Google deve adicionar IA na busca após Samsung considerar contrato com Bing

Popularização de busca com inteligência artificial fez Samsung pensar em mudar para a Microsoft; Google acelera integração para não perder contrato bilionário

Felipe Freitas
Por
Logotipo do Google
Google (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O Google deve lançar em breve a integração do Bard ao seu serviço de busca. Após mostrar a inteligência artificial para o mundo e liberá-la nos Estados Unidos, a empresa acelera a entrega do recurso integrado ao serviço de busca — e sim, começando pelos EUA. A razão de “aumentar a velocidade” não vem só da concorrência, mas de um parceiro: a Samsung.

A sul-coreana não quer esperar para saber se as buscas com IAs serão o futuro ou não: o agora é que o público está gostando da ideia. Logo, seus smartphones e tablets precisam entregar para um serviço de chat com inteligência artificial. E se o Google não vai até a Samsung, a Samsung vai até a Microsoft.

Samsung considerou trocar Google por Bing como buscador padrão

De acordo com o New York Times, que apurou os planos do Google lançar a busca com IA, a Samsung considerou “contratar” o Bing como buscador padrão. A ideia da fabricante sul-coreana foi ventilada no fim de março, um mês depois do Google mostrar o Bard, sua IA generativa, para rivalizar com ChatGPT e Bing Chat.

Se o Google esperou demais “a água bater no pescoço” para levar a sério o uso de inteligência artificial nas buscas, ver uma parceria de US$ 3 bilhões (aproximadamente R$ 14,8 bilhões) em risco motivou a empresa a colocar em ação o projeto Magi. O “Magi” é a primeira etapa no lançamento do Bard para o motor de busca. O New York Times informa que a novidade será apresentada em maio, no evento I/O 2023.

Exemplo de uso do Bard
Exemplo de uso do Bard. Em breve, IA dará resumo da resposta após uma pesquisa “tradicional” (Imagem: Divulgação/Google)

A equipe responsável pelo projeto Magi é formada por 160 pessoas, entre engenheiros, executivos e designers — estes responsáveis por integrar o novo chat na página de busca. Quando o Google apresentou o Bard, foi mostrado que uma parte da resposta da IA aparece no topo dos resultados. No momento, o recurso está liberado em um site próprio.

A ideia é que a nova etapa do Bard seja liberada para 1 milhão de usuários nos Estados Unidos, fechando o ano com 30 milhões de “testadores”. Enquanto isso, todo mundo pode usar o Bing Chat.

Com informações: 9to5Google e New York Times

Receba mais sobre Google na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados