Em palestra, OpenAI afirma que não está treinando GPT-5 e que ela não chega tão cedo

Sam Altman, CEO da OpenAI, explicou planos da empresa para o motor GPT, tecnologia por trás do ChatPGT; Altman ainda comentou pedido de pausa em IAs

Felipe Freitas
Por
Código em Python escrito pelo ChatGPT (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
GPT é o nome do "motor" equipado no ChatGPT e Bing Chat (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Na última quinta-feira (13), Sam Altman, CEO da OpenAI, declarou que a empresa não está “treinando” o GPT-5, modelo de linguagem (LLM) de inteligência artificial da empresa. Com a sua fala, Altman desmentiu os rumores e a carta que pedia a pausa no desenvolvimento de IAs. Ainda sobre a carta o CEO, relata que ela não informava o que especificamente as empresas deveriam parar.

Sam Altman foi um dos convidados do evento “O Futuro dos Negócios IAs”, organizado pelo célebre Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês). Mesmo sem desenvolver o GPT-5, Altman revelou que a empresa está focada em aprimorar o GPT-4, LLM mais recente da OpenAi e que é usada no ChatGPT e Bing Chat.

CEO da OpenAI comenta carta para pausar desenvolvimento de IAs

Para Sam Altman, a carta aberta que pedia às empresas de inteligência artificial a interrupção do desenvolvimento de LLMs mais potentes que o GPT-4 não explicava de maneira técnica o que fazer. Ele ainda desmentiu a informação publicada na carta de que a OpenAI já estava treinando o GPT-5.

O documento foi publicado em março, pouco depois do lançamento oficial do GPT-4. A autoria é da fundação Future of Life publicou, que tem uma parte do seu financiamento oriundo do caixa de Elon Musk — que é um dos assinantes da carta junto de outros empresários techs.

Bing Chat com GPT-4 não consegue resolver regra de três composta — nem mesmo em inglês (Imagem: Reprodução /Tecnoblog)
Bing Chat com GPT-4 não consegue resolver regra de três composta — nem mesmo em inglês (Imagem: Reprodução /Tecnoblog)

O CEO da OpenAI afirmou ainda que o treinamento do GPT-5 não começará tão cedo. O foco é melhorar o que já tem. A “assustadora e potente” GPT-4 continua falhando em tarefas “simples”, como regra de três composta — seja no Bing ou no ChatGPT.

Mesmo parecendo que não levou a carta a sério, Altman disse que a OpenAI está resolvendo problemas de segurança no GPT-4. Na carta, este foi um dos pontos de “preocupação” levantado pela Future of Life.

Com informações: The Verge

Receba mais sobre OpenAI na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados