Início / Notícias / Internet /

Starlink aumenta preços de assinatura e antenas após “inflação excessiva”

Equipamentos para instalação do serviço de internet via satélite de Elon Musk passam a custar R$ 3.000, sem contar impostos, no Brasil

Ana Marques

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A Starlink anunciou, nesta terça-feira (22), que está subindo os preços de serviço e equipamentos para acompanhar “níveis excessivos de inflação”. A medida foi adotada após a crise com o aumento do custo de gás e de alimentos, nos Estados Unidos e em mais países. O anúncio chegou por e-mail a clientes, e o reajuste para os terminais já aparece no site da companhia.

Antena da Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)
Antena da Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)

De acordo com o comunicado da empresa de Elon Musk, o preço da assinatura nos EUA sobe de US$ 99 para US$ 110 a partir do dia 22 de abril de 2022. Apesar do anúncio, o site do serviço ainda mostra o valor antigo (que é de R$ 530 para o plano mensal no Brasil). O custo, por aqui, é atrelado também a um imposto de R$ 252,93, cobrado mensalmente.

Já o kit Starlink — que conta com antena, roteador Wi-Fi, fonte, cabos e uma base — passou de US$ 499 para US$ 599, valor que já é visto no site da empresa. Mesmo quem já havia feito o depósito terá que arcar com uma taxa extra — o preço sobe para US$ 549 para estes usuários. Para brasileiros, o aumento foi de R$ 330, com valores passando de R$ 2.670 para R$ 3.000.

O preço do frete e manuseio se mantém em R$ 365 e há incidência de imposto de R$ 1.940,65 sobre os equipamentos.

Preços da Starlink no Brasil (Imagem: Reprodução/Starlink)

Até o momento, não há informações sobre um possível aumento no recém-lançado Starlink Premium, plano que oferece conexões mais rápidas, prometendo velocidades de até 500 Mb/s. Este serviço também não tem previsão de chegada ao Brasil.

Vale lembrar que cada antena da Starlink já representavam um prejuízo de aproximadamente US$ 1 mil para a empresa, antes do aumento de preços e da inflação citada no comunicado. Em abril do ano passado, a SpaceX chegou a dizer que estava estudando formas de reduzir o custo de produção desses equipamentos, que na época era de US$ 1.300 a unidade.

Clientes podem cancelar serviço com reembolso

A Starlink aproveitou a mensagem sobre a alta nos preços para alertar aos clientes que, em caso de cancelamento, é possível receber reembolso total para equipamentos recebidos há no máximo 30 dias.

Após esse período, ainda é cabível pedir uma parte do investimento de volta, se o cancelamento for no primeiro ano — neste caso, o cliente tem direito de reembolso parcial de US$ 200, considerando o valor no mercado internacional.

No comunicado, a SpaceX também elencou algumas melhorias recentes feitas ao serviço, incluindo o aumento de satélites em órbita e o upgrade na velocidade da rede em diversos países.

Com informações: The Verge e Engadget