Início » Negócios » Como clubes de vinil aproveitam algoritmos para fidelizar assinantes

Como clubes de vinil aproveitam algoritmos para fidelizar assinantes

Clubes de vinil retomam colecionismo, com toque digital de algoritmos, para recomendar discos com base no perfil do assinante

Lucas Lima Por

Clubes de assinatura já existem há um tempo com um mesmo formato conhecido: o cliente paga um valor fixo por mês e recebe a mesma caixa que todos os outros assinantes. Seja clube de livro, de itens geeks, cosméticos, vinhos ou de vinil, o modelo é o mesmo — variando alguns brindes aqui e ali. No entanto, algumas empresas apostam em algo variado.

Em especial para o vinil, que chega a ter uma das assinaturas mais caras, a exigência é maior, sendo difícil chegar a um resultado que agrade todos. Para isso, alguns clubes (do exterior) apostam em algoritmos para fazer a seleção do disco de vinil do mês.

Disco de Vinil (Imagem: Roman Kraft/Unsplash)

Disco de Vinil (Imagem: Roman Kraft/Unsplash)

A fórmula de algoritmo + clube de assinatura

Basicamente, ao fazer o cadastro na plataforma, esses clubes de assinatura de vinil pedem ao cliente que escolha um gênero favorito ou conectem uma conta do Spotify, por exemplo, para saber em qual disco apostar.

Dessa forma, o assinante consegue fazer a coleção crescer com coisas que, teoricamente, gosta. No formato padrão, o Facebook está cheio de ouvintes de vinis que procuram um bom negócio naquele disco que chegou do clube, mas não é nenhum pouco parecido com o restante da coleção — seres ecléticos são exceções.

4 clubes de vinil que usam algoritmos para sugerir discos

Como mencionei, os clubes abaixo são do exterior. No Brasil, as assinaturas não são tão variadas como ocorre com livros, mas existem — listei as opções disponíveis abaixo dos serviços do exterior.

1. Vnyl

No Vnyl, o assinante diz à plataforma qual é o gosto musical e conecta a conta do Spotify na plataforma. A partir disso, os curadores usam esses dados do perfil e uma “vibe” escolhida todos os meses para selecionar o disco a ser enviado. Um passo opcional é conectar também a conta do Discogs, para evitar receber algo que já esteja na coleção.

O Vnyl custa a partir de US$ 39 ao mês. Este serviço não despacha para o Brasil.

Caixa do Vnyl (Imagem: Divulgação/Vnyl)

Caixa do Vnyl (Imagem: Divulgação/Vnyl)

2. Blind Tiger Record Club

Os assinantes desse clube de vinil podem escolher um gênero musical ou uma categoria chamada “discover” (descobrir). A partir disso, o serviço seleciona um álbum para enviar ao cliente todo mês. É permitido trocar entre os gêneros.

A assinatura do Blind Tiger Record Club no plano trimestral custa US$ 102 (não tem cobrança mensal). Há entregas para o Brasil, mas o plano trimestral sobe para US$ 147.

3. Vinyl Me, Please

Vinyl Me, Please trabalha com quatro “faixas” no clube: Clássicos, Essenciais, Hip-Hop e Country. Ao assinar, o ouvinte escolha entre uma dessas categorias para receber um vinil correspondente todo mês. Trocar entre os gêneros é permitido também.

A adesão do Vinyl Me, Please custa a partir de US$ 33. Há entregas para o Brasil, mas o valor sobe para US$ 52.

4. Black Box Record Club

Não só um vinil, o Black Box Record Club entrega uma caixa com dois discos e alguns brindes. Nesse clube, os assinantes podem recomendar as suas músicas favoritas ou conectar a conta do Spotify para receber LPs que agradem mais.

Black Box Record Club (Imagem: Divulgação/Black Box Record Club)

Black Box Record Club (Imagem: Divulgação/Black Box Record Club)

O valor é mensal é de US$ 40. O Black Box Record Club tem uma modalidade internacional por US$ 34, mas o Brasil não aparece na lista. A empresa diz no rodapé que se o país não estiver na lista, basta enviar um e-mail para [email protected] para que adicionem.

E no Brasil, quais são os clubes de disco?

Aqui no Brasil encontrei três clubes de assinatura de vinis, mas com uma modalidade fixa: todos os ouvintes recebem o mesmo LP.

1. Noize Record Club

O Noize Record Club é o primeiro clube de vinil da América Latina, trata-se do que eles declaram ser um “clássico instantâneo”. O serviço envia um kit com o disco exclusivo e uma revista Noize de 60 páginas, para complementar a experiência do álbum.

A assinatura mensal do Noize Record Club custa R$ 75. Os mesmos discos também são vendidos para não assinantes por R$ 125, mas em uma tiragem limitada que esgota em pouco tempo. A única garantia que receberá a cópia exclusiva é sendo membro do clube.

LPs e revista Noize (Imagem: Divulgação/Noize)

LPs e revista Noize (Imagem: Divulgação/Noize)

2. Três Selos

Um pouco mais salgada, a assinatura da Três Selos custa R$ 120 por mês. Nesse clube, é enviado um disco (já publicado) em edição especial, em 180 gramas, com luva empastada, encarte com 12 páginas e pôster exclusivo.

Os discos avulsos da Três Selos podem ser comprados por R$ 160. Mas também não há garantia da durabilidade do estoque.

3. Vinil Brasil Clube

Também uma fábrica de discos de vinil, a Vinil Brasil tem o próprio clube, que entrega um dos lançamentos do mês aos assinantes, antes de ser vendida na loja do selo.

O valor da assinatura mensal é de R$ 135. Após chegarem à loja, os valores dos vinis podem variar, para consumidores não assinantes deste clube, e também estão sujeitos à disponibilidade do estoque.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando