Tim Cook leva Elon Musk ao Apple Park para resolver briga envolvendo Twitter

"Resolvemos o mal-entendido", disse Elon Musk ao visitar Apple; CEO do Twitter visitou sede da fabricante do iPhone nesta quarta-feira (30)

Bruno Gall De Blasi
Por

Tim Cook e Elon Musk colocaram panos quentes na briga entre o Twitter e a Apple. Nesta quarta-feira (30), o novo dono da rede social visitou o Apple Park para dar um fim à confusão entre as duas empresas. Apesar do encontro, ainda não se sabe se toda a história terá um desfecho com esta conversa.

Twitter
Twitter (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O encontro entre os dois executivos aconteceu após uma polêmica envolvendo anúncios e o aplicativo do Twitter. Para recapitular, o software estava com um destino incerto na App Store.

Afinal, diante de toda a confusão causada desde a venda da plataforma, segundo o próprio Musk, a Apple ameaçou suspender o software da sua loja de apps devido aos problemas de moderação de conteúdo.

A situação, no entanto, parece estar controlada – pelo menos, por enquanto. Nesta quarta-feira (30), o CEO da rede social visitou a sede da fabricante para conversar com Tim Cook. Como era de se esperar, Musk fez um tweet sobre a visita, com direito a um vídeo dizendo que o Apple Park é bonito.

“Boa conversa”, tweetou Musk em seu perfil. “Entre outras coisas, resolvemos o mal-entendido sobre a possível remoção do Twitter da App Store. Tim [Cook] deixou claro que a Apple nunca pensou em fazer isso.”

Os demais detalhes do papo não foram revelados até o momento. Por outro lado, o The Verge observou que Musk apagou o tweet com um meme que deixava claro que o executivo queria combater a taxa de 30% da App Store. De qualquer maneira, não sabemos se este assunto entrou em pauta durante a conversa.

Mas também não sabemos se tudo foi resolvido. Segundo a newsletter Platformer, o lançamento do Twitter Blue foi adiado, pois a rede social queria encontrar um jeito de contornar a comissão da loja de aplicativos. Portanto, aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Meme publicado por Elon Musk em seu perfil do Twitter para questionar a taxa de 30% da Apple (Imagem: Reprodução/Twitter)
Meme publicado por Elon Musk em seu perfil do Twitter para questionar a taxa de 30% da Apple (Imagem: Reprodução/Twitter)

Spotify e Epic Games também questionam a taxa da Apple

A situação entre as duas empresas parece estar encaminhada. Por outro lado, nem todas as companhias estão felizes com a cobrança.

É o caso da Epic Games. Depois de toda aquela confusão judicial devido à remoção do Fortnite da App Store, a companhia continua a se queixar da Apple. Dessa vez, a farpa foi lançada pelo CEO Tim Sweeney:

“A Apple é uma ameaça à liberdade em todo o mundo”, tweetou nesta segunda-feira (28). “Eles mantêm um monopólio ilegal na distribuição de aplicativos, usam-no para controlar o discurso americano e estão colocando em risco os manifestantes na China ao armazenar dados confidenciais de clientes em um data center estatal.”

Felizmente, a Epic Games encontrou uma saída para fugir da taxa. Além dos testes do Google para fazer pagamentos por fora da Play Store, a empresa pode distribuir o Fortnite por fora da loja de aplicativos. Para isto, os usuários só precisam instalar o APK nos celulares.

O Spotify é outra companhia que está brigando com a fabricante do iPhone. A empresa quer entrar no mercado de audiolivros nos Estados Unidos. Mas Apple já entrou no alvo da plataforma de streaming: em outubro, o CEO Daniel Ek criticou o modelo de comissões da App Store.

“Com o lançamento dos nossos Audiolivros, a Apple provou mais uma vez o quão descarada está disposta a ser com as regras da App Store, mudando constantemente as traves para prejudicar seus concorrentes”, desabafou.

No Android, o Spotify também está testando transações fora da Play Store.

Com informações: Business InsiderEngadget, MacRumorsReuters e The Verge

Relacionados

Relacionados