Início / Notícias / Computador /

Intel Core i9 bate Apple M1 Max em desempenho, mas sofrendo em outras áreas

Intel Core i9-12900HK de 12ª geração superou Apple M1 Max em benchmarks, mas com alto consumo de energia como preço

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O Core i9-12900HK é o modelo mais poderoso da 12ª geração de processadores Core. Como tal, ele chegou com a promessa de bater o M1 Max, da Apple, em desempenho. Testes independentes mostram que a Intel não estavam mentindo sobre isso. Mas, quando a gente olha para a eficiência no consumo de energia, o “encanto” é quebrado.

Chip Core de 12ª geração (imagem: divulgação/Intel)
Chip Core de 12ª geração (imagem: divulgação/Intel)

O notebook gamer GE76 Raider, da MSI, pode ser equipado com o Core i9-12900HK. Foi esse equipamento que o Macworld usou para avaliar o desempenho do processador.

Um benckmark feito com o Geekbench 5 mostrou que o laptop obteve 13.235 pontos em um teste multi-core, número ligeiramente maior que os 12.590 pontos registrados pelo MacBook Pro de 14 polegadas com chip M1 Max.

Então, sim, a Intel não estava exagerando quando disse que o Core i9-12900HK pode superar a performance do processador da Apple.

Consumo energético ainda é um problema

Mas o desempenho não deve ser o único parâmetro de avaliação. O consumo de energia também deve ser considerado, até porque esse fator tem relação com a temperatura: se o processador esquenta muito, o computador precisa contar com recursos apropriados de refrigeração. Em notebooks, há outro aspecto a ser incluído nessa conta: a duração da bateria.

Pois bem, a PCWorld testou o GE76 Raider com o Cinebench R23. O procedimento mostrou que o Core i9-12900HK passou a maior parte do tempo trabalhando com 100 W, apresentando um pico de 140 W por um breve momento.

Eis então que o AnandTech testou o MacBook Pro de 16 polegadas com o Cinebench R23. O benchmark mostrou o chip M1 Max com consumo na casa dos 40 W, sem haver degradação do desempenho.

Chip M1 Max (imagem: reprodução/Apple)
Chip M1 Max (imagem: reprodução/Apple)

O impacto na autonomia é facilmente perceptível. Nos testes, a bateria do GE76 Raider alcançou quase seis horas de duração na reprodução local de vídeo, enquanto o MacBook Pro de 16 polegadas pode ter autonomia de até 21 horas com o mesmo tipo de tarefa.

É claro que esse comparativo tem que ter visto com cuidado. Para começar, o MacBook Pro e o GE76 Raider atendem a públicos diferentes. De modo geral, os compradores do notebook da MSI priorizam o desempenho, razão pela qual o consumo acaba tendo um peso menor aqui.

Além disso, os testes foram feitos por veículos diferentes, em condições distintas. Mesmo assim, fica claro que o Core i9-12900HK realmente pode bater o M1 Max em performance, mas a um preço ainda alto.

Quem sabe a relação entre desempenho e consumo fique mais equilibrada na próxima geração?

Com informações: MacRumors.