Nintendo impede que emulador de Wii e GameCube chegue à Steam

Programa chegaria à plataforma da Valve ainda em 2023; com o bloqueio, desenvolvedores afirmam que o lançamento foi adiado de maneira indefinida

Ricardo Syozi
Por
The Legend of Zelda: Twilight Princess (Imagem: Divulgação / Nintendo)

A Nintendo entrou com um pedido para bloquear a chegada do emulador Dolphin na Steam. Os desenvolvedores do aplicativo, que reproduz jogos de GameCube e Wii, afirmaram que receberam um aviso legal para não liberarem o programa na plataforma da Valve. Ele foi enviado na sexta-feira, 26 de maio por representantes jurídicos da empresa japonesa.

O anúncio da chegada do Dolphin à Steam surgiu no dia 28 de março, no qual o app recebeu uma página própria na plataforma. Com isso, os desenvolvedores realizaram uma postagem no blog, que dizia:

Temos o prazer de finalmente contar ao mundo sobre nosso experimento. Este foi o produto de muitos meses de trabalho e esperamos colocá-lo nas mãos dos usuários em breve!

Entretanto, menos de dois meses depois, a Nintendo enviou um aviso legal para a Valve, dona da Steam. O documento aponta que o emulador de jogos viola os direitos de propriedade intelectual da marca. Sendo assim, a companhia pediu a remoção do oferecimento do software Dolphin da loja virtual.

Como resultado, a Valve acatou o pedido e bloqueou o lançamento do programa que emula jogos de GameCube e Wii da plataforma.

Os desenvolvedores do emulador, destacaram o desapontamento em seu blog:

É com muita decepção que temos que anunciar que o lançamento do Dolphin no Steam foi adiado indefinidamente.

Vale apontar que esse caso não se trata de uma notificação DMCA Takedown, como a Big N fez no processo US$ 2,1 milhões contra um site de ROM pirata, por exemplo. A empresa mandou um pedido para impedir o lançamento do Dolphin, algo mais próximo de uma ameaça, que foi aceita pela dona da Steam.

super mario sunshine
Super Mario Sunshine (Imagem: Reprodução / YouTube)

Dolphin é mais um a cair por força da Nintendo

Não é de hoje que a dona de franquias, como Mario e Metroid, entra com pedidos legais para que produtos sejam removidos de lojas ou da internet.

Além de entrar com processos contra sites que distribuem ROMs de seus jogos, a companhia de Quioto se tornou infame por bloquear projetos de fãs ao redor do mundo.

Em agosto de 2016, por exemplo, advogados da Nintendo enviaram uma notificação DMCA Takedown contra um desenvolvedor de um fangame chamado “Project AMR2“, que seria um remake de Metroid II. Na época, a carta de “cease and desist” (cessar o desenvolvimento e desistir dele) incomodou muitos fãs, que aguardavam por novas empreitadas na série.

Outro caso ocorreu no fim de 2020, no qual a Big N entrou com o aviso legal para interromper torneios que utilizavam o jogo “Project M“, um mod de Super Smash Bros. Brawl. Isso resultou na remoção de vários vídeos sobre o game do YouTube, abalando a comunidade de entusiastas do projeto e da franquia.

Com informações: PC Gamer.

Ricardo Syozi

Ricardo Syozi

Repórter

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral. Entrou para o Tecnoblog em 2021.

Relacionados

Relacionados