Fundador da Huawei se despede da Honor e acusa EUA

“Somos seus concorrentes no futuro”, disse Ren Zhengfei em discurso para encorajar Honor a superar a Huawei

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Ren Zhengfei, CEO da Huawei
Ren Zhengfei, fundador da Huawei (Imagem: Reprodução/Qilai Shen/Bloomberg)

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei, postou um discurso de despedida para funcionários da Honor após a venda da divisão dedicada a celulares com preços mais acessíveis. Com forte apelo emocional, a mensagem acusa os Estados Unidos de exercerem uma “tremenda pressão” sob a gigante chinesa, e incentiva os trabalhadores da Honor a se esforçarem para oferecer concorrência capaz de superar a Huawei.

Durante o governo de Donald Trump, a Huawei sofreu com diversas sanções por parte dos Estados Unidos. Como estratégia de defesa, a submarca foi vendida para um consórcio formado por cerca de 40 empresas chinesas, a fim de preservar os empregos de “milhões” de funcionários da Honor – a transação foi confirmada na última semana.

“Onda após onda de severas sanções dos EUA contra a Huawei nos levou a finalmente entender que certos políticos americanos querem nos matar, não apenas nos corrigir”, afirmou Zhengfei em seu discurso.

Dados da consultoria Canalys mostram que os smartphones da Honor representaram 26% dos 51,7 milhões de aparelhos vendidos pela Huawei entre julho e setembro deste ano. Com a separação, Ren encorajou os funcionários da Honor a almejarem a superação da Huawei. “Somos seus concorrentes no futuro”, provocou.

O futuro da Huawei na indústria de smartphones

A movimentação levanta mais questões sobre a permanência da Huawei no mercado de smartphones – ainda não se sabe ao certo como será a política do presidente eleito Joe Biden em relação à disputa comercial com a China.

A expectativa é de que a companhia concentre-se apenas em dispositivos premium a partir do próximo ano.

De acordo com a Reuters, fontes da indústria afirmam que empresas rivais, como Xiaomi e Oppo, estariam aumentando a produção para ocupar o espaço deixado pela Huawei. As previsões são de que a fatia da companhia no setor caia para 4% em 2021 (número que pode ser ainda menor agora, sem a Honor).

Com informações: Reuters

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados