Início » Internet » YouTube pode oferecer serviços de streaming como canais de assinatura

YouTube pode oferecer serviços de streaming como canais de assinatura

Novidade aumentará ainda mais o YouTube TV, que é um serviço de assinatura online com mais de 70 canais

André Fogaça Por

Rumores indicam que o YouTube poderá virar um hub ainda maior para assinatura de serviços de streaming de canais pagos, nos mesmos moldes como acontece com o Apple TV e o Channels da Amazon. As conversas já estariam acontecendo nos últimos meses e ele expandiria o atual YouTube TV.

youtube app android

Hoje o YouTube TV é um serviço que entrega TV ao vivo, vídeos sob demanda e serviço de gravação ilimitado em nuvem da programação para os Estados Unidos, com canais como TNT, CNN, Cartoon Network, Discovery Channel, PBS e a rede da Oprah Winfrey, tudo isso por US$ 50 por mês e em um pagamento que é feito pelo Google.

A Apple coloca uma quantidade grande de assinaturas dentro do app Apple TV, exibe seus canais dentro do set-top-box da marca e permite o login em cada streaming apenas com um usuário e senha. É neste cenário que o site de vídeos do gigante das buscas deve crescer, afirmam os boatos.

Ainda é um mistério o formato deste novo pacote de serviços extras, dentro do que já existe no Google, mas as fontes afirmam que a negociação entre o YouTube e os serviços de entretenimento estão acontecendo há meses. O que está claro é que o crescimento do YouTube TV pode ser um peso ainda maior para o, já em declínio em diversos países, serviço de TV por assinatura – isso acontece até mesmo no Brasil.

Com informações: The Information.

Mais sobre: , ,

Comentários da Comunidade

4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Paulo Manso
Podia tanto lançar esse serviço no Brasil
Eu
Se isso vier pro Brasil de alguma forma, espero que o preço não seja 1/5 disso… se não é só mais uma TV por assinatura só que por streaming…
Eu
50 dólares dá 220 reais… mais caro que alguns planos de TV por assinatura.
Participe da discussão