Facebook está por trás do falso desafio “bata em um professor” no TikTok

A Meta, empresa-mãe do Facebook, contratou uma empresa dos EUA para espalhar boatos e difamar o TikTok entre pais e responsáveis de jovens e adolescentes

Murilo Tunholi
Por
• Atualizado há 2 anos e 1 mês
App do TikTok (Imagem: Cottonbro/Pexels)

O Facebook está perdendo usuários pela primeira vez em 18 anos. Para recuperar parte dessas pessoas, em especial jovens e adolescentes, a Meta está tentando difamar o TikTok — seu principal concorrente — ao espalhar boatos sobre desafios falsos para chocar pais e responsáveis, como o desafio “bata em um professor”.

A informação foi publicada pelo The Washington Post, na última quarta-feira (30). Segundo o jornal, a Meta contratou uma empresa chamada Targeted Victory para veicular campanhas a nível nacional, mostrando como o TikTok pode ser uma rede social perigosa. Essa organização, inclusive, enviou diversos artigos opinativos e cartas para editores dos principais jornais do país, de acordo com as investigações.

Em e-mails internos obtidos pelo The Washington Post, um dos diretores da Targeted Victory comunicou aos funcionários que a missão atual é impedir o crescimento da popularidade do TikTok entre jovens e adolescentes. Nas mensagens, o executivo falou o seguinte:

“Passem a mensagem de que, embora a Meta seja o saco de pancadas atual, o TikTok é a verdadeira ameaça, especialmente como um aplicativo de propriedade estrangeira que é o número um em compartilhar dados de jovens e adolescentes que o utilizam”.

Targeted Victory.

Boatos sobre o TikTok começaram no Facebook

Uma das estratégias da Targeted Victory é espalhar boatos sobre desafios falsos do TikTok, como o “bata em um professor”. No ano passado, vários pais e responsáveis souberam, por meio de jornais na televisão, que alunos estavam supostamente agredindo professores e gravando os atos de violência para publicar no TikTok.

Alguns dias após as notícias irem ao ar, foi descoberto que o desafio “bata em um professor” nunca existiu na plataforma. Os boatos, aliás, começaram a surgir em posts no Facebook antes de aparecerem nos jornais de estados dos EUA como Califórnia e Flórida.

Segundo a investigação do The Washington Post, a Targeted Victory foi responsável por ajudar a espalhar os desafios falsos do TikTok pelo Facebook e pelos noticiários locais dos EUA. Além de fazer o trabalho de divulgação dos desafios falsos, a Targeted Victory criava até mesmo as manchetes para as notícias que criticavam o TikTok.

A empresa ainda guarda todas as reportagens negativas sobre o TikTok, incluindo as matérias que citam outros desafios que nunca existiram de verdade, como o “licks desonestos” — desafio de vandalizar escolas.

Facebook e TikTok respondem à investigação

Em resposta à reportagem do The Washington Post, um representante do Facebook defendeu a Targeted Victory. “Acreditamos que todas as plataformas, incluindo o TikTok, devem enfrentar um nível de investigação consistente com seu crescente sucesso”, disse o executivo que não foi identificado.

Enquanto isso, um representante do TikTok comentou apenas que a empresa está “profundamente preocupada” com o ocorrido. A rede social é gigante e tem recursos suficientes para lidar com as táticas controversas do Facebook.

Com informações: Mashable, The Verge.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Murilo Tunholi

Murilo Tunholi

Ex-autor

Jornalista, atua como repórter de videogames e tecnologia desde 2018. Tem experiência em analisar jogos e hardware, assim como em cobrir eventos e torneios de esports. Passou pela Editora Globo (TechTudo), Mosaico (Buscapé/Zoom) e no Tecnoblog, foi autor entre 2021 e 2022. É apaixonado por gastronomia, informática, música e Pokémon. Já cursou Química, mas pendurou o jaleco para realizar o sonho de trabalhar com games.

Canal Exclusivo

Relacionados