Tecnoblog
Início » Antivírus e Segurança » Windows XP teve código-fonte vazado no GitHub, da Microsoft

Windows XP teve código-fonte vazado no GitHub, da Microsoft

Microsoft levou dez dias para remover código-fonte vazado do Windows XP colocado para download no GitHub

No fim de setembro, veio à tona a informação de que o código-fonte do Windows XP (e de outros sistemas operacionais antigos da Microsoft) estava circulando pela internet. Mas o destino é irônico às vezes: embora o compartilhamento estivesse sendo feito principalmente por torrents, o código-fonte acabou sendo disponibilizado por algum tempo no GitHub.

Windows XP (imagem: Microsoft)

Para quem não percebeu, a ironia dessa história está no fato de o GitHub pertencer à Microsoft desde 2018. Apesar disso, a plataforma é mantida até hoje como um negócio independente. Isso explica, pelo menos em parte, o fato de a companhia ter levado dez dias para excluir o repositório que distribuía o código-fonte do Windows XP.

Embora o GitHub pertença à Microsoft, a companhia enviou ao serviço um aviso de DMCA (lei dos Estados Unidos para proteção de direitos autorais na internet) para remoção do código-fonte seguindo o protocolo que qualquer outra organização seguiria. O informe da remoção pode ser lido aqui.

O que chama atenção é a lentidão para agir. O GitHub não costuma demorar para remover conteúdo protegido. O porquê de a Microsoft ter levado tantos dias para solicitar o bloqueio do repositório ainda é um mistério.

É possível que a companhia não esteja muito preocupada com o vazamento ou com os efeitos do problema, afinal, o Windows XP é um sistema operacional antigo e sem suporte desde 2014.

Microsoft e GitHub (imagem: Microsoft)

Não que o incidente não seja importante, mas a companhia sabe que, uma vez na internet, é praticamente impossível impedir que um conteúdo protegido por direitos autorais continue passando de mãos em mãos — o código-fonte do Windows XP pode até ter sido removido do GitHub, mas continua sendo distribuído por BitTorrent.

Diante disso, o caminho trivial é solicitar ao Google e às plataformas de redes sociais a remoção de páginas ou links que apontam para os torrents em questão. Mas, ao que tudo indica, pouco trabalho foi feito nesse sentido. Novamente, a falta de eficácia dessas ações pode explicar tamanha morosidade: apague um link aqui e ele aparece logo em seguida ali.

A essa altura, é provável que a Microsoft esteja mais preocupada (ou pelo menos deveria estar) em entender como o código-fonte do Windows XP vazou para evitar que isso aconteça novamente.

Com informações: TorrentFreak.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação