Início » Celular » Apple venderá iPhone 12 com suporte ao futuro 5G do Brasil

Apple venderá iPhone 12 com suporte ao futuro 5G do Brasil

iPhone 12 comercializado na Europa suporta frequências da Claro, Oi, TIM Vivo e inclui bandas que serão leiloadas em 2021

Lucas Braga Por

A Apple anunciou nesta terça-feira (13) a linha iPhone 12, que pela primeira vez inclui suporte à tecnologia 5G. Ainda que a quinta geração esteja engatinhando no Brasil, o smartphone já funciona com as frequências atuais das operadoras brasileiras e também suporta o espectro que será leiloado pela Anatel em 2021.

Site da Apple sobre 5G no iPhone 12. Imagem: Reprodução/Site Apple

5G no iPhone 12 Pro. Imagem: Reprodução/Site Apple

O 5G está presente desde o iPhone 12 Mini até o iPhone 12 Pro Max. Os modelos que serão vendidos no Brasil (A2399, A2403, A2407 e A2411) suportam as bandas n1 (2100), n3 (1800), n5 (850), n7 (2600) e n28 (700), que estão licenciadas para as operadoras brasileiras e atualmente utilizadas com 2G, 3G, 4G e 5G DSS.

O iPhone 12 também traz compatibilidade para as frequências de 2,3 GHz e 3,5 GHz, que serão leiloadas pela Anatel em 2021. Ainda que a agência não tenha definido qual o espectro que será destinado, os smartphones da Apple suportam as bandas n40 (2300), n77 (3700) e n78 (3500).

Algumas empresas já operam com a quinta geração no Brasil. A Claro utiliza 5G DSS com a banda n7 (2600) em bairros de São Paulo e Rio de Janeiro, enquanto a Vivo adota a mesma tecnologia de compartilhamento de espectro em regiões de oito capitais brasileiras. Já a Oi possui 5G NR em Brasília na banda n1 (2100), sem compartilhamento dinâmico de espectro.

iPhone 12 não suporta 5G mmWave fora dos EUA

Um detalhe importante do lançamento da Apple é que o suporte ao 5G de ondas milimétricas (mmWave) está restrito aos aparelhos dos EUA (A2408, A2412, A2341 e A2342). As variantes têm suporte a todas as frequências de 5G Sub6 que serão adotadas no Brasil, mas a banda de 26 GHz não está presente em nenhum modelo.

As frequências de ondas milimétricas trazem altíssimas velocidades, mas ao custo de má penetração de sinal. A tecnologia é ideal para locais com alta concentração de pessoas, como estádios, aeroportos e shoppings, mas inadequada para cobertura de cidades inteiras.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação