Início » Negócios » EUA reiteram que Huawei tem backdoors em redes de operadoras

EUA reiteram que Huawei tem backdoors em redes de operadoras

EUA estariam compartilhando provas contra Huawei com países como Alemanha e Reino Unido

Emerson Alecrim Por

2019 foi um ano complicado para a Huawei, mas 2020 pode ser pior: autoridades dos Estados Unidos afirmam ter provas de que a companhia possui backdoors para acessar redes de telecomunicações em várias partes do mundo. Isso significa que as restrições impostas pelo governo americano à Huawei devem continuar.

Huawei

Faz algum tempo que os Estados Unidos acusam a Huawei de usar backdoors para espionar redes de vários países e repassar informações sigilosas ao governo chinês. Essas acusações levaram a administração Trump a, em 2019, incluir a Huawei na lista de companhias que trazem risco à segurança dos Estados Unidos.

Desde então, a Huawei não pode negociar com empresas americanas. É por conta disso que o Mate 30 e o Mate 30 Pro foram lançados “incompletos”: ambos os aparelhos não contam a Play Store porque a proibição imposta pelos Estados Unidos impede o Google de fornecer serviços à Huawei.

Apesar da gravidade do assunto, o governo americano nunca divulgou publicamente provas que validam as acusações contra a Huawei. Porém, essas informações passaram a ser compartilhadas com países aliados no final de 2019. É o que diz o Wall Street Journal.

Entre esses aliados estariam Reino Unido e Alemanha. Pode ser um movimento estratégico: aparentemente, o fornecimento desses dados faz parte dos esforços dos Estados Unidos para convencer outros países a não utilizarem tecnologia da Huawei. Nesse ponto, vale lembrar que a companhia é uma das maiores fornecedoras de equipamentos para telecomunicações do mundo.

Huawei Mate 30 Pro

Huawei Mate 30: lindão, mas sem Google

Em muitos países, os fabricantes desses equipamentos podem ser obrigados por lei a implementar neles meios para que autoridades acessem as redes para fins legais. Porém, o próprio fabricante não pode realizar esse acesso sem autorização da operadora responsável pela rede.

É justamente essa lei que a Huawei violou, dizem as autoridades americanas. Assim como fez em ocasiões anteriores, a companhia negou as acusações: “nenhum funcionário da Huawei tem autorização para acessar a rede sem aprovação explícita da operadora”, informou a companhia ao Wall Street Journal.

De todo modo, as acusações ainda são questionáveis. Os Estados Unidos podem ter encontrado backdoors nos equipamentos da Huawei, mas não há, pelo menos até o momento, nenhuma evidência de que a companhia usou esses acessos para praticar algum tipo de espionagem.

Com informações: Ars Technica.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

pimenta no rabo dos outros é refresco

Leandro Alves (@KILLME)

Sem provas nada feito, gosto dos EUA como país e quanto os caras revolucionaram o mundo com tecnologia, mas precisam disponibilizar provas de tudo isso para todo mundo, senão fica parecendo que estão com medo da ascensão da Huawei no 5G e no FTTH.

@teh

Só os EUA podem espionar…

Lucas Bonfim (@Lukas_Bonfim)

Estava demorando para darem uma dessa de novo.

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

Próximos alvos: Suécia (Ericsson) e Finlândia (Nokia).

(Contexto: a Ericsson e a Nokia faturaram muito mais com infraestrutura de rede do que a Cisco - maior empresa do setor nos EUA. E a Huawei fatura mais do que a Ericsson e a Nokia juntas!)