Início » Computador » Chromebooks superam Macs em vendas anuais pela primeira vez

Chromebooks superam Macs em vendas anuais pela primeira vez

Enquanto novos Chromebooks venderam mais e tomaram o lugar da Apple, o Windows perdeu 4,9% das vendas entre 2019 e 2020

André FogaçaPor

O Chrome OS dos Chromebooks fechou o ano de 2020 como o segundo sistema operacional mais vendido em computadores, notebooks e workstations, passando o macOS pela primeira vez quando todo o período é considerado. Este número vem de uma pesquisa feita pela IDC, que leva em conta a presença de cada OS nos dispositivos vendidos, sem considerar os tablets.

Chromebooks (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Chromebook (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

O macOS já passou para o terceiro lugar na lista dos sistemas operacionais mais utilizados em computadores vendidos durante algum trimestre de outros anos, mas esta é a primeira vez que o OS da Apple perde também a somatória final para fechar o ano, em disputa com os rivais Windows e Chrome OS – o segundo presente apenas em Chromebooks.

O Windows continua como o sistema operacional mais utilizado dentre as três principais opções para os usuários, mas o crescimento do Chrome OS mostra que a entrega de máquinas mais baratas e o foco destes dispositivos em educação pode ter feito a diferença em um ano conturbado pela presença da pandemia de COVID-19, causada pelo novo coronavírus.

Os números para os quatro trimestres do ano de 2020, segundo dados da IDC, ficaram assim:

1º trimestre2º trimestre3º trimestre4º trimestre
Windows87,5%81,7%78,9%76,7%
Chrome OS5,3%10%11,5%14,4%
macOS5,8%7,6%8,4%7,7%

O gráfico abaixo pode ajudar a enxergar o caminho de subida do Chrome OS, ultrapassando o macOS da Apple logo no começo do primeiro trimestre e seguindo assim até o final do ano analisado.

Participação de mercado dos Chromebooks subiu em 2020 (Imagem: divulgação/GeekWire)

Participação de mercado dos Chromebooks subiu em 2020 (Imagem: divulgação/GeekWire)

Olhando para os números fechados de todo o ano de 2020, também levando em conta apenas números de notebooks, desktops e workstations vendidas no período (tablets com Windows e Chrome OS, mesmo que bem raros, são ignorados), o Windows continua como o primeiro colocado:

  • Windows: 80,5%
  • Chrome OS: 10,8%
  • macOS: 7,5%

Chromebooks cresceram e o Windows caiu

Por mais que o número mais brilhante na tabela seja o representado pelo sistema operacional do Google, o Windows é o concorrente que mais sofreu em 2020. O produto da Microsoft viu seu confortável primeiro lugar descer 12,15% quando a comparação envolve apenas os trimestres de forma separada, começando no primeiro e terminando no quarto.

No número anual o tombo é menos doloroso. A participação do Windows em máquinas vendidas em 2020 é 4,9 pontos porcentuais menor quando comparado com o mesmo dado do ano anterior, em 2019, quando registrou presença em 85,4% dos PCs. O Chrome OS subiu 4,4 pontos e saiu dos 6,4% daquele ano. Já o macOS teve a menor alteração do trio, subindo apenas 0,8% de um ano para o outro.

Os dados divulgados nesta semana podem dar um alerta necessário para a maior adoção do Chrome OS por mais marcas, junto do fôlego extra para os parceiros notarem os Chromebooks como opção viável para quem busca um computador mais barato e que atende o básico das necessidades, como ver e-mails, escrever textos (tem o Google Docs e o Microsoft Office pode ser utilizado via app para Android), navegar pela internet e até mesmo jogar alguma coisa via streaming, como um Google Stadia, xCloud ou GeForce Now da vida.

Com informações: GeekWire e 9to5Google.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

Hm… ChromeBook tá vindo para ficar, pelo jeito. Ainda mais nas versões enterprise que possuem chips normais que até podem rodar o Windows.

Mas uma coisa, é por unidade vendida, né? Porque se fosse por lucro gerado, os MacOS estariam disparados na frente ainda.

Unico problema dos ChromeBooks mais simples é que eles são dependentes de internet para quase tudo. O que pode ser complicado.

Gabriel Zanin Guedes (@Gabriel_Zanin_Guedes)

Eu comprei no segundo semestre de 2020 um Samsung Chromebook V2 Plus para substituir o note que preciso levar na mochila, já que o antigo morreu. Eu não precisava de nada exigente, apenas de algo com um bom teclado, uma boa tela, com conectividade ampla, duração de bateria e que pesasse pouco. Mas me surpreendi também pela qualidade do equipamento e com o sistema operacional, de uma usabilidade muito prática, direta. Nada com muitas etapas a serem percorridas para se realizar uma tarefa. E um terminal Linux facilita a vida de quem quem precisa trabalhar com código ou acessar alguma ferramenta de tecnologia mais avançada. Valeu a compra.

André Fogaça (@fogaca)

Sim, unidade vendida. A diferença tá no preço: enquanto o Mac mais barato custa US$ 999 (considerando um portátil, já que Mac Mini sai por US$ 700), o Chromebook consegue ser vendido por uns US$ 160 (Acer C720P na Best Buy, por exemplo). Tudo bem que são pra públicos completamente diferentes, mas pra quem precisa só de uma máquina pra estudar ou usar pouco, o Chrome OS serve bem.

Meikson (@Meikson)

se o google usar o clodready para liberar o chrome os para pcs e notebooks comuns, eles vão pegar uma fatia bem notável do mercado, vai cair como uma luva para as pessoas que tem um notebook ou computador simples que serve para navegar na internet, ao mesmo tempo também tem que lembrar que hoje já se usa mais celular do que pc/note para acessar internet

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Antigamente era assim, sem internet você não fazia nada com o ChromeOS, mas atualmente o cenário mudou, o Google desenvolveu o modo off-line para grande parte das suas aplicações nativas. Outro detalhe, em 2021 onde não se tem WiFi se tem um 4G ou 3G. Desde que migrei para o chromebook, particularmente conectividade nunca foi o problema.

Gabriel Freire (@Gabriel_Freire)

Na verdade as pessoas não compram um Chromebook por ignorância mesmo. Eu comprei um Acer modelo C733, com 4 GB de RAM e 32 GB de armazenamento com entrada pra cartão de memória. Quem acha que é só pra navegar na internet tá muito, mas muito mesmo enganado.
Como os Chromebook mais atuais vem com o Linux Beta que dá pra usar muitos apps do Linux. Fora os aplicativos da Play store que também dá pra usar.
Eu mesmo estou aprendendo programação Python e já preparando o ambiente para aprender HTML, CSS e Java. Tudo isso pelo Chromebook. Não tem muito conteúdo na internet em português ensinando a baixar os programas pelo terminal, mas você encontra um ou outra canal no YouTube ensinando a fazer tudo.
Aqui no Brasil os modelos de Chromebook são muitos precários, com pouca memória RAM e armazenamento interno e Intel Celeron, enquanto lá fora você encontra alguns mais poderosos com Intel i3 e tudo mais, que no momento não vende para o Brasil. Na verdade o próprio Chromebook não foi criado pra ser vendido em uma escala global, tanto é que o teclado dele é muito diferente de outros notebook, alguns nem o “ç” tem.
Mas é isso, tô adorando o meu, bateria dura pra caramba, qualidade da tela e áudio perfeitos para meu uso. Tem alguma empecilhos as vezes de não rodar programas do windows, mas praticamente tudo que dá pra rodar no Linux normal, você consegue rodar no Chromebook também. O sistema operacional Chrome OS tá sempre sendo atualizado e meu modelo recebe atualizações até julho de 2026, um ponto importante a ser analisado antes de comprar. Quem usa o Chrome OS sente como se estivesse usando um Android em um notebook, sistema operacional bastante simples e leve.
Espero que meu comentário ajude as pessoas a pesquisarem e se informarem melhor sobre tudo isso.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Nem todo mundo tem coragem de sair do Windows, para alguns, preguiça não deixa.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Sim no Brasil é assim mesmo, na América do Norte por exemplo , outros sistemas não tem tanta rejeição como aqui.

² (@centauro)

No Brasil eu diria que é mais porque não vale o quanto cobram.
Fora que acostumar com o teclado do chromebook, pra mim, é um saco.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Meu Chromebook é um i5 Quad Core, de oitava geração, comprei no Brasil, uso para trabalhar e atividades pessoas, quando modelos como o meu chegou por aqui, acredito que não houve muito interesse, desde então não vi mais nada similar por aqui.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Sobre o teclado na minha opinião é super fácil, isso porque tenho um chromebook nacional com "ç"e outro importado sem o cedilha. No meu caso não faz diferença, sobre os preços desde 2019 TODOS os laptops vem com uma crescente de preço, antigamente se comprava Chromebook por R$ 800,00.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Eu comprei o mais potente, devido necessidades profissionais e não pessoais, o segundo Chromebook é mais básico e para atividades pessoais me atende em tudo perfeitamente.

² (@centauro)

Uma tecla dedicada pra ç não só não faz diferença nenhuma pra mim como eu prefiro que não tenha.

O problema do teclado, pra mim, é a falta da fileira de funções (não tem como usar um alt+f4 fácil), a falta de um delete, a falta de um Win/CMD e trocar o caps por uma tecla pra busca eu achei desnecessário. Mas cada um com suas preferências.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Concordo que existe muitas aplicações, que é útil as teclas F4 e derivadas, quem usa realmente faz falta mesmo.

Não entendi bem o que você quis dizer com WIN/CMD,caso seja sobre “Prompt” você pode usar o Chrosh e caso não atenda o que precisa pode simplesmente ativar o recurso do terminal.

Se você já outros SO, sabe que em muitos tem o busca, só que para ativar o busca você precisar usar o cursor do mouse ou usar um atalho. No chromebook é mais fácil você aperta uma teclado e digita o que procura, detalhes que nas últimas versões do chrome os essa busca melhorou em muito.

Tulio Eduardo (@Tulio_Eduardo)

Tomei cuidado com as dobradiças do seu Plus V2.

Exibir mais comentários