Arquivo Celular

Nintendo no vermelho pode ser ótimo para o futuro da Big N

"Vender console só à base de Mario, Zelda e Metroid não está mais dando tão certo."

Izzy Nobre
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Minha relação com a Nintendo tem sido estranha nos últimos anos. Embora a Big N (quem inventou esse apelido, aliás?) tenha marcado a minha infância e me condicionado a ver o SNES, eternamente, como o melhor console produzido pela raça humana, minha postura crítica em relação a algumas decisões da empresa me rendeu a aparência de hater da Nintendo.

Talvez por isso tantos amigos no Twitter tenham corrido pra me dar as “boas novas”: pela primeira vez em mais de trinta anos, a Nintendo se viu anunciando prejuízo.

E que prejuízo: a Nintendo perdeu mais de meio bilhão de dólares. É uma perda considerável; não fosse a hegemonia mantida pela empresa nos últimos anos (lembra quando o DS e o Wii eram essencialmente licenças pra imprimir dinheiro?) a situação estaria mais complicada.

É fácil entender a queda da Nintendo. O Wii não envelheceu muito bem (e não tem mais monopólio no ramo de captura de movimento), e acho que o artifício da tela de toque do DS perdeu um pouco aquele apelo quase mágico quando uma boa parcela da população mundial passou a ter tecnologia de tela sensível ao toque no bolso da calça.

Além disso, a lista de lançamentos para ambos os consoles tem definhado cada vez mais. Enquanto PS3 e Xbox 360 recebem títulos como Gears of War 3, Skyrim e Modern Warfare 3, o Wii tem títulos como este aqui:

Diga aí com sinceridade: você sequer sabia que esse jogo saiu no ano passado? Você já tinha pelo menos ouvido falar do Conduit 1 (que se chama The Conduit, na verdade)? Você tem algum amigo que falou algo como “mal posso esperar pra chegar em casa e jogar Conduit 2 online com o pessoal da faculdade!”?

A essa altura do campeonato, praticamente qualquer pessoa que algum dia quis ter um Wii ou um DS já o tem. Isso, somado com um acervo de jogos muito deficiente em comparação com o que os concorrentes oferecem, tornou o Wii quase que completamente irrelevante às vésperas de seu sexto aniversário (enquanto não faltam motivos pra pegar os outros consoles).

E esse também não foi o único problema. A Nintendo começou a nova geração de portáteis com o pé esquerdo, e viu-se obrigada a cortar o preço do 3DS às pressas. A manobra impediu minha profecia apocalíptica para o novo portátil, mas isso fez com que a Nintendo essencialmente vendesse o 3DS abaixo do preço de custo.

É uma reviravolta sem precedentes, uma vez que a Nintendo tem histórico de dominação completa no portátil. Ver a empresa perdendo dinheiro com um sucessor do DS é difícil de acreditar. Vender o 3DS abaixo do preço de custo foi uma estratégia arriscada, mas é o custo de expandir a base instalada do 3DS, uma manobra que certamente valerá à pena no futuro.

Não dá pra viver só de Mario, Zelda e Metroid

Mas que futuro? Em primeiro lugar, a Nintendo precisa atrair mais parceiros. Esse negócio de ficar vendendo console só à base de Mario, Zelda e Metroid não está mais dando tão certo (pelo menos não num console moribundo como o Wii). Nenhuma franquia exclusiva da Nintendo faria, a essa altura do campeonato, o que Modern Warfare 3 faz pelo Xbox 360 ou o PS3, por exemplo. O Wii é um console do qual se espremeu até sobrar só o bagaço, e este vindouro o WiiU parece similar demais a ponto de preocupar. Diga-me com honestidade: há alguém lendo essa coluna que esteja ansioso pelo lançamento do WiiU? Eu temo que não haja muitos leitores nesse demográfico.

Porém, não podemos esquecer que a Nintendo foi quem salvou todo a indústria dos consoles após o lendário crash de 1983. Se há uma empresa capaz de reverter um quadro de derrota dessa magnitude, de acordo com o registro histórico eu coloco minhas fichas na Nintendo. Eu tenho a leve sensação de que, assim como a derrota do GameCube levou a Nintendo numa direção nova que se provou extremamente bem sucedida (pelo menos nos primeiros 5 anos de vida do Wii), o declínio da plataforma atual dará a lição necessária para que os mesmos erros não se repitam.

Quem sabe isso não se manifestará como um WiiU com modo online robusto, ou incentivo maior às third parties, ou o retorno do foco hardcore…? Em outras palavras, tudo em que os seus competidores se especializam?

Me diz aí se não seria sensacional ver a Big N de volta ao topo do pódio da corrida dos consoles, como em outrora?

Izzy Nobre

Ex-autor

Israel Nobre trabalhou no Tecnoblog entre 2009 e 2013, na cobertura de jogos, gadgets e demais temas com o time de autores. Tem passagens por outros veículos, mas é conhecido pelo seu canal "Izzy Nobre" no YouTube, criado em 2006 e no qual aborda diversos temas, dentre eles tecnologia, até hoje.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque