Elon Musk pode criar startup de IA para concorrer com OpenAI, do ChatGPT

Musk comprou 10 mil GPUs da Nvidia e estaria recrutando engenheiros e pesquisadores; bilionário abriu empresa chamada X.AI Corp.

Giovanni Santa Rosa
Por
Elon Musk
Elon Musk na Noruega em 2022 (Imagem: Erik Krafft / Statsministerens kontor / Flickr)

Nesta semana, Elon Musk foi notícia ao comprar 10 mil GPUs de nível industrial. Agora, sabemos um pouco mais sobre qual será o destino delas. O bilionário pode ter planos de iniciar uma startup de inteligência artificial para concorrer com a OpenAI, que desenvolve o ChatGPT.

As informações são de uma reportagem do Financial Times. Segundo a publicação, Musk estaria formando uma equipe de pesquisadores e engenheiros. Alguns deles teriam sido recrutados da DeepMind, empresa de inteligência artificial da Alphabet, dona do Google. As conversas com investidores já teriam sido iniciadas, inclusive.

A notícia vem após a Business Insider revelar que Musk comprou 10 mil GPUs da Nvidia. Os aparelhos são parte crucial no treinamento de inteligências artificiais.

Outra reportagem deu mais força a essas informações. Segundo o Wall Street Journal, Musk abriu uma empresa chamada X.AI Corp. no estado americano de Nevada. Recentemente, ele abriu duas outras companhias por lá: a X Corp., que absorveu o Twitter, e a X Holdings Corp.

Acreditava-se que o Twitter seria a “casa” do desenvolvimento de uma IA, com aplicações no negócio de anúncios e na busca. Mesmo que seja a construção do modelo se dê em uma startup separada, os dados da rede social seriam usados para treinar a tecnologia.

Em entrevista à BBC, o CEO da Tesla, SpaceX e Twitter disse apenas que “parece que todo mundo está comprando GPUs hoje […] o Twitter e a Tesla com certeza estão comprando GPUs”.

Musk já foi investidor da OpenAI

As notícias do mais novo movimento de Musk em direção à inteligência artificial foram recebidas com uma dose de sarcasmo.

Afinal, há menos de um mês atrás, ele liderou a publicação de uma carta aberta pedindo uma pausa de seis meses no desenvolvimento de tecnologias mais potentes que o GPT-4.

Nenhuma empresa atendeu o pedido. Sam Altman, CEO da OpenAI, disse nesta sexta-feira (14) que o documento deixou de lado alguns “detalhes técnicos” e que não foi o melhor jeito de abordar uma preocupação legítima sobre a segurança desses modelos.

Musk é um dos co-fundadores da OpenAI, ainda como instituição sem fins lucrativos. Segundo uma reportagem publicada em março de 2023, o bilionário tentou assumir o controle da organização em 2018, mas foi rejeitado.

Desde então, ele se afastou dela e deixou de fazer investimentos. Isso pode ter sido crucial na decisão de abrir uma empresa com lucros limitados ligada à organização, que teve a Microsoft como principal investidora.

Com informações: CNBC, TechCrunch, The Wall Street Journal

Receba mais sobre OpenAI na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados