Notícias Antivírus e Segurança

Não mande seu número de celular para entregadores do iFood

Usuários relatam que entregadores do iFood vêm aplicando um golpe em que confirmam a entrega ao conseguir o número do cliente, mas o pedido nunca chega

Bruno Ignacio
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Diversos usuários do iFood vêm relatando nas redes sociais que sofreram um novo tipo de golpe aplicado por entregadores do app. Na maioria dos casos, o consumidor é enganado para compartilhar seu número de celular com o entregador. Então, os últimos quatro dígitos do telefone são usados como código de confirmação de entrega, mas o cliente nunca recebe o pedido.

iFood
iFood (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Tecnoblog identificou diversos usuários no Twitter que relataram ter sofrido esse golpe de entregadores do aplicativo de delivery neste mês de agosto. As estratégias para se conseguir o número de celular do cliente podem variar, mas há um padrão.

Como o entregador do iFood pode aplicar o golpe

O entregador entra em contato com o cliente pelo app afirmando que não consegue localizar o endereço para a entrega. Então, ele solicita que o consumidor compartilhe sua localização via WhatsApp ou passe seu celular para que ele possa ligar para pedir por mais orientações.

No entanto, assim que o entregador recebe o número do consumidor, ele utiliza os últimos quatro dígitos do telefone como código para confirmar a entrega. Assim, o cliente nunca recebe o pedido e precisa acionar o suporte do iFood para tentar conseguir um reembolso. Nesses casos, o estabelecimento que enviou a o pedido também pode sair no prejuízo.

Usuários relatam que foram vítimas do golpe

No Twitter, o usuário @thikos explicou como ele foi enganado por um entregador do iFood:

A usuária @ursulaigbuendia respondeu à postagem na rede social, dizendo que também foi vítima de um golpe parecido, mas como dona de estabelecimento:

https://twitter.com/ursulaigbuendia/status/1554069522394583040

Na thread, essa vítima também relata que o iFood bloqueou seu restaurante da plataforma após o ocorrido, provavelmente por entender que ela compartilhou dados privados do cliente com o entregador.

Somente no Twitter, é possível identificar ao menos dez outros usuários que relataram ter sofrido o mesmo golpe. Alguns afirmam que conseguiram o reembolso do pedido por meio de prints da conversa com o entregador. No entanto, outros reclamam que saíram no prejuízo e que não conseguem comprovar o ocorrido porque perderam o acesso ao chat daquele pedido.

iFood
iFood (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Tecnoblog conversou com uma dessas vítimas, que pediu para não ter seu nome revelado. “O entregador me mandou uma mensagem dizendo que não conseguia encontrar o meu endereço. Moro em Copacabana e isso nunca tinha acontecido”, disse.

“Tentei explicar como chegar pelo chat e eu vi que ele estava parado a três quarteirões da minha casa. Ele me ligou pela plataforma e me disse que não estava usando o GPS porque estava quase sem internet e precisava trabalhar. Fiquei com pena. Ele me passou o telefone dele, liguei, mas ele não atendeu. Segundos depois, apareceu no iFood que o pedido havia sido entregue.”

A pessoa também afirmou que o perfil do entregador no iFood era de uma mulher, mas foi um homem quem realizou a ligação. Procurada pelo Tecnoblog, a plataforma se posicionou sobre a questão com a seguinte mensagem:

“A empresa repudia desvios de conduta, sejam consumidores, estabelecimentos ou entregadores. A plataforma também mantém comunicações a fim de orientar clientes e parceiros sobre golpes e reitera que possui um time interno especializado e dedicado para acompanhamento de atividades suspeitas em todo o país.”

iFood em comunicado enviado ao Tecnoblog
Bruno Ignacio

Ex-autor

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.

Mais Populares

Relacionados

Em destaque