Uma bomba de caracteres trava o app Mensagens no iOS e o WhatsApp no Android

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 2 anos

Falamos por aqui sobre uma mensagem “aperte o esquilo” ou “toque no botão” que consegue travar o Facebook Messenger ou o WhatsApp no Android. Trata-se de uma bomba de caracteres que também afeta o iOS.

Filip Koroy, do canal EverythingApplePro no YouTube, descobriu que é possível travar o app Mensagens enviando duas bombas de caracteres.

A primeira mensagem parece ser curta, com o emoji do ponto preto (⚫), mas na verdade tem cerca de 1.800 caracteres ocultos. A segunda mensagem é ainda pior, e tem mais de 400 mil caracteres.

Ao abri-la, o Mensagens exibe uma tela em branco e trava depois de um tempo. Não adianta fechar o app nem mesmo reiniciar o iPhone: ele continuará inutilizável. O problema afeta o iOS 11.3 e o beta do iOS 11.4.

Para resolver isso, é preciso usar o 3D Touch. Pressione o ícone do Mensagens na tela inicial, e depois toque em Nova mensagem. Por fim, apague a bomba de caracteres.

Se seu iPhone não tem 3D Touch, peça para alguém enviar um SMS ou iMessage para você, ou toque neste link — ele abre a interface para compor uma nova mensagem.

A bomba de caracteres consiste em marcas Unicode ocultas. Elas indicam se o idioma é escrito da esquerda para a direita (como o português ou inglês), ou da direita para a esquerda (como o árabe ou hebraico).

O Mensagens no iOS, e o WhatsApp no Android, acabam travando quando tentam ler uma sequência com milhares desses símbolos. O Telegram, por sua vez, sai imune: ele quebra a bomba de caracteres em várias mensagens.

Com informações: Cult of Mac.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados