O que é Micro OLED? Entenda como funciona a tela usada no Apple Vision Pro

Telas Micro OLED têm emissores de luz microscópicos para chegar a densidade de pixels altíssima; entenda a tecnologia de headsets VR e visores de câmeras

Paulo Higa
Por
Apple Vision Pro - WWDC 23 (Imagem: Divulgação/Apple)
Simulação de tela imersiva do Apple Vision Pro, headset com telas Micro OLED (Imagem: Divulgação/Apple)

Micro OLED (Micro Organic Light-Emitting Diode) é uma tecnologia usada em visores eletrônicos de câmeras e headsets de realidade virtual. Sua aplicação gera telas pequenas com altíssima densidade de pixels e características similares aos painéis OLED, como preto verdadeiro e cores vibrantes.

Como funciona um painel Micro OLED?

Uma tela Micro OLED funciona com pixels orgânicos microscópicos que emitem luz própria. Os pixels são dispostos sobre uma superfície de silício monocristalino, material que permite uma densidade de pixels de 3.000 a 5.000 ppi (pixels por polegada), significativamente maior que a encontrada em TVs, monitores e celulares.

A formação de imagem começa nos eletrodos (ânodo e cátodo), que controlam diretamente a camada orgânica de emissão de luz, geralmente na cor branca. Os pixels orgânicos têm seu brilho regulado pelos eletrodos e podem ser completamente desligados para exibir o preto verdadeiro.

A luz da camada emissora orgânica é então direcionada para o filtro de cores RGB do painel Micro OLED. A cor final produzida por um pixel depende da intensidade da corrente elétrica aplicada a cada subpixel vermelho, verde ou azul.

Estrutura de uma tela Micro OLED (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Estrutura de uma tela Micro OLED (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Fabricantes de Micro OLED podem adotar diferentes técnicas para aprimorar o desempenho das telas. Uma delas é o uso de microlentes sobre o filtro de cores para direcionar a luz da camada orgânica, o que permite aumentar a eficiência luminosa das telas em 2,2 vezes, melhorando o brilho e o consumo energético.

Não confunda com MicroLED

MicroLED é uma tecnologia de tela com pixels que emitem luz própria e podem exibir o preto verdadeiro. Porém, não usa os materiais orgânicos do OLED e é projetada para grandes eletrônicos, como TVs.

OLED e Micro OLED são a mesma coisa?

OLED e Micro OLED são tecnologias que usam camadas orgânicas para emitir luz, mas o Micro OLED tem diferenças estruturais para alcançar resoluções altas em telas pequenas, geralmente de 0,5 a 2 polegadas.

Telas OLED controlam os pixels por meio de um transistor de película fina (TFT) feito de LTPS (polissilício de baixa temperatura) ou LTPO (óxido policristalino de baixa temperatura). No Micro OLED, o material é substituído por um silício monocristalino que possui maior mobilidade de elétrons e permite criar dispositivos ultracompactos.

Qual a densidade de pixels de uma tela Micro OLED?

O Micro OLED é projetado para atingir densidade de milhares de pixels por polegada. Uma tela Sony ECX339A tem resolução de 1600×1200 pixels em 0,5 polegada, ou seja, 3.636 ppi. Já o MicroOLED MDP02A possui 2600×2088 pixels monocromáticos em 0,61 polegada, o equivalente a 5.467 ppi.

A densidade de pixels do Micro OLED é significativamente maior que o de telas OLED. Uma TV OLED de 55 polegadas com resolução 4K, por exemplo, tem apenas 80 ppi. Já um painel AMOLED de celular premium atinge centenas de pixels por polegada, como o Galaxy S23 Ultra, que possui 501 ppi (3088×1440 pixels em 6,8 polegadas).

Pixels por polegada (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Pixels por polegada (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Quais produtos usam telas Micro OLED?

Câmeras mirrorless geralmente têm Micro OLED no visor eletrônico (EVF). Esse tipo de câmera não possui o mecanismo de espelho dos equipamentos DSLR, impedindo que o usuário veja a luz que chega até o sensor. Por isso, um pequeno Micro OLED é usado para exibir uma imagem digital em tempo real na altura do olho do fotógrafo.

Tela de Micro OLED da Sony (Imagem: Divulgação/Sony)
Tela de Micro OLED da Sony (Imagem: Divulgação/Sony)

Óculos de realidade aumentada, virtual e mista usam duas telas de Micro OLED (uma para cada olho) para exibir imagens de alta resolução em um pequeno espaço, simulando uma grande tela contínua à frente e ao redor do usuário.

Os óculos TCL Nxtwear G, por exemplo, têm duas telas Micro OLED Full HD da Sony que projetam uma TV de 140 polegadas a 4 metros de distância. Já o Apple Vision Pro exibe 23 milhões de pixels em dois painéis Micro OLED, cada um do tamanho de um selo postal, em conjunto com lentes catadióptricas para melhorar a nitidez da imagem.

Apple Vision Pro - WWDC 23 (Imagem: Divulgação/Apple)
Vision Pro, headset de realidade virtual da Apple (Imagem: Divulgação/Apple)

Quais são as vantagens do Micro OLED?

  • Altíssima densidade de pixels: o Micro OLED pode atingir milhares de pixels por polegada, sendo ideal para aplicações de realidade virtual;
  • Preto verdadeiro: os pixels do Micro OLED podem ser completamente desligados para exibir um tom de preto profundo, o que não é possível com os painéis baseados em LCD;
  • Brilho muito forte: a luminância de uma tela Micro OLED pode ultrapassar 5.000 nits, suficiente para reproduzir imagens muito brilhantes com HDR;
  • Boa eficiência energética: como os pixels são controlados individualmente e não dependem de um backlight para emitir luz, o Micro OLED pode gastar pouca energia, o que é importante para dispositivos portáteis com bateria.

Quais são as desvantagens do Micro OLED?

  • Custo muito alto: o Micro OLED é uma tecnologia em fase de amadurecimento com poucas linhas de produção no mundo, o que aumenta seu preço.

Quais são os maiores fabricantes de Micro OLED?

  • Sony Semiconductor Solutions (SSS): divisão de semicondutores da Sony, também produz sensores de imagem para câmeras, receptores de GPS e microtelas de LCD;
  • eMagin: empresa americana fundada em 2000 que produz microtelas de OLED com resolução 2K em sua fábrica em Nova York. Em maio de 2023, anunciou fusão com a Samsung Display em um acordo de US$ 218 milhões.
  • BOE: fabricante chinesa que produz telas Micro OLED para óculos de realidade virtual e aumentada, além de viewfinders eletrônicos para câmeras e dispositivos de visão noturna;
  • Epson: companhia de origem japonesa, possui uma divisão em Singapura que projeta telas Micro OLED com a marca Si-OLED, usadas em óculos de realidade aumentada para o setor industrial;
  • MicroOLED: empresa francesa com foco em Near-Eye Displays (NED), telas que ficam próximas ao olho em dispositivos como visores eletrônicos de câmeras, óculos de vídeo e equipamentos médicos.
Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre OLED na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados