A AES Eletropaulo, concessionária de energia elétrica de São Paulo, ganhou o direito de cortar os cabos da Claro/NET, Oi, TIM e Vivo se eles estiverem desordenados, ou não tiverem identificação. Por isso, as operadoras tiveram que agir.

Abraão Balbino e Silva, superintendente de competição da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), diz ao TeleSíntese que a retirada dos cabos não-identificados já começou.

Em decisão conjunta, a Anatel e a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) ordenaram as quatro operadoras a arrumar a bagunça em 2.129 postes de São Paulo até o dia 17 de julho. “Quem não se adequar terá os cabos cortados”, diz Sidney Simonaggio, vice-presidente de relações externas da Eletropaulo, em comunicado.

Balbino acredita que esse prazo talvez precise ser estendido “por dificuldades de acesso em algumas ruas”, mas cabe à Aneel decidir.

Além disso, a Eletropaulo vai regularizar mais 2.597 postes distribuídos em oito bairros da capital paulista. Isso engloba a Vila Olímpia, Lapa, Liberdade, Perdizes, Consolação, Vila Mariana, Tatuapé e Pinheiros.

São três etapas. Primeiro, as operadoras identificam seus cabos em cada poste. Depois, a Eletropaulo retira os fios clandestinos. Por fim, ela reordena os cabos que restaram. Isso está sendo feito em conjunto com a prefeitura.

Esse projeto está sendo realizado em cinco etapas, e a primeira delas — na Vila Olímpia, Lapa e Liberdade — deve ser concluída em agosto. O cronograma e os mapas das ruas afetadas seguem abaixo.

Vila Olímpia

Lapa

Liberdade

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados