Shutterstock vai vender imagens geradas por IA com ajuda da OpenAI

Artistas serão recompensados quando a propriedade intelectual for utilizada para criar imagens por IA; conteúdos serão produzidos pelo Dall-E, da OpenAI

Bruno Gall De Blasi
Por

Shutterstock oferece um dos maiores bancos de imagens do mercado. Agora, a empresa vai começar a comercializar imagens geradas por inteligência artificial (IA) na sua plataforma, de acordo com um comunicado à imprensa revelado nesta terça-feira (25). A novidade é fruto de uma parceria com a OpenAI, responsável pelo Dall-E. 

Shutterstock (Imagem: Reprodução/Web Summit/Flickr)
Shutterstock (Imagem: Reprodução/Web Summit/Flickr)

A aproximação vai expandir o catálogo da Shutterstock. Caso não conheça, a plataforma oferece um dos maiores bancos de imagem do mundo. Dessa forma, os usuários do serviço vão contar tanto com fotos feitas por câmeras quanto com imagens criadas por sistema de inteligência artificial, como é o caso do Dall-E.

A companhia afirmou que esta novidade aprofunda a parceria entre as duas empresas, firmada em 2021. “Os dados que licenciamos da Shutterstock foram essenciais para o treinamento do Dall-E”, afirmou Sam Altman, CEO da OpenAI. Agora, a aproximação entre as duas empresas seguirá adiante.

“Quando essa integração for lançada no Shutterstock nos próximos meses, os clientes receberão acesso direto a esses recursos de geração de imagens de IA, melhorando seus fluxos de trabalho criativos”, anunciaram.

Imagem de astronauta em um cavalo gerada pelo Dall-E (imagem: reprodução/OpenAI)
Imagem de astronauta em um cavalo gerada pelo Dall-E (imagem: reprodução/OpenAI)

Shutterstock vai pagar royalties a fotógrafos

Os colaboradores do banco de imagens não ficarão desamparados. Em nota à imprensa, a companhia informou que os usuários serão recompensados pelo conteúdo que ajudou a desenvolver a tecnologia. A gratificação será oferecida por meio de royalties quando a propriedade intelectual for utilizada para criar imagens desenvolvidas pelo sistema da OpenAI.

Trata-se de uma preocupação legítima. Por outro lado, sigo o coro do The Verge: trata-se de um movimento significativo, porém, há muitas questões legais e éticas nessa discussão. Especialmente quando se fala sobre direitos autorais – afinal, essas imagens geradas por IA utilizam outros conteúdos para gerar o arquivo final.

Mas o Shutterstock parece ter uma carta na manga. Ao site, a companhia explicou que “a propriedade do conteúdo gerado por IA não pode ser atribuída a um indivíduo”. Dessa forma, esta modalidade “deve compensar os muitos artistas envolvidos na criação de cada novo conteúdo”, o que justifica a proibição de imagens geradas por outros sistemas no repositório.

Mesmo assim, será que todos os artistas vão gostar dessa novidade?

Vídeo com roupas geradas via Dalle-E (imagem: Twitter/Karen X. Cheng)
Vídeo com roupas geradas via Dalle-E (imagem: Twitter/Karen X. Cheng)

Novidade chegará nos próximos meses

As imagens geradas por IA ainda não estão disponíveis. Segundo a Shutterstock, os consumidores terão acesso aos conteúdos “nos próximos meses”. A companhia não chegou a falar sobre precificação. No entanto, a plataforma pode manter o acesso disponível a quem é assinante do serviço, que tem preços a partir de US$ 29 (cerca de R$ 150) ao mês, ao considerar o plano anual Assinatura de Imagem com pagamentos mensais.

Já os pagamentos de royalties acontecerão a cada seis meses.

Além da Shutterstock, a Microsoft também quer utilizar os poderes do Dall-E. No dia 12, a companhia anunciou o Designer, que chama a atenção pela integração com o Dall-E. A solução da responsável pelo Windows chega para bater de frente com o Canva.

Relacionados

Relacionados