Fraudes por SMS terão resposta ainda em janeiro, diz Anatel

Mensagem atribuída ao Dotz e Banco do Brasil circulou durante o período de Natal. Superintendente da agência promete medidas de enfrentamento ao problema.

Thássius Veloso
Por
Print de SMS enviado pelo número 28537, no qual se lê: "DOTZ & BB: Sr(a) THASSIUS, Resgate seus 150.585 PONTOS disponiveis ate dia 28/12. aproveite os 30% de desconto nesse NATAL."
SMS falso cita nome do cliente e dá site para resgate de pontos (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)
Resumo
  • Anatel deve adotar novas medidas contra golpes por SMS ainda em janeiro. Agência está atuando junto de empresas de telefonia e brokers.
  • Gustavo Santana, da Anatel, informa que estão sendo apurados casos como o do recente SMS supostamente enviado pelo Dotz e Banco do Brasil.
  • Golpes por SMS geralmente vêm de números especiais (short codes) e são enviados em massa.
  • As ações da Anatel podem incluir regulamentação dos short codes e mecanismos para identificar e punir autores de mensagens fraudulentas.

“Dotz & BB: Resgate seus 150.585 pontos disponíveis até dia 28/12”. Talvez você também tenha recebido um SMS que supostamente libera pontos do programa Dotz. O impressionante é que o texto até mesmo cita (corretamente) o nome do cliente. Não abra, pois trata-se de golpe. A novidade é que a Agência Nacional de Telecomunicações promete ações no mês de janeiro para conter a disseminação de fraudes assim.

O superintendente de Controle de Obrigações, Gustavo Santana, nos explica que a Anatel está apurando casos como o do SMS supostamente enviado pelo Dotz e pelo Banco do Brasil. “As prestadoras de telefonia e os brokers estão buscando fragilidades e medidas de enfrentamento a este problema”, complementa em entrevista exclusiva ao Tecnoblog.

Normalmente os golpes por SMS chegam de números especiais (os chamados short codes) e são disparados em massa. O mais recente, do Dotz, tornou-se assunto nas redes sociais, uma vez que muitas pessoas receberam a mensagem. No entanto, não é possível saber o alcance deste tipo de golpe.

Fachada da sede da Anatel
Fachada da sede da Anatel (Imagem: Reprodução/Anatel)

Santana não abre os detalhes da ações previstas para janeiro, mas diz que existe consenso no mercado. Elas devem passar, por exemplo, pela regulamentação dos short codes. Hoje em dia, é muito fácil contratar o serviço de disparo em massa. Bandidos investem dinheiro para enganar os consumidores.

A ideia da Anatel é ter mais mecanismos para identificar e punir os autores das mensagens, o que é difícil atualmente. Talvez a agência adote o mesmo freio de arrumação do 0800, cuja emissão de novas números está travada até que as empresas do setor se reorganizem e levantem os dados solicitados pelo órgão regulador.

Ainda de acordo com Santana, os clientes de telefonia terão um novo mecanismo para denúncia tanto dos golpes por SMS quanto das centrais falsas de banco. “Queremos fazer o bloqueio dos agentes que originaram as mensagens denunciadas”, explica o representante da Anatel.

Relacionados