida sempre parecem mais deliciosos. Pode não agradar os fotógrafos mais puristas — mas não tem como negar que as fotos ficam incríveis.

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Nos primeiros dias de teste, as fotos do P30 Pro eram muito inconsistentes, mas uma atualização de software resolveu os problemas da câmera. Em regra, as imagens capturadas com o topo de linha da Huawei têm excelente definição, baixo nível de ruído e um alcance dinâmico muito bom. A única crítica aqui fica pelo fato de o HDR ser um modo específico da câmera; ele deveria ser automático e ativado por padrão em todos os cenários.

O P30 Pro se sobressai no escuro com o modo Noite, que basicamente tira uma foto de longa exposição só que de forma mais inteligente e sem precisar de um tripé. Os detalhes em áreas de sombra se tornam visíveis e todo o quadro fica com uma exposição mais equilibrada, sem estourar nem esconder nada. Poderia ser um pouco mais rápido, mas a espera de 5 ou 10 segundos com o braço esticado quase sempre vale a pena.

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Duas observações. Primeiro, o tal do ISO 409600 que a Huawei tanto destacou no evento de lançamento não é bem isso: no modo manual, acima do ISO 6400, o aplicativo trava o obturador, indicando que se trata de uma gambiarra de software, não de uma hipersensibilidade da câmera. Segundo, como só um dos sensores tem 40 megapixels, você não consegue atingir essa resolução o tempo todo: no modo Noite, ou aplicando zoom óptico, a câmera desce para 10 megapixels.

Tanto as fotos com a lente ultrawide quanto com a teleobjetiva têm ótima qualidade. A distância focal da lente com zoom óptico de 5x é fixa. Isso significa que, entre 1x e 4,9x de zoom, você está apenas fazendo um zoom digital, esticando e cortando uma imagem. Como o sensor principal tem resolução altíssima, de 40 megapixels, isso ajuda a amenizar a perda de qualidade. E, claro, acima dos 5x, o software faz uma combinação de zoom digital com zoom óptico.

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (0,6x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (0,6x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (1x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (1x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (5x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (5x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (10x)

Huawei P30 Pro - Sample de câmera (10x)

Detalhes à parte, as fotos com zoom são realmente boas. Com 10x de zoom (que a Huawei chama de zoom híbrido), dá para enxergar muito longe, e a nitidez permanece excelente. Acima disso, até 50x, a perda de definição é mais notável, mas as fotos continuam ótimas para compartilhar em redes sociais, por exemplo, sem contar que a estabilização óptica funciona bem. Dá até para fazer coisas meio assustadoras, como apontar para a varanda de um prédio bem longe e ver o que uma pessoa aleatória está fazendo.

Uma prova da capacidade do software é uma foto da lua que eu fiz com o P30 Pro. Abri o aplicativo da câmera, apontei para o céu, dei zoom até o máximo e o software se encarregou de mudar para o modo Lua — que coloca a exposição no ponto certo para deixar o céu bem preto e a lua brilhante, mas sem estourar. Então foi só prender a respiração e apertar o botão de tirar foto. Há alguns anos eu não imaginava que conseguiria fazer isso com um celular (e muito menos de uma forma tão trivial).

Huawei P30 Pro

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Com o P30 Pro, a Huawei subiu o nível das câmeras de smartphone, e as concorrentes vão precisar correr para não ficar para trás.

Só a câmera frontal não bate a dos rivais. Ela tem 32 megapixels, mas esse número enorme não importa muito, porque a lente tem foco fixo. As selfies saem nítidas em distâncias normais, mas ficaram desfocadas quando eu aproximava um pouco mais a câmera do meu rosto. E, infelizmente, ela não tem capacidade de filmagem em 4K, algo que até o Moto G7 Plus consegue fazer hoje em dia.

Huawei P30 Pro - Sample de câmera

Hardware e bateria

Por dentro, o P30 Pro é equipado com um processador Kirin 980, desenvolvido pela própria Huawei. A minha unidade de testes veio com 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento. O desempenho no dia a dia foi muito bom: todos os aplicativos abriram rapidamente e não notei sinais de engasgo em nenhum momento. Jogos como Asphalt 9 e Breakneck rodaram com boa qualidade gráfica e boa taxa de frames.

A bateria de 4.200 mAh do P30 Pro me surpreendeu positivamente por mais de um motivo. Primeiro porque a autonomia é realmente boa: talvez por causa da resolução menor da tela e de um software mais agressivo com aplicativos rodando em segundo plano, ela rendeu bem mais que a bateria de 4.100 mAh do Galaxy S10+, por exemplo.

Huawei P30 Pro

Nos meus dias de teste, tirando o aparelho da tomada às 9h da manhã, ouvindo 1 hora de streaming de música no 4G e navegando na web por cerca de 2 horas, também pela rede móvel, sempre com brilho no automático, eu chegava ao final do dia com bateria por volta de 40% a 50%, o que é um desempenho excepcional para um celular topo de linha.

O outro motivo de eu ter me surpreendido com a bateria do P30 Pro foi a velocidade de carregamento. Eu tenho alguns carregadores por indução espalhados pela casa, então sempre opto por essa forma de carregamento quando estou testando um celular compatível. Mas, no caso do P30 Pro, eu fiz questão de carregar ele na tomada, com o adaptador de impressionantes 40 watts (!) da Huawei.

Huawei P30 Pro

Para entender o que isso significa na prática, eu drenei a bateria do P30 Pro até chegar a 2%. Então, liguei o aparelho na tomada. 15 minutos depois, a carga já estava em 38%. Com meia hora, a bateria chegou em 73%. Os últimos minutos foram menos rápidos, mas ainda assim foi possível reabastecer os 4.200 mAh em 56 minutos. É algo tão absurdamente rápido que me deixa com medo da vida útil da bateria — mas a Huawei garante que o negócio é seguro.

Para quem não joga no celular, o P30 Pro pode aguentar até dois dias longe da tomada. Mas, para quem gasta muita bateria, é só levar o carregador que ele resolve tudo. E resolve rápido.

Vale a pena?

Huawei P30 Pro

O P30 Pro tenta mostrar o que a Huawei pode fazer de melhor em um smartphone. E ele consegue. Na primeira olhada, o produto já chama a atenção pelo design sofisticado e pela tela de alta qualidade. Com o uso, você percebe que os chineses não estão de brincadeira: a bateria dura bastante, o software não engasga e, principalmente, a câmera de fato cumpre o que promete.

A evolução da Huawei foi notável. O Ascend P7, último celular que a empresa trouxe ao Brasil, em 2014, foi lançado em um momento ingrato: ele não fazia nada melhor que o Moto X de 2ª geração, que custava o mesmo preço, mas tinha uma distribuição no varejo mais forte e uma marca mais conhecida. Meu último contato prolongado com a Huawei foi com o Mate 9, de 2016, que já tinha recursos interessantes, como carregamento ultrarrápido e câmera acima da média, mas não se destacava tanto na multidão.

No P30 Pro, a história é diferente. Ele tem todos os detalhes que outros concorrentes do mesmo segmento também têm, como certificação IP68, carregamento wireless reverso, hardware potente e tudo mais. Só que, agora, a Huawei é capaz de oferecer um bom diferencial: aos poucos, a câmera vai encantando o usuário com o poder de tirar fotos sensacionais.

Claro que o produto não é perfeito: eu não consigo engolir o tal do NM Card, o software fica atrás da One UI da Samsung e a câmera frontal poderia ser melhor para ficar à altura da câmera traseira. Mas, se existe um momento bom para uma empresa entrar em um país, parece que este é o momento da Huawei. Custando R$ 5.499, o P30 Pro não é nada barato, mas dificilmente vai decepcionar um comprador.

Huawei P30 Pro

PRÓS

  • Bateria com boa autonomia
  • Câmera de alta qualidade enxerga longe
  • Desempenho impecável
  • Esse carregamento de 40 watts é bruxaria

CONTRAS

  • Falta refinamento no software
  • Poderia ter entrada de 3,5 mm ou um adaptador
  • Quem teve a ideia de criar outro formato de cartão?
Nota Final 9.3

Especificações técnicas

  • Bateria: 4.200 mAh;
  • Câmera frontal: 32 megapixels f/2,0;
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 40 megapixels f/1,6 com estabilização óptica de imagem;
    • Telefoto: 8 megapixels f/3,4 com estabilização óptica de imagem;
    • Ultrawide: 20 megapixels f/2,2;
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac, GPS, Galileo, Glonass, BeiDou, QZSS, Bluetooth 5.0, USB-C, NFC, infravermelho;
  • Dimensões: 158×73,4×8,4 mm;
  • GPU: Mali-G76 MP10;
  • Memória externa: suporte a cartão Huawei NM Card de até 256 GB;
  • Memória interna: 256 GB;
  • Memória RAM: 8 GB;
  • Peso: 192 gramas;
  • Plataforma: Android 9.0 Pie;
  • Processador: octa-core Huawei Kirin 980 de 2,6 GHz;
  • Sensores: bússola, proximidade, luminosidade, giroscópio, leitor de impressões digitais óptico;
  • Tela: OLED de 6,47 polegadas com resolução de 2340x1080 pixels.
Mais sobre: ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael Chagas
O que você sugere não faz sentido, pois ao artificializar o preço de importação do item, reduzindo os impostos de importação, você automaticamente aumenta o lucro da operação local, onde os impostos são ainda mais expressivos. Muitas empresas - dentro de parâmetros que o fisco admite - fazem o contrário, ou seja, "vendem" o produto da operação no exterior para a operação Brasil (transfer price) com valor inflacionado, pra realizar maior lucro lá fora, mantendo o dinheiro lá, e pagando os impostos - normalmente menores para produção - também no exterior.
Sidney Leal
Tá saindo por 3.500 na troca. Baita negócio
nelly
SEJA INTELIGENTE E SEJA RICO EM MENOS DE 3 DIASMeus amigos recebem um cartão de caixa eletrônico e um broche - porque é a maneira mais rápida e segura de ganhar dinheiro rápido no mundo hoje. Eu posso hackear qualquer cartão de crédito e pin no mundo e este cartão pode ser usado em qualquer máquina ATM no mundo. O cartão Multibanco pode ser usado para sacar US $ 10.000, US $ 5.000 e US $ 4.000 diários e também com um valor máximo de 15.000 compras diárias, mas durará seis meses antes do vencimento, o cartão já está programado. você não pode ser pego. Para obter este cartão, você pode entrar em contato comigo no meu email:[email protected] ME 0N +16315383658
Léx Ferracioli
Concordo, vide o restaurante Madero, que contratou uma auditoria para descobrir porque seus produtos não vendiam, resultado: eles deveriam aumentar os valores dos produtos para fujir das redes de fast-food, o resultado já conhecemos.
Comentário Mil Grau℗
Ele não se torna um receptor tmb, pelo menos eu nunca vi um aparelho Android com infravermelho ser. Mas sendo um transmissor já é um pulo do gato, pois tem vários apps que vc consegue montar pra fazer com que ele se torne um transmissor de algo, como ligar um relé conectado a algo, por exemplo, em IoT.
Mas estao dando dois anos de garantia. Nao da pra ignorar
SapoVerde
Melhor review nacional
danbrg
Vão precisar investir em marketing tradicional. Aqui o negócio é branding. Ótimo aparelho, com excelente câmera, mas o Galxy Note deve alcançar também logo logo. Sempre bom ter concorrência. Não gostei do lance do cartão e do fone de ouvido
uB.
A gente faz as contas, coloca o preço de importação e acha que é "impossível abaixar o preço".Só que normalmente a gente usa o preço de varejo pra calcular os impostos. A Huawei n vai declarar o preço cheio do aparelho pra receita recolher impostos de $999, ela vai declarar o preço de custo dela, uns $350.Só nisso, dá uma puta diferença no que a gente acha que o produto tá custando pra ser importado.
uB.
O discussão aqui n é o pq dela abaixar ou n o lucro dela, mas sim, q é possível vender num preço menor se ela quiser. Mas é óbvio q ela n vai querer, né? :)
Gabriel Arruda
E por que a Huawei baixaria o lucro dela? Ela não entrou no mercado com o P30 para pegar o mercado de entrada, baixar a margem não é interessante para a estratégia dela.
Eric Viana
é um controle universal via app.
Benício Pereira
Ainda nem li com calma, mas adorei o resumo no novo formato no final. A visualização ficou bem melhor, parabéns!
uB.
Talvez o design n seja só a beleza, tá analisando a ergonomia tb. Pelo menos pra mim é algo associado ao design.Exemplo: a tela curva, por mais bonita que seja, atrapalha um pouco o uso, fazendo dar toques por engano, por exemplo. Então -1 ponto no design do produto, pois o design do produto atrapalha um pouco na usabilidade.N sei se é isto, é só uma hipótese.
uB.
Simples, diminuindo parte do lucro, a margem de lucro desses aparelhos é gigante! Só ver os descontos que a linha Galaxy S recebe após alguns meses de lançamento.Só pq ela lucra $350* lá fora por aparelho, ela n é obrigada a lucrar $350 aqui, ela poderia lucrar $300, $270...* valor fictício, n sei o real lucro do produto :)
Hemerson Silva
Certo, então me diga como você diminuiria o preço.
Murilo Aquino
Dá 10 pros dois, geeente
Thiago Silva
Ótimo smartphone e ótimo Review, parabéns.
BrSol
É trapaça sim, um photoshop automático realizado pela "IA" da HUEwei com base em imagens do banco de dados deles.
DDR31600Mhz
Onde eu digo algo diferente? Eu não questionei ser caro ou barato, questionei que o modelo errado para se trazer para o pais nesse momento que ela esta tentando ganhar algum mercado
Emanuel
Eu acho legal que as câmeras de celular estejam cada vez mais versáteis mas ao mesmo tempo não gosto de tirar uma foto no celular e ter ela mais clara que o que eu estava vendo com meu olho. Muitas vezes o que eu quero capturar são as sombras, aí tenho que me virar no manual, tirar uma foto no automático muitas vezes é perder contraste no escuro de forma que nem editando resolve. Fazer o que, acho que sou a minoria, pessoal prefere tirar fotos super claras independente do ambiente. Mas eu gostaria também de não ter tanto trabalho pra tirar fotos no meu gosto...
Marcos Aguiar 🖕😂🖕
Na vdd o S10+ está sendo considerado o smartphone do ano.
Gabriel
Bom, até o momento é o que dizem boa parte dos analistas tech, muito pela câmera, mas também o bom acabamento, desempenho, bateria...
Marcos Aguiar 🖕😂🖕
Só em relação a câmeras, ser o smart do ano é forçar.
Marcos Aguiar 🖕😂🖕
Design é muito questão de gosto, apesar de achar o P30 lindo, ainda acho o S10 um smart mais bonito.
Yago G. Oliveira
vish, eu também não :(
rmcrys
o modo Lua é muito fácil de conseguir se você tem zoom otico com estabilizaçao ótica e os parametros corretos. A maioria dos smartphones tem pouca resolução e de aí não conseguem atingir detalhe e parametros de luz e abertura da lente para fotografar a lua.Eu com o meu S9+ só consigo ter uma bola branca em fundo negro...
Ticano
Muito bonito mesmo, você tira ele
Murilo Aquino
Só não entendi a nota 9 para o design. Esse celular é mais bonito do que eu.
Fabrício Roque
Então é só um transmissor então? Não tem um sensor? Já estava pensando em fazer um mecanismo de transmissão de pequenos dados como na época dos Palmtp.
uB.
Isto é fato!Quando a gente vai no mercado e vai comprar algo com diferença pequena de preço, é normal a gente pegar o mais caro, por associar q tem mais qualidade, o q n é verdade, simplesmente acreditamos nisso: mais caro = melhor qualidade.=(
uB.
Ahh sim, é claro, como n pensei nisso antes, todas as empresas possuem custo 0 fora do Brasil, custo de operação, distribuição, suporte e etc existe só no Brasil, sou muito lerdo mesmo, foi mal!
Wendel Schelhan
Olha, tem uma variável que geralmente as pessoas esquecem nessas discussões e que pode explicar o preço do aparelho: posicionamento de produto.A Huawei quer posicionar o P30 Pro lado a lado com um Galaxy S10+, e pra isso precisa igualar todos os atributos, incluindo preço. Há um comportamento irracional de muitos consumidores que enxergam o preço mais baixo como um indicativo de má qualidade. Não, claro, que isso seja verdade. Mas de qualquer forma, pode explicar o preço que está sendo cobrado por eles, e também vamos ficar de olho em como o preço cai nos Buscapé da vida.
Hemerson Silva
Sua mula, mesmo abaixando o valor base, e o custo de importação? E o custo de empresa em si, do CNPJ? E o custo da distribuição?
uB.
Claro q é possível abaixar o preço, bastava querer.A gente tem essa mania em associar com o preço internacional, empresa nenhuma é obrigada a ter tabela mundial. Tá esse preço pq sabe q tem quem paga
Hemerson Silva
mas se você pegar o preço na china, verá que é isso aí mesmo.
Hemerson Silva
Mas é impossível abaixar o preço, a menos que fabrique localmente e olhe lá.
uB.
Eu tô precisando trocar o meu, tava esperando o S10 ser lançado, mas esperava mais dele, sei lá, fiquei nequele hype e n atendeu minhas expectativas. Aí resolvi esperar o P30, apesar do software meio fraco tava considerando por conta da câmera.Porém achei bastante caro, pagar este valor num smartphone que irá se desvalorizar pra metade numa revenda é loucura demais!
Gabriel
É o smartphone do ano! Parabéns pra Huawei!
Comentário Mil Grau℗
Basicamente qualquer coisa que se conecte com infravermelho. TV, geladeira, Ar Condicionado... e se vc for IoT vai adorar fazer makers usando o aparelho como um transmissor.
Fabrício Roque
Ah, ok! É um emissor de infravermelho então
Michael dos Santos
Controlar TV e Ar-condicionado por exemplo.
Juliano Castro
Que saudade de um smartphone com infravermelho! Mas a fragilidade da selfie e do software acabam direcionando o usuário p a linha Galaxy. Esse n card é de uma cara de pau... era melhor nem oferecer uma forma de armazenamento extra. A ausência de entrada de fone tbm é um ponto negativo. Ainda estou contente com o meu s9. Mas se eu fosse comprar um smartphone novo hj, compraria um s10+.
Leandro Gonçalves
Em fotos noturnas,definitivamente é o melhor celular da atualidade . Essas fotos da torre eiffel ficaram absurdamente incríveis! Um nível de definição que realmente impressiona .Agora olhando as fotos diurnas ,sinceramente não impressiona. Ao que parece,o P30 PRO tem uma tendência a deixar as fotos mais lavadas,desbotadas. Isso está claro não apenas no mais uma vez excelente review do Higa, mas tbm em vários reviews mundo à fora ... Partindo disso ,é óbvio que as pessoas vão preferir fotos mais vivas ,embora destoantes um pouco mais da realidade . Para fotos diurnas ainda fico com a linha Galaxy S. E tenho certeza que o note 10 não vai deixar por menos,teremos a melhor câmera traseira para fazer fotos diurnas e a melhor frontal para selfies, em um aparelho android...De qualquer forma, só espero que a Huawei tenha sucesso aqui no Brasil.O P30 é um baita celular. Câmera de qualidade e bateria bem satisfatória.Tudo isso aliado à um belo design.Infelizmente eles voltam no pior momento possível para negócios aqui no país. O presente não está nada fácil e não há fortes indícios de que o futuro será melhor. =/
Fabrício Roque
Pra que serve um sensor infravermelho no celular?
uB.
O calcanhar da Huawei fica nesse software. É muita falta de refinamento pra acompanhar este hardware tão premium.A borda arredondada sem utilidade é meio: pra q?
Franco Luiz
Aparelho bom , hardware e camera legais mas eu n confio na huawei
Diogo S
Ainda na espera do dia em que irão passar a diferenciar sensor/emissor e entrada/saída em reviews
Nope
Li por aí que esse Modo Lua pode ser uma trapaça de software...
Thalles Ferreira
Eu compraria tranquilamente se tivesse 5 mil de orçamento pra celular. Como tenho estourando 1800, talvez em 2021, 2022, quando esse telefone já não for tudo isso rs
DDR31600Mhz
E muito legal ver ela vindo para cá com um modelo tão bom, mas a estrategia é errada, começar pelos modelos mais caros em um pais conservador no consumo como o Brasil é furada.Pode ser o melhor do mundo, não vai vender se tiver o mesmo preço da Apple e Samsung
Jairo ☠️
Excelente cameraphone ,imbatível por enquanto em fotos com baixa luminosidade, para quem gosta é uma boa aquisição.
Daniel R. Pinheiro
Caramba mano, e esses ícones copiados na cara dura do iOS?
Paçaro
Excelente celular. Vi na loja esse living crystal e é ridiculamente bonito. Huawei tá com tudo. Câmeras fora de série, design muito bom, sistema rápido.