A tendência atual são telas com resoluções cada vez maiores. Mas a indústria não abandonou a ideia de desenvolver displays fininhos. Prova disso é a mais recente proeza da LG: a companhia apresentou uma TV OLED que tem menos de 1 mm de espessura – 0,97 mm, para ser exato.

O painel possui 55 polegadas e pesa apenas 1,9 quilo. Com essa leveza toda (para uma TV grandalhona), a LG pôde implementar outra ideia: a fixação do dispositivo à parede é feita com imãs, como se houvesse cola atrás da tela.

Essa “colagem” é feita de modo semelhante à colocação de um cartaz na parede. Além de fina, a tela é flexível, portanto, não há problema em dobrá-la ligeiramente para facilitar o transporte e a própria fixação.

Por enquanto, a tela não passa de um protótipo. A LG não descarta a ideia de lançar uma TV fininha assim, mas, no momento, a preocupação da companhia está em demonstrar os avanços da sua tecnologia.

A LG aposta fortemente no OLED para a atual e as futuras gerações de telas porque a tecnologia é baseada em uma camada orgânica que, por emitir luz própria, dispensa a necessidade de iluminação de fundo. Assim, o OLED viabiliza não só a construção de painéis de espessura reduzida como também a fabricação de telas curvadas – assunto, aliás, discutido recentemente no Tecnocast 020.

Com o protótipo, a LG deixou claro que, do ponto de vista técnico, a tecnologia está mesmo bastante avançada. O problema atual são os custos elevados da produção de painéis OLED. É por isso que as TVs do tipo (a grande maioria, com mais de 50 polegadas) são tão caras.

Esse problema deve ser amenizado logo, no entendimento da LG. A companhia está aumentando a sua produção de telas OLED. A oferta maior pode ajudar a diminuir os preços dos aparelhos. A intenção é fabricar 600 mil TVs do tipo neste ano e 1,5 milhão em 2016.

Com informações: CNET

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados