Chrome recebe três sugestões da Microsoft para consumir menos bateria

O Chrome consome muita energia, mas a Microsoft acredita que é possível amenizar o problema

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos
Foto por TechnologyGuide TestLab/Flickr

Quem iria imaginar que um dia a Microsoft daria sugestões ao Google para melhorar o desempenho de um navegador? Os tempos são outros e essa cena imprevisível já é realidade: nos últimos meses, a companhia de Redmond enviou pelo menos três ideias sobre como fazer o Google Chrome economizar bateria.

Pode parecer uma afronta, afinal, o Chrome lidera o mercado, o Internet Explorer é coisa do passado e o Edge original simplesmente não vingou. Mas, como você já deve saber, a Microsoft agora baseia as versões mais recentes do seu navegador no Chromium. É com base nessa experiência que a companhia decidiu enviar sugestões ao Google.

E quais são elas? A primeira, enviada em agosto de 2019, consiste em eliminar o uso de cache em disco quando vídeos estiverem sendo reproduzidos no navegador. De acordo com Shawn Pickett, engenheiro de software sênior da Microsoft, esse procedimento mantém o disco em estado ativo, o que, presumivelmente, aumenta o consumo de energia.

Essa sugestão levou a outras duas, começando por esta: que o navegador tenha um mecanismo que checa se o computador está ligado à tomada ou usando a bateria para não ativar o cache nesta última circunstância.

A terceira proposta consiste em fazer o Chrome verificar o tamanho do conteúdo da resposta HTTP para não armazená-lo em cache se essa informação for maior do que o limite máximo. Esse procedimento também deve reduzir o uso do disco.

É claro que essas mudanças precisam ser testadas antes da decisão sobre a implementação. Os desenvolvedores do Chrome precisam ter certeza de que, com elas, o desempenho do navegador não será prejudicado, por exemplo. A boa notícia é que um engenheiro do Chrome revelou que o Google tem interesse em experimentar esses recursos, embora não tenha falado em prazos.

Vale destacar que a colaboração da Microsoft vai muito além disso. Estima-se que, só em 2019, a companhia fez mais de 1.600 contribuições para o código do Chromium.

Com informações: Windows Latest.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados