Microsoft tenta derrubar ferramenta que modifica Windows 10

A ferramenta que modifica o Windows 10 adiciona apps e recursos como VPN, cliente de torrent e até o Google Chrome no computador

André Fogaça
Por
• Atualizado há 2 anos
ninjutsu os windows 10 alterado

A Microsoft acusou os responsáveis por uma ferramenta chamada Ninjutsu OS, que modifica bastante do Windows 10, de violarem uma lei sobre direitos autorais (DCMA) da gigante do software. A ação da empresa eliminou o link de distribuição do software que existia dentro do Github, mas a página de financiamento coletivo do grupo continua de pé.

Alterar o Windows não é novidade e vem acontecendo faz tempo, com recursos que prometem deixar o sistema operacional mais leve (este tipo de modificação ficou famosa no Windows XP) ao remover softwares e drivers pouco utilizados, ou então alterar dados para promover maior privacidade do usuário. Este segundo ponto estava nos objetivos do Ninjutsu OS.

Nesta versão modificada o Windows 10 ganhou aproximadamente 800 ferramentas que incluem monitoramento do hardware, gerenciador de VPN, o Google Chrome e até cliente de torrents, além da remoção de outras que não se encaixavam no projeto – uma das remoções é do OneDrive e outra é a Cortana. A ideia era de entregar o Windows 10 com as modificações já prontas em só uma instalação, que exigem conhecimento mais técnico para que sejam feitas separadamente.

O projeto conta com uma conta no Patreon para ajudar financeiramente o grupo de desenvolvedores responsáveis pelo Ninjutsu OS, enquanto que a hospedagem e divulgação do link para o download ficou no Github. A Microsoft mirou no Github para exigir a remoção dos links com base em uma lei americana de direitos autorais, chamada de DCMA.

As acusações da Microsoft também apontam alterações não permitidas no sistema operacional, além de remoção de componentes do Windows 10 que não podem acontecer, mesmo para o usuário que comprou o SO.

Por enquanto o link para o download da imagem do Windows 10 modificada está fora do Github, mas a página do financiamento coletivo continua funcionando normalmente no Patreon.

Com informações: TorrentFreak.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
André Fogaça

André Fogaça

Ex-autor

André Fogaça é jornalista e escreve sobre tecnologia há mais de uma década. Cobriu grandes eventos nacionais e internacionais neste período, como CES, Computex, MWC e WWDC. Foi autor no Tecnoblog entre 2018 e 2021, e editor do Meio Bit, além de colecionar passagens por outros veículos especializados.

Relacionados