Início » Celular » Motorola Kiev deve ser 1º celular com Snapdragon 690 5G

Motorola Kiev deve ser 1º celular com Snapdragon 690 5G

Motorola Kiev deve ter tela OLED e câmera tripla de 48 MP; processador Snapdragon 690 levará 5G para celulares intermediários

Felipe Ventura Por

Este ano, a Qualcomm anunciou o Snapdragon 690 para levar 5G a celulares intermediários. Rumores dizem que a Motorola usará este processador em um de seus futuros celulares, de codinome Kiev: ele também viria com tela OLED, câmera tripla de 48 megapixels e Android 10.

Moto G8 Plus

Motorola Kiev deve ter câmera tripla de 48 megapixels, assim como o Moto G8 Plus (acima)

O Motorola Kiev foi revelado pelo site alemão TechnikNews com ajuda de Adam Conway, do XDA Developers. Este celular seria um dos primeiros a usar o novo Snapdragon 690 da Qualcomm; este processador viria acompanhado por 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento expansível por microSD.

A Qualcomm diz que o Snapdragon 690 levará 5G para celulares mais acessíveis. Ele vem com modem integrado Snapdragon X51, capaz de downloads com velocidades de até 2,5 Gb/s em redes de frequências sub-6 GHz. No entanto, não há suporte a ondas milimétricas (mmWave).

Motorola Kiev deve ter câmera tripla de 48 MP

O tamanho da tela no Motorola Kiev ainda é desconhecido, mas espera-se que ela tenha painel OLED, resolução full-HD, suporte a HDR e taxa de atualização de 60 Hz. A câmera frontal de 16 megapixels, com sensor OmniVision OV16A1Q, ficaria em um notch em formato de gota.

Enquanto isso, a câmera traseira seria tripla, com sensor principal Samsung GM1 de 48 megapixels. Haveria também um sensor Samsung S5K4H7 de 8 MP com lente telefoto; e sensor de profundidade OmniVision OV02B10 com 2 MP para fotos no modo retrato.

O aparelho ainda viria com Android 10 — o Google lançou o Android 11 final nesta semana — e teria suporte a NFC.

O Motorola Kiev teria número de modelo XT2113-2 e XT2113-3; nenhum deles aparece no sistema de homologação da Anatel por enquanto. Outro modelo com 5G, o Moto G 5G Plus, já foi certificado para uso no Brasil em redes de quinta geração através do compartilhamento dinâmico de espectro (DSS).

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação