Início » Finanças » Como enviar ou receber dinheiro do exterior no Brasil

Como enviar ou receber dinheiro do exterior no Brasil

Não é só com bancões que se pode movimentar remessas internacionais; saiba como enviar ou receber dinheiro do exterior

Lucas Lima Por

Quem começa a lidar com recebimento de remessas em outra moeda ou precisa pagar alguém que tem conta fora do país lida com a questão que já foi muito burocrática. Assim como bancos digitais simplificaram alguns processos financeiros, outras fintechs se propõem a facilitar a transferências de recursos internacionais. Entenda o que é preciso e como enviar ou receber dinheiro entre o exterior o e Brasil.

Dinheiro para o exterior (Imagem: Christine Roy/Unsplash)

Dinheiro para o exterior (Imagem: Christine Roy/Unsplash)

Dinheiro do exterior: o que preciso saber?

Por se tratar um valor em outra moeda, é preciso que o banco esteja habilitado a receber em outra moeda. Em bancos tradicionais, os bancões, o cliente deve entrar em contato com a instituição para verificar se a conta tem essa possibilidade.

Pode ocorrer de a modalidade da conta não ter a função (em contas-salário, por exemplo) ou que o serviço seja caro demais ao cliente. Nesses casos, resta recorrer a uma fintech que atua como um intermediário: recebe o dinheiro do exterior e depois envia para a conta brasileira do cliente, cobrando uma comissão no processo.

Código IBAN e SWIFT

Há dois identificadores que entram nessa jogada também: o código IBAN e SWIFT.

O IBAN é a sigla para International Bank Account Number ou Número Internacional de Conta Bancária, na tradução livre. É o identificador de 29 caracteres alfanuméricos para cada conta que pode receber em moeda estrangeira, seja dólar, libra, euro, etc.

SWIFT corresponde a Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication (Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais). É outro código de 8 a 11 caracteres que identifica instituições financeiras pelo mundo e permite a conexão entre elas.

Em algumas instituições, é cobrada a taxa SWIFT, para arcar com os custos financeiros da operação na rede interbancária. A exigência do IBAN ou SWIFT vai depender do banco ou fintech usados no processo de enviar ou receber dinheiro do exterior, pode ser necessário um ou ambos os identificadores.

Que documentos são necessários para receber do exterior?

Depende da operação. Em transferências de valor elevado, alguns documentos são exigidos pelo Banco Central, para garantir segurança e regularidade da remessa. Confira abaixo.

  • Do Google Adsense, acima de US$ 20 mil: exige o comprovante de pagamento fornecido pelo Google;
  • Transferências entre pessoas físicas de mesma titularidade, acima de US$ 10 mil: precisa de um contrato de câmbio de saída dos valores ou declaração de imposto de renda que demonstre a origem dos recursos;
  • Para outra pessoa física, acima de US$ 20 mil: documento que comprove a origem dos recursos, como a declaração do imposto de renda do remetente;
  • Retorno de investimentos: em caso de corretoras no exterior, um extrato dos últimos 30 dias;
  • Pagamento de serviço a partir de US$ 3 mil: contrato de prestação de serviço e de um invoice contendo uma descrição dos serviços prestados;
  • Recebimento de salário: contrato que comprove o vínculo empregatício.

Esses documentos se referem a uma pessoa física, para pessoas jurídicas, a lista é outra.

E os documentos necessários para enviar dinheiro?

Para o envio de recursos ao exterior, a lista de documentos é mais curta:

  • Pagamento de serviços: exige o envio de um invoice e de um contrato de prestação de serviços;
  • Pagamento de cursos: um invoice ou um contrato de prestação de serviços educacionais;
  • Investimentos: é preciso providenciar um comprovante de abertura da conta de investimento que inclua o número da conta e o nome do titular;
  • Compra ou aluguel de imóvel: o contrato de compra ou de locação assinado por ambas as partes envolvidas.
Dinheiro do mundo (Imagem: Jason Leung/Unsplash)

Dinheiro do mundo (Imagem: Jason Leung/Unsplash)

Como enviar ou receber dinheiro do exterior

Com tudo em panos limpos, fica mais fácil de entender o processo de uma transferência internacional. Como dito, esse processo é mais fácil (e mais barato) ao usar fintechs que atuam como intermediários para receber o dinheiro da conta do exterior e depois mandar para uma conta brasileira ou vice-versa.

Para o recebimento, o processo consiste em:

  1. Enviar os dados solicitados pelo remetente (IBAN, SWIFT ou ambos);
  2. Após a transferência, que pode levar até dois dias úteis para chegar à conta da plataforma usada, informe os documentos necessários, se for preciso;
  3. Resgate o dinheiro informando à plataforma em qual conta deve ser transferido o valor — a conversão é feita nesse momento;
  4. Aguarde o dinheiro cair na conta do Brasil.

O inverso é quase o mesmo: escolher o valor; identificar o destinatário; e enviar o dinheiro. Algumas plataformas recebem o TED no valor da remessa (com as taxas) ou emitem o boleto para cobrir a transferência.

As taxas aplicadas no envio ou recebimento de dinheiro do exterior variam entre as plataformas, algumas são gratuitas para a manutenção da conta e aplicam só uma taxa de comissão na operação.

Abaixo listo algumas fintechs que prestam esse serviço.

1. Remessa Online

A Remessa Online é gratuita, cobra só durante as transações: taxa de R$ 5,90 para transferências abaixo de R$ 2.500, além do custo de 1,3% sobre o valor da remessa. Na página inicial há um simulador para entender os custos da fintech.

2. TransferWise (Wise)

Outra plataforma popular nesse segmento. A TransferWise, que agora só chama Wise, é bem semelhante ao Remessa Online e também tem um simulador na página inicial do site. É gratuita e só aplica taxas nas transações.

Importante: no momento, as transferências em real (BRL) foram suspensas. A empresa já recebeu autorização do Banco Central para atuar como corretora de câmbio no país, mas está sendo acusada de envio ilegal de dinheiro. Não há previsão para o retorno das operações no Brasil.

3. WesternUnion

A WesterUnion também é gratuita para se registrar. Uma vantagem é que é possível resgatar o dinheiro com agentes: há um localizador no site para identificar agências disponíveis para a operação de envio ou recebimento.

4. Usend

A Usend é outra fintech como a Remessa Online e TransferWise. Todo o processo é feito no app, não há taxa de manutenção. No entanto, a instituição só faz o envio do dinheiro, não serve para recebimentos.

Quando tempo demora?

Depende. Normalmente as transações podem demorar quatro dias úteis, sendo dois para o recebimento da fintech e mais dois para a conta do Brasil ou do exterior. Se o pagamento da remessa for feito via boleto, pode demorar um pouco mais.

Vale sempre pesquisar em qual plataforma ficará mais barato o processo. Por serem gratuitas, não há necessidade de se fidelizar em só uma delas. Em valores baixos a diferença pode ser pouca, mas quando se trata de uma transferência mais significativa, esses centavos se multiplicam.

Com informações Remessa Online 1, 2, 3.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando