Início » Telecomunicações » TIM lucra R$ 619 milhões com melhor desempenho de pré e pós-pago

TIM lucra R$ 619 milhões com melhor desempenho de pré e pós-pago

Operadora conseguiu aumentar gasto médio de clientes no pré-pago e pós; base de clientes do TIM Live cresceu 19,6%

Lucas Braga Por
06/11/2019 às 09h49

A TIM Brasil divulgou os resultados financeiros do terceiro trimestre de 2019: a operadora fechou o período com lucro líquido normalizado de R$ 619 milhões, crescimento de 61,4% comparado ao mesmo período do ano anterior. Os resultados positivos vieram tanto do segmento móvel como do fixo, incluindo pré-pago, pós e internet banda larga TIM Live.

TIM Shopping Morumbi (foto por Edi Pereira)

Pré-pago da TIM está mais rentável e pós-pago cresce

A receita do serviço móvel foi de R$ 3,9 bilhões, crescimento de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O plano estratégico da TIM deixa claro que a operadora vai focar principalmente nos clientes dispostos a gastar mais, em vez de apenas atrair novos consumidores e ganhar em volume.

No total, a operadora possui 24% de participação de mercado, o que corresponde a 54,5 milhões de linhas móveis. Houve redução de 3% na base de clientes, principalmente por conta das desconexões do pré-pago, que retraiu 9,1% em um ano. Enquanto isso, a base pós-paga (incluindo planos controle) cresceu 8,2% no mesmo período.

O gasto médio (ARPU) de clientes móveis teve crescimento de 5,6% e atingiu a marca de R$  23,90. A alta foi possível por conta do pré-pago, que cresceu 4% e atingiu R$ 12. No pós-pago, excluindo M2M, houve alta de 0,9%, fechando em R$ 44,10.

Aumentar o ARPU é difícil: a Vivo encareceu os planos para conseguir isso. A TIM diz que 60% da base pré-paga total já se encontra no plano TIM Pré Top. No pós-pago, 50% das adições brutas são de planos TIM Black Família, cuja opção mais barata custa R$ 269,99 para três linhas.

A TIM continua com a liderança de cobertura 4G, que chega a 3.355 cidades, das quais 1.644 contam com a frequência de 700 MHz, 2.293 com 1,8 GHz e 288 com 2,1 GHz. Mais de 84% dos dados trafegam através da rede 4G, e mais de 3,3 mil municípios podem usar a tecnologia VoLTE para ligações.

Receita de banda larga TIM Live cresce 31,5%

Nos serviços fixos, a operadora teve receita de R$ 233 milhões. O serviço de banda larga TIM Live representa 54,3% desse faturamento; sua base de clientes cresceu 19,6% na comparação com o ano passado.

O gasto médio (ARPU) do TIM Live é de R$ 81,80, por conta da penetração de ofertas com maior velocidade e reajuste de preços realizado em julho de 2019.

A cobertura cresceu 150% em relação ao mesmo período do ano anterior e atinge 1,9 milhões de domicílios home passed. No terceiro trimestre, o serviço chegou a três novas cidades: Diadema (SP), Feira de Santana (BA) e Recife (PE); ele deve chegar a mais 16 novas cidades até 2020.

Com informações: TIM Brasil.

Mais sobre: