Notícias Negócios

Plano da Netflix de taxar contas compartilhadas só está confundindo assinantes

Órgãos que protegem os direitos dos consumidores no Peru, Chile e Costa Rica afirmam que a falta de informação prejudica usuários da Netflix

Murilo Tunholi
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Desde março deste ano, a Netflix testa uma cobrança adicional que visa diminuir o compartilhamento de contas entre usuários. Os experimentos, por enquanto, são realizados em três países da América Latina: Peru, Chile e Costa Rica. Porém, usuários relatam estarem confusos com a taxa, como se plataforma de streaming não soubesse explicar suas próprias regras.

Netflix
Netflix (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Segundo o Rest of World, os testes da Netflix não geraram resultados satisfatórios até agora — e a culpada por isso parece ser a própria plataforma. A maioria dos usuários ouvidos pelo site no Peru disse que as novas regras são confusas e difíceis de interpretar. Além disso, a empresa não se preocupa em esclarecer as dúvidas dos consumidores.

Em teoria, usuários residentes do Peru, Chile e Costa Rica devem pagar uma taxa adicional de US$ 2,99, além da assinatura, para cada pessoa que acessar a conta de fora da “residência”. A Netflix, por sua vez, não especifica o que é considerado uma residência. Por isso, as pessoas tendem a ficar confusas na hora de pagar a mensalidade.

Por exemplo, alguns indivíduos pensam que apenas pessoas ligadas diretamente à família do dono da conta podem fazer parte da residência. Já a Netflix define residência como o espaço físico onde os usuários do serviço moram — ou seja, a taxa deveria ser cobrada ao haver acesso a partir de outro endereço.

Essa confusão tem preocupado órgãos que protegem os direitos dos consumidores no Peru, Chile e Costa Rica. Segundo o Rest of World, as instituições peruanas, em especial, já pediram que a Netflix esclarecesse as novas diretrizes, mas a empresa ainda não se manifestou.

Em depoimentos anônimos, funcionários da Netflix contaram ao Rest of World que nem eles sabem como explicar as taxas extras aos assinantes. Inclusive, um dos trabalhadores comentou o seguinte: quando um usuário diz haver uma pessoa de fora da residência usando a conta, é preciso instruí-lo a usar um código de verificação para que ele não pague a cobrança adicional.

Netflix quer recuperar assinantes individuais

A taxa adicional é uma das estratégias da empresa para tentar amenizar a perda de mais de 200 mil de assinantes, registrada no primeiro trimestre deste ano. Segundo a Netflix, os maiores ofensores foram o compartilhamento de senhas entre usuários que dividem contas e o aumento da concorrência.

A queda no número de assinantes prejudicou bastante a empresa, que não só passou a cancelar mais produções que o normal, como também demitiu funcionários em massa. Além de cobrar a taxa extra, a Netflix planeja lançar planos mais baratos com anúncios.

Com informações: Insider, Rest of World.

Murilo Tunholi

Jornalista, atua como repórter de videogames e tecnologia desde 2018. Tem experiência em analisar jogos e hardware, assim como em cobrir eventos e torneios de esports. Antes do Tecnoblog, passou pela Editora Globo (TechTudo) e Mosaico (Buscapé/Zoom). É apaixonado por gastronomia, informática, música e Pokémon. Já cursou Química, mas pendurou o jaleco para realizar o sonho de trabalhar com games.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque