Apple lucra US$ 20,5 bilhões, mas sente impacto da escassez de chips

Tim Cook afirma que a crise de semicondutores teve impacto "maior do que o esperado" no fornecimento de produtos; receita fica abaixo das expectativas de analistas

Ana Marques
Por
• Atualizado há 1 ano e meio
Apple (Imagem: Trac Vu/Unsplash)

A Apple divulgou nesta quinta-feira (28) seu relatório de lucros para o quarto trimestre fiscal de 2021, encerrado em setembro. A empresa liderada por Tim Cook registrou um aumento de 29% em receita em relação a 2020, além de lucro de US$ 20,5 bilhões. Apesar do cenário positivo, o CEO afirmou que a escassez de chips que atinge toda a indústria teve um impacto “maior do que o esperado”.

Escassez de chips custou US$ 6 bilhões à Apple

As expectativas de Wall Street era de que a receita geral da Apple ficasse em US$ 84,85 bilhões no trimestre, mas o reportado foi US$ 83,36 bilhões. De acordo com Tim Cook, o cenário se deve à crise de semicondutores, que impôs restrições de fornecimento aos produtos, de iPhones a Macs. O executivo afirma que o impacto foi de cerca de US$ 6 bilhões, e projeta restrições de fornecimento ainda maiores para o próximo trimestre, que termina em dezembro, ainda que preveja um novo recorde em receita.

Vale lembrar que o trimestre encerrou poucos dias após o lançamento da linha iPhone 13, o que deve deixar bastante do resultado da nova safra para o próximo report financeiro. Apesar das perdas, a Apple registrou um aumento de 47% ano após ano na receita com vendas de iPhones (total de US$ 38,87 bilhões).

Uma recuperação já era esperada, devido à flexibilização de medidas restritivas relacionadas à pandemia de COVID-19 e da retomada de economias ao redor do mundo, mas para fins de comparação, a receita da categoria no trimestre anterior foi bem maior, de US$ 47,94 bilhões.

Modelos da linha iPhone 13 (Imagem: Divulgação/Apple)
Modelos da linha iPhone 13 (Imagem: Divulgação/Apple)

A receita gerada com a venda de Macs também ficou ligeiramente abaixo da previsão de analistas, em US$ 9,18 bilhões. Trata-se de um aumento de 1,6% ano a ano. Devemos ver resultados dos novos MacBooks Pro com chips da empresa, lançados este mês, no próximo tri. Já os iPads tiveram um crescimento sólido, de 21,4%, superando expectativas.

Setor de serviços faz US$ 18,3 bilhões

Apesar da dificuldade enfrentada em produtos, um bom crescimento em relação ao ano anterior está no setor de serviços, que registrou receita de US$ 18,28 bilhões no trimestre, um aumento de 25,6%, superando as expectativas, que giravam em torno de US$ 17,64 bilhões.

A área inclui desde transações na App Store até serviços de assinatura, como o Apple TV+, iCloud e o Apple Music. No segundo trimestre fiscal, a Apple havia registrado receita de US$ 16,9 bilhões na categoria.

Segundo Tim Cook, a Apple já conta com mais de 745 milhões de assinantes de serviços — um aumento de 160 milhões contra o ano de 2020. À CNBC, o CEO afirmou que considera que a área tem passado por um “grande ciclo de crescimento”.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados