Início » Negócios » Canais do YouTube no Brasil serão tributados pelos EUA em até 30%

Canais do YouTube no Brasil serão tributados pelos EUA em até 30%

Receita de canais no Brasil obtida com usuários nos Estados Unidos será tributada pela Receita Federal americana

Victor Hugo Silva Por

O Google vai descontar parte dos ganhos de youtubers fora dos Estados Unidos a partir de junho de 2021, afetando inclusive criadores no Brasil. A medida será adotada para cumprir uma determinação do Internal Revenue Service (IRS), equivalente americano da Receita Federal. Por isso, canais do YouTube terão que pagar até 30% da receita que vier de usuários nos EUA.

YouTube e Google em celular da Samsung (Imagem: Irfan Ahmad/Pixabay)

YouTube e Google em celular da Samsung (Imagem: Irfan Ahmad/Pixabay)

Isso inclui ganhos com visualizações de anúncios, YouTube Premium, Super Chat, Super Stickers e Clube dos Canais. A receita obtida pelos criadores de conteúdo com usuários fora dos EUA não será considerada no cálculo.

Os donos de canais do YouTube devem apresentar informações fiscais pelo AdSense até 31 de maio de 2021. Os dados serão usados para verificar se há alguma retenção tributária e qual valor será descontado. Caso o procedimento seja realizado dentro do prazo, o desconto de até 30% levará em conta somente os ganhos com usuários nos EUA.

Por outro lado, caso as informações não sejam apresentadas pelos criadores de conteúdo, o desconto será bem maior. Isso porque o cálculo vai considerar 24% da receita do canal em todo o mundo, e não só em território americano.

Em resumo, a tributação em ganhos no YouTube com usuários nos EUA seguirá estes três cenários:

  • 15% sobre ganhos nos EUA: criadores que forneceram dados e estão em países com acordo fiscal com os EUA;
  • 30% sobre ganhos nos EUA: criadores que forneceram dados e estão em países sem acordo fiscal com os EUA – é o caso do Brasil;
  • 24% sobre ganhos em todo o mundo: criadores que não forneceram dados até 31 de maio de 2021.

Como enviar informações fiscais ao Google

Os dados poderão ser enviados por meio de formulário no AdSense. Para acessá-lo, basta seguir estes passos:

  1. Clique em Pagamentos;
  2. Clique em Gerenciar configurações;
  3. Clique em Perfil para pagamentos;
  4. Em seguida, clique em Editar (o ícone de lápis) ao lado de Informações de impostos dos Estados Unidos;
  5. Por fim, escolha Gerenciar informações fiscais.

Ao preencher o formulário, o Google vai indicar se há necessidade de deduzir algum valor por conta de ganhos com usuários do YouTube nos EUA. Na opção Informações de impostos dos Estados Unidos, o AdSense apresenta os descontos que podem ser aplicados aos seus pagamentos.

As informações fiscais deverão ser apresentadas a cada três anos. O Google explica que a medida foi adotada para cumprir o código do IRS, que obriga a empresa a ter acesso a dados fiscais de youtubers fora dos EUA para descontar impostos de quem ganha dinheiro com usuários no país. A empresa promete mudar seus termos de serviço em breve para indicar sobre a possibilidade da cobrança.

Com informações: Google.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
18 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

E isso que o YT já monetiza menos canais em língua portuguesa (não sei exatamente qual política se aplica). Conheço criador de conteúdo que tem canal em português e em inglês. No canal em inglês tem menos views e mais rentabilidade.

Na prática acredito que o impacto pros criadores de conteúdo daqui vá ser minúsculo de uma forma geral porque não sei até que ponto usuários americanos consomem conteúdo tupiniquim.

wesley soares (@wesley_soares)

O Brasil deveria agir na mesma moeda, e taxar todo conteúdo externo também, afinal no Brasil tenho certeza que vemos muito mais conteúdo americano do que o contrário. Questão de reciprocidade.
Antigamente eu me lembro que eu reclamava desse tipo de atitude como obrigar Tv estrangeira a ter conteúdo nacional etc…
Mas hoje eu já vejo como necessária, praticamente tudo que usamos é americano ou estrangeiro, precisamos não impedir mas começar a taxar Google, Apple, etc… De forma adequada tal qual eles fazem com nossas empresas lá, e ser protecionistas tal qual eles são conosco, vide a briga entre Austrália e Google no caso das notícias.

R F (@R_F)

Os papais no poder desse país nunca iriam permitir isso principalmente porque seria mais fácil essas empresas americanas de conteúdo digital saírem do Brasil.

Enquanto o Brasil não tiver caráter para botar a mão na massa para produzir esse tipo de mercado ao invés de … perdoe a expressão ficar chupando p&? de governo e empresa gringa. O Brasil nunca vai ter autonomia pra tomar uma decisão dessas.

wesley soares (@wesley_soares)

Sou obrigado a concordar com você, infelizmente somos uma república de bananas

Bruno Who? (@brunossn)

Amigo, a gente já taxa iPhone e macbook em quase 100%, quer taxar mais?

R F (@R_F)

Hahaha. Só o que faltava… o serviço nem é nosso, não é hospedado no Brasil e você quer que nossos YouTubers paguem imposto porque produzem conteúdo? Já não basta a parte de ter que pagar uma parte pro Google e agora pro EUA.

Antes de mais nada, para ter o mesmo cenário que os EUA nessa situação, nos precisariamos hospedar o serviço e ter o público americano como audiência dos nossos “youtubers”.

Só não me diga que para ser criativo agora também precisa pagar imposto em um serviço estrangeiro. Isso seria o fim.

Jedielson (@Jedielson)

Gooo Biden! hahaha

@ksio89

Quantos youtubers brasileiros não comemoraram a eleição do Biden, nada melhor do que demonstrar o apoio tirando dinheiro do próprio bolso hehe. Mas não sei se tem tantos usuários americanos que acompanham canais brasileiros.

E pior é saber que tem gado que defende mais imposto, essa obsessão do brasileiro médio por impostos e regulação do Estado tem que ser estudada.

wesley soares (@wesley_soares)

Os EUA não faz protecionismo? Sugiro você a pesquisar sobre o mercado agropecuário americano, ou mesmo o de aviação onde a Embraer atua, depois volta aqui e debatemos. EUA sempre foram protecionistas, livre mercado só existe para empresas nascidas lá ou de aliados.

Bruno Who? (@brunossn)

A gente poderia copiar as taxas de importação de hardware dos Estados Unidos nesse caso rs.

Helliton Soares Mesquita (@Helliton_Soares_Mesq)

Fingimento. O EUA faz diversos acordos com vários países para mitigar as proteções, porém o Brasil costuma não participar delas.

Adriano Angelo (@Angelo)

Essa galerinha neoliberal é bugada mesmo… Pagar imposto pros EUA pode, mas pro Brasil, não. Você mora em qual país mesmo?