Instagram mira em OnlyFans e libera assinaturas pagas para alguns criadores

Instagram testa função de assinar perfil com dinheiro real em alguns criadores nos EUA, ainda sem previsão de expandir o serviço

Felipe Vinha
Por

O Instagram está testando modelos de assinaturas pagas em algumas contas nos EUA, no melhor estilo “OnlyFans”, e espera poder expandir a possibilidade para mais criadores em breve. A novidade está presente nos aplicativos de Android e iOS, permitindo que o usuário pague para assinar e consumir conteúdo exclusivo, em três possibilidades distintas.

Asssinaturas começam a surgir no Instagram (Imagem: Divulgação/Instagram)

De acordo com o Instagram, o criador pode decidir seu preço na hora de ativar o botão de assinatura. A partir daí o usuário tem a possibilidade de consumir três tipos de conteúdo exclusivo:

  • Lives exclusivas para inscritos pagos;
  • Stories que só podem ser vistos por quem assinar o perfil, com Sticker exclusivos;
  • Insígnias que ficam ao lado do nome da pessoa que comenta no perfil ou envia mensagem no inbox do criador.

O serviço é similar ao já existente no Facebook, que também deixa que usuários assinem páginas de criadores e contribuam com dinheiro. Na rede azul há alguns requisitos para ter o botão de inscritos: ter 10 mil seguidores, 600 mil minutos de vídeos vistos e ao menos cinco vídeos ativos na página.

Ainda não se sabe quais serão os requisitos para ter o botão de inscritos no perfil do Instagram, nem mesmo quando ele será liberado para um número maior de usuários.

Quem tem acesso no momento?

Um grupo de 10 influenciadores nos Estados Unidos já contam com o botão de inscrição paga. São pessoas com números de seguidores variáveis – de 60 mil a 500 mil – e também de assuntos diversos.

Alan Chikin Chow, por exemplo, é um ator e escritor asiático. As atletas Jordan Chiles e Sedona Prince também fazem parte do seleto grupo. Outros presentes são Lonnie IIV, Don Allen Stevenson III, Bunny Michael, Jack Jerry, Elliott Norris, Kelsey Cook e Aliza.

Curiosamente, ao entrar nestes perfis aqui do Brasil, nem mesmo o botão de inscrição está disponível, caso o usuário queira testar para ver como funciona. Resta mesmo aguardar para ver se e quando será liberado por aqui.

Outro detalhe que pode passar batido é que, segundo um dos criadores participantes, Elliott Norris, todo o dinheiro arrecadado pela assinatura vai para o dono do perfil, sem uma porcentagem dividida com o Facebook ou Meta. Norris comentou a respeito ao responde a pergunta de um fã brasileiro. Não se sabe se isso ainda é apenas durante a fase de testes ou se vai funcionar desta forma também quando o produto for lançado para o público geral.

Com informações: 9to5Mac.

Felipe Vinha

Ex-autor

Felipe Vinha é jornalista com formação técnica em Informática. Já cobriu grandes eventos relacionados a jogos, como a E3, BlizzCon e finais mundiais de League of Legends. Em 2021, ganhou o Prêmio Microinfluenciadores Digitais na categoria entretenimento. Foi autor no Tecnoblog entre 2020 e 2022, escrevendo principalmente sobre games e entretenimento. Passou pelos principais veículos do ramo, e também é apresentador especializado em cultura pop.

Relacionados

Relacionados