Início » Celular » Novo iPhone SE tem bateria de 1.821 mAh e 3 GB de RAM

Novo iPhone SE tem bateria de 1.821 mAh e 3 GB de RAM

Ficha técnica de iPhone SE 2020 traz bateria de iPhone 8 e memória RAM de iPhone XR. Preços começam em R$ 3.699

Bruno Gall De Blasi Por

A Apple apresentou o novo iPhone SE nesta quarta-feira (15), com preços a partir de R$ 3.699. Além de trazer o mesmo visual do iPhone 8, o lançamento também repete algumas especificações do smartphone de 2017, como a bateria de 1.821 mAh. A memória RAM, porém, é a mesma do iPhone XR: 3 GB.

apple iphone se novo

É o que revela a China Telecom. De acordo com a operadora chinesa, o iPhone SE 2020 possui bateria de 1.821 mAh, componente com capacidade similar ao iPhone 8, de 2017.

A mesma afirmação é apresentada pela Apple nas especificações do celular. Segundo a fabricante, o novo telefone possui “bateria com duração semelhante à do iPhone 8”, capaz de entregar 8h de streaming sem parar.

A memória RAM é a mesma do iPhone XR (3 GB), quantidade inferior aos 4 GB oferecidos pelo iPhone 11.

A Apple também optou por não incluir o chip U1 no iPhone SE, possivelmente para reduzir custos. A ausência do componente, porém, traz dúvidas em relação à compatibilidade com o Apple AirTags, caso sejam dependentes do recurso.

Outras especificações de rede, por sua vez, foram atualizadas no smartphone, como o Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.0. O smartphone ainda traz NFC para pagamentos via Apple Pay.

iphone se branco

iPhone SE 2020: carinha de iPhone 8, jeitinho de iPhone 11

O iPhone SE é o lançamento mais recente da Apple e o primeiro celular da marca apresentado em 2020. A nova geração do smartphone repete a receita do anterior, já que traz o visual do iPhone 8 com especificações do iPhone 11.

O celular possui tela de 4,7 polegadas e marca o retorno do botão home e do leitor de digitais Touch ID, no lugar do Face ID. Além disso, a câmera traseira é única, de 12 megapixels, com Modo Retrato.

O processador é o mesmo do iPhone 11, o Apple A13 Bionic. O celular estará à venda nas cores preto, branco e vermelho e em três opções de armazenamento:

  • iPhone SE 2020 (64 GB): R$ 3.699;
  • iPhone SE 2020 (128 GB): R$ 3.999;
  • iPhone SE 2020 (256 GB): R$ 4.499.

Ainda não há data prevista para o lançamento do celular no Brasil.

Apple iPhone SE (2020) – ficha técnica:

  • Tela: LCD Liquid Retina HD de 4,7 polegadas com resolução de 1334×750 pixels, True Tone, brilho máximo de 625 nits, HDR10 e Dolby Vision;
  • Processador: Apple A13 Bionic com Neural Engine de terceira geração;
  • Memória RAM: 3 GB;
  • Armazenamento interno: 64 GB, 128 GB ou 256 GB;
  • Bateria: 1.821 mAh, até 13 horas de reprodução de vídeo, 8 horas de streaming de vídeo e 40 horas de reprodução de áudio (carregador de 18 watts vendido separadamente);
  • Câmera frontal: 7 megapixels com lente de abertura f/2,2, estabilização cinemática de vídeo e filmagem em 1080p até 30 fps;
  • Câmera traseira: 12 megapixels com lente de abertura f/1,8, estabilização cinemática e óptica, filmagem em 4K a até 60 fps;
  • Conectividade: 4G LTE Gigabit com MIMO 2×2, Wi-Fi 6 802.11ax com MIMO 2×2, Bluetooth 5.0, NFC, chip de banda ultralarga para reconhecimento espacial, dual chip (eSIM e Nano-SIM), Lightning;
  • Sistema operacional: iOS 13;
  • Peso: 148 gramas;
  • Dimensões: 138,4×67,3×7,3 mm;
  • Mais: certificação IP67 para resistência à água (profundidade máxima de até um metro por até 30 minutos)

Com informações: MacRumors, The Verge e Apple Insider

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
20 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Arleyasm (@Arleyasm)

Kramba, me senti um lixo R$3.700,00 isso é o baixo custo da apple…

Gabriel Peres de Oliveira (@bielperes)

A ausência do chip U1 só traz dúvidas sobre a compatibilidade com as AirTags e considerarmos que os AirTags só serão compatíveis com os iPhones 11, uma vez que são os únicos produtos da Apple que tem esse chip. O que não acho que será o caso considerando os rumores sobre a AirTags e nem as mudanças feitas pela Apple no iOS 13 em relação ao aplicativo “Buscar”.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Esse design e esse botão físico em pleno 2020 é de lascar… E ainda por 3700 reais. Tá maluco…

@LeandroCSC

Putz! rs! A que nível as pessoas chegam pra mostrar uma realidade falsa da vida e assim se sentirem bem…

Xico Pires (@xicopires)

Já não basta esse “notch” horrendo nos modelos mais caros, agora lançam um modelo com cara de 5 anos atrás? É sério isso, Apple??? Jobs nunca admitiria algo assim, nem esse notch nem esse “SE”. Deprimente.

Fábio Laurindo (@Fabio_Laurindo)

Um pouco estranho um aparelho com o A13 ter autonomia próximo do iPhone 8, se o teu desempenho for próximo dos modelos atuais ele deveria ser superior até ao 11 pro max e 11 os campeões de bateria da família da maçã, devido ao tamanho da tela, claro que estou levando em consideração a capacidade da tela.

Fábio Laurindo (@Fabio_Laurindo)

Este novo SE vai vender bem nos EUA, por incrível que pareça ele alcança um prublico teen, foi assim com o iPhone 8 e 7 explodiu neste público, e por lá de Edgar num subsídio sai free.

Henrique Nakade (@Henrique_Nakade)

eu realmente não entendo uma economia idiota dessas em relação a bateria…

por mais que custe quase 4 mil reais, se colocassem uma bateria de de 3 ou 4 mil mAh issso deveria muito, mas muito mais, mesmo com esse design ultrapassado…

Victor (@vsoco)

Não entendo o hate. Eu tenho curiosidade em usar um aparelho da Apple, mas tenho certeza que não me adaptaria bem ao ecossistema e voltaria pro Android. Dito isso, provavelmente é um aparelho com desempenho invejável, boas fotos e reconhecível para o público que gosta. Vai vender bem, como o primeiro SE vendeu.

Sérgio (@trovalds)

Definitivamente você não conhece o Jobs. Se ele estivesse vivo os celulares não seriam maiores que o iPhone 5S. E a corrida maluca por telas gigantes nunca haveria existido.

Comentando sobre o aparelho: apesar do “corpo” e tela inferiores e de uma ausência ou duas, está lá o chip de última geração da empresa e uma câmera que não deixa quase nada a dever a dos primos top de linha. E por menos da metade do preço. A única empresa que fez algo parecido do lado da concorrência foi a Pocophone, que lançou um celular com chip de última geração (à época) mas os demais componentes inferiores e um preço mais em conta. Nessa faixa de preço (em dólar), não tem absolutamente nada que sequer chegue perto em especificações de uma forma geral. Pra nossa realidade é um preço absurdo. Mas pra realidade do mercado a que se destina de uma forma geral no hemisfério norte, ninguém vai ficar prestando atenção no corpo ultrapassado do celular e sim no preço bem mais em conta.

Sérgio (@trovalds)

O SE tem tela LCD enquanto os primos mais caros tem tela OLED. O LCD consome mais energia.

@teh

O design, relacionando o preço do aparelho, não da pra engolir…

Fábio Laurindo (@Fabio_Laurindo)

Temos em casa os modelos atuais um de cada, o 11 ainda se sai melhor que o 11 pro max em uns 10%, o preto do OLed faz uma grande diferença, porém tem que lembrar que os pontos ligados também contém mais iluminação logo fica quase igual.
No caso do processador A13 que gerencia muito bem os núcleos de baixo click para trabalhar bem mais no dia a dia o torna excepcional, o modelo que mais foi otimizado foi o 11 pro que até o xs e o x eram péssimos.
No iPhone se novo com o A13 eu chuto que manterá a mesma autonomia dos irmãos maiores.
Porém vamos esperar.

Abraço

Exibir mais comentários