Início » Computador » Mi Laptop Pro tem tela OLED 3,5K e Intel Core de 11ª geração

Mi Laptop Pro tem tela OLED 3,5K e Intel Core de 11ª geração

Xiaomi Mi Laptop Pro com processador Intel de 11ª geração possui opções com telas de 14 e 15 polegadas e placa de vídeo Nvidia

Bruno Gall De BlasiPor

Xiaomi apresentou, nesta terça-feira (30), o Xiaomi Mi Laptop Pro. O notebook chega aos consumidores em duas edições com processador Intel Core de 11ª geração e Windows 10, sendo uma delas com tela OLED de 15 polegadas e resolução 3,5K. A segunda opção possui display LCD de 14 polegadas e taxa de atualização de 120 Hz.

Xiaomi Mi Laptop Pro de 15 polegadas (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Xiaomi Mi Laptop Pro de 15 polegadas (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Os computadores da Xiaomi chegam com foco em mobilidade. Não à toa, o notebook com 14 polegadas tem 15,6 mm de espessura enquanto o laptop com 15 polegadas mede 15,9 mm. Os lançamentos estão disponíveis em duas cores: cinza e prata.

O Mi Laptop Pro de 15,6 polegadas é o destaque da dupla. Além de ser o maior, o computador traz painel OLED, resolução 3,5K (3456 x 2160 pixels) e vidro Gorilla Glass. O modelo de 14 polegadas, por outro lado, tem tela LCD e resolução 2,5K (2560 × 1600), mas sua taxa de atualização é de 120 Hz.

Os dois computadores têm 16 GB de RAM, 512 GB de SSD e placa de vídeo Nvidia GeForce MX450, a depender do modelo escolhido. A dupla também traz Wi-Fi 6, teclado retroiluminado e três portas USB-C, sendo uma delas Thunderbolt. As baterias dos modelos de 14 polegadas e de 15 polegadas são de 56 WHr e 66 WHr, respectivamente.

Xiaomi Mi Laptop Pro de 14 polegadas (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Xiaomi Mi Laptop Pro de 14 polegadas (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Xiaomi Mi Laptop Pro: preço e disponibilidade

O notebook com 15 polegadas será vendido na China a partir de 2 de abril; o modelo com processador AMD Ryzen 5000H (45 watts), por sua vez, chega em maio. Confira, a seguir, os preços sugeridos do lançamento com processador Intel Core de 11ª geração:

  • Intel Core i5: 6.499 iuanes (cerca de R$ 5.685 em conversão direta);
  • Intel Core i5 com Nvidia GeForce MX450: 6.999 iuanes (cerca de R$ 6.120);
  • Intel Core i7 com Nvidia GeForce MX450: 7.999 iuanes (cerca de R$ 7.000).

O modelo com tela de 14 polegadas está previsto para ser comercializado a partir de 1ª de maio pelos seguintes valores:

  • Intel Core i5: 5.299 iuanes (cerca de R$ 4.635 em conversão direta);
  • Intel Core i5 com Nvidia GeForce MX450: 5.999 iuanes (cerca de R$ 5.250);
  • Intel Core i7 com Nvidia GeForce MX450: 6.999 iuanes (cerca de R$ 6.120).

Não há previsão de lançamento do Xiaomi Mi Laptop Pro no Brasil.

Com informações: Gizmochina e GSMArena

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Talison de Paiva (@talison.paiva)

Antes de começar a ler uma matéria aqui no Tecnoblog de algum produto que tenho interesse, sempre vou no final da publicação só pra ver se tem o famoso último parágrafo: “Não há previsão de lançamento do no Brasil.”
Ai já não leio ou leio com bem menos interesse rsrsrs

Eu (@Keaton)

Eu queria ver é o lançamento dos notebooks com Ryzen mobile. :
Esses Intel estão sendo um fiasco. hahaha

Guilherme Borges (@Loumier)

Finalmente um modelo da Xiaomi com porta Thunderbolt. Estava sentindo falta disso nos modelos anteriores.

Guilherme Borges (@Loumier)

Bem, a Xiaomi nunca lançou nenhum notebook no Brasil. Então por padrão é de se esperar que esse também não venha. Mas você sempre tem a opção de importar, algumas pessoas compraram.
Meu primo comprou Mi Notebook Air há 3 anos, mas isso porque ele viajou pra China.

Sérgio (@trovalds)

Intel, dispenso.

Talison de Paiva (@talison.paiva)

Ah sim, mas digo não apenas sobre notebooks (da Xiaomi, neste caso), mas outros aparelhos, como celulares, caixas de som, fones de ouvido etc. Muitas coisas boas nunca estão disponíveis no Brasil. Talvez pela burocracia e impostos altos. E claro que temos a opção de importar, mas não são todos que têm essa oportunidade.
O jeito é ficar com o que tem aqui no Brasil, e sempre pagando horrores, infelizmente.