Início » Celular » Huawei pode lançar celulares sem Google Play Store no Brasil

Huawei pode lançar celulares sem Google Play Store no Brasil

Huawei promete lançar celulares premium; Mate 30 Pro e dobrável Mate X não têm Google Play Store devido às sanções dos EUA

Felipe Ventura Por

A Huawei promete lançar novos celulares no Brasil em 2020, com foco em modelos premium. Ela não confirma quais modelos serão trazidos ao país; seus smartphones top de linha mais recentes são o Mate 30, Mate 30 Pro e o dobrável Mate X — nenhum deles possui Google Play Store devido às sanções comerciais dos EUA. A empresa também planeja vender mais wearables por aqui.

Huawei Mate 30 Pro

Huawei Mate 30 Pro

Daniel Dias, gerente sênior de desenvolvimento de negócios da Huawei Brasil, diz em entrevista ao Mobile Time que a empresa fará novos lançamentos de smartphones no país. Ele não informa os modelos, mas nota que o foco será em produtos premium, com boa experiência de câmera.

No ano passado, a fabricante lançou o P30 Pro no Brasil, seu último flagship com Google Play embutido. Desde então, a Huawei foi proibida de lançar novos celulares com Play Store devido às sanções comerciais impostas pelos EUA: ela não pode fazer negócios com nenhuma companhia americana, incluindo o Google.

Por isso, a linha Mate 30 e o dobrável Mate X não trazem a loja nem os aplicativos do Google, como Gmail e YouTube. A venda desses aparelhos ficou basicamente restrita à China, onde os serviços do Google são proibidos e a ausência da Play Store não faz diferença.

Existem, no entanto, algumas formas não-oficiais de instalar a Play Store no Mate 30, usando um método chamado LZPlay ou a ferramenta HiSuite da própria Huawei. O Google vem tentando impedir que isso funcione.

Huawei Mate 30 Pro será lançado no Reino Unido

Huawei Mate 30 Pro

Huawei Mate 30 Pro

O Huawei Mate 30 Pro será vendido no Reino Unido a partir de 20 de fevereiro: trata-se da versão com 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento. Ele custa £899 (cerca de R$ 5 mil) em um kit com o Watch GT 2 e os fones de ouvido FreeBuds 3.

"Este dispositivo não é fornecido com o Google Mobile Services, por isso temos uma equipe de suporte VIP dedicada disponível para você após a compra", diz a Carphone Warehouse, loja britânica que venderá o Mate 30 Pro com exclusividade.

Huawei oferece alternativa à Play Store

O Google Mobile Services (GMS) reúne aplicativos como a Play Store, Chrome, Maps, YouTube, Gmail e outros, além de serviços em segundo plano como o Google Play Services. Existe uma alternativa chamada Huawei Mobile Services (HMS), além de uma loja de apps chamada AppGallery, e a empresa quer convencer desenvolvedores brasileiros a usá-las.

A fabricante não quer contar apenas com celulares, por isso promete lançar novos wearables no Brasil. Recentemente, ela passou a vender no país o relógio Watch GT 2 e os fones sem fio FreeBuds 3.

No entanto, a Huawei não comenta os planos de investir US$ 800 milhões em São Paulo entre 2020 e 2022. Ela disse anteriormente que, "conforme o desenvolvimento da operação de smartphones no mercado local, consideramos instalar uma fábrica em São Paulo no futuro". O governo paulista havia dado como certo que a empresa iria ter uma fábrica no estado.

Mais sobre:

Comentários da Comunidade

10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Mateus B. Cassiano

[…] a Huawei foi proibida de lançar novos celulares com Play Store devido às sanções comerciais impostas pelos EUA: ela não pode fazer negócios com nenhuma companhia americana, incluindo o Google.

@ksio89

Android sem os serviços do Google não dá, completamente inviável pra 99% dos usuários (incluindo eu). E quem paga uma nota em aparelhos premium quer que tudo funcione perfeitamente de fábrica e não vai ter paciência pra ficar fuçando atrás de instalar o GMS. Nem eu que me considero power user quero esse tipo de aporrinhação, ainda mais em dispositivos que vão custar uma nota.

Por que pegaria um aparelho topo de linha da Huawei, se na mesma faixa de preço eu posso comprar um modelo high-end da Samsung, Asus, Xiaomi ou outra fabricante que não vai me dar chateação com ausência dos serviços do Google? Pagar o mesmo (ou mais) pra passar raiva com soluções alternativas (e inferiores) aos de Mountain View é loucura.

Juliano Machado Olivetti

Claro que na China o mercado da Huawei é gigante, e vem crescendo. Já no ocidente, é praticamente inviável o uso de um aparelho sem os serviços do Google. Não é só a questão dos app nativos do Google, e sim app de bancos, outros que além da questão de disponibilidade na Play Store, fazem checagens minuciosas no certificados Google do aparelho, coisa que nem uma gambiarra vai solucionar em todos os casos…por aqui vai ser coisa de entusiasta, sem condições a um usuário racional.

@ksio89

Pois é, quando a Google fechar o cerco quero ver a mágica que a Huawei vai fazer pra contornar.

Com o dólar nesse patamar, acho difícil chegar por um preço bom. Ainda que o preço fosse muito atraente, não acho que valha a pena se estressar com a falta dos serviços do Google no aparelho.

Mateus B. Cassiano

Será que leu mesmo? Google é uma empresa sediada nos Estados Unidos, logo tem que seguir a legislação dos Estados Unidos. As sanções comerciais instauradas pelo Trump proíbem empresas sediadas nos Estados Unidos de fazerem negócios com a Huawei, simples assim.

Os aparelhos serem vendidos no Brasil, China, ou qualquer outro país não tem relevância alguma pois para todo efeito a Google continuará sendo uma empresa sediada nos Estados Unidos e impedida de fazer negócios com a Huawei.

@bkdwt

Caramba, tava tão cego que esqueci desse detalhe. :sweat_smile:

Ninguém viu, ninguém viu! :shushing_face:

Participe da discussão